“Chupa minhas bolas”: Magnussen admite que treta com Hülkenberg em 2017 grudou

Um toque, uma provocação e uma resposta pouco polida: a discussão entre os dois no GP da Hungria de 2017 pegou entre o público

Kevin Magnussen chegou à Fórmula 1 em 2014 e, entre chegadas e saídas, fez parte do ambiente até deixar a Haas no fim do ano passado. Ao longo de 120 GPs, naturalmente tem memórias guardadas, mas não são, necessariamente, as mesmas que o público tem dele. O dinamarquês lamentou o fato da discussão com Nico Hülkenberg, no cercado de imprensa do GP de Hungria, ser algo que ainda gera fascínio no público.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Na ocasião, Magnussen e Hülkenberg lutavam por posição quando o alemão acabou indo parar na grama, no lado de fora do traçado. Depois da prova, enquanto Magnussen conversava com a imprensa, Hülkenberg passou ao lado e disse aos repórteres que o rival fora “novamente o piloto mais antidesportivo do grid”. Ao que Kevin respondeu de maneira pouco polida: “Chupa minhas bolas, meu amigo”. Na era dos memes, o público não esquece.

“Aquilo com Hülkenberg grudou em mim e é algo que se tornou quase que chato de ficar falando sobre. Há outras coisas das quais vou me lembrar. Aquilo, especificamente, ganhou muita atenção, mas não é algo que eu vá me lembrar da minha carreira na F1”, disse à revista inglesa ‘Autosport’.

“A maioria das pessoas tende a focar e se agarrar a um evento, como esse comigo e Nico. É algo em que sequer penso, mas grudou em mim. Já faz quatro anos e ainda me perguntam. Tipo… Por que é disso que as pessoas lembram? É difícil de entender”, apontou.

A trajetória de Kevin Magnussen na F1 chegou ao fim (Foto: Haas)

“Eu penso mais nos eventos esportivos e nas coisas que aconteceram na pista”, garantiu.

Apesar da repercussão ser maior e mais duradoura que jamais esperou, Kevin garante que, pelo menos, fica feliz por ter sido quem é. “Não escondi a pessoa que sou”, falou.

Questionado, então, sobre qual o momento que mais recorda da carreira na Fórmula 1, não teve dúvida: a estreia, o GP da Austrália de 2014, então defendendo a McLaren. Debute e pódio, o único que amealhou no Mundial.

“Foi a realização do sonho, tudo aquilo se tornando realidade. A primeira corrida é algo que você nunca vai esquecer, como todo aquele fim de semana. E fui ao pódio. Eu estava com medo de acordar. É como se eu tivesse medo que fosse tudo um sonho. Foi muito surreal finalmente viver aquilo que eu sonhava durante toda a minha infância”, recordou.

Na temporada 2021, Magnussen defenderá a Ganassi no IMSA SportsCar.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube