Clima pesa na Mercedes, e Lauda pensa em deixar equipe ao fim da temporada 2015, diz jornal

No topo da F1 sem qualquer companhia, a Mercedes faturou quatro títulos nos últimos dois anos - e ainda assim o clima no interior do time alemão chega ao fim de 2015 despedaçado. Vai além da inimizade entre os pilotos, tanto que Niki Lauda, presidente não-executivo do time, quer abandonar o barco, segundo o jornal inglês 'The Times'

Dois anos seguidos de domínio, bicampeonato mundial de Construtores e de Pilotos, é difícil imaginar como o clima pode estar pesado na Mercedes. No entanto, é exatamente desta forma que a equipe de Brackeley chega ao fim de 2015. Dentre as partes de uma crise de egos está Niki Lauda, presidente não-executivo, que está desconfortável e pode deixar o time ao fim da temporada.
 
A informação é do jornal inglês 'The Times'. A publicação citou fontes como responsáveis pela informação de que Lauda "está considerando deixar o time, possivelmente assim que a temporada terminar". 
 
Nas últimas semanas, desde que Lewis Hamilton completou o título mundial, Lauda se envolveu em mais de um problema. Primeiro, os boatos de que teria brigado com Nico Rosberg – a quem elogiou depois da corrida no autódromo Hermanos Rodríguez; depois, no México, a informação de que o relacionamento com o chefe e diretor-executivo Toto Wolff está ruim.
O clima entre Toto Wolff e Niki Lauda já não é mais tão cheio de sorrisos (Foto: Mercedes)

E Wolff não teria gostado de ver Lauda conduzindo as entrevistas pós-corrida em nome da Mercedes na Cidade do México. Inclusive com um dos porta-vozes da equipe garantindo ao 'Times' que Niki não fala em nome da escuderia.

 
Outra crítica que está fazendo o clima pesar, segundo o jornal, é a atividade do três vezes campeão mundial como comentarista da rede de TV alemã RTL. Para gente na equipe, é um conflito de interesses que pega mal.
 
Apesar de já campeão, Lewis também saiu nervoso da corrida no México. Não foi pouca gente que viu como uma proteção da Mercedes a Rosberg ao obrigar Hamilton a ir aos boxes quando o campeão dizia que ainda estava com pneus em boas condições. Lewis não gostou.
 
"O time achou que precisava ser extra-carinhoso. Eu sei o que eu quero dizer, mas não vou dizer. Você deve perguntar Toto e Niki como eles se sentem e o que precisam fazer por detrás das cortinas para mantê-lo feliz", falou.
 
Após o 'Bonégate' nos Estados Unidos, Hamilton e Rosberg visivelmente prefeririam não se cumprimentar depois da corrida mexicana. O clima está cada vez mais denso nos bastidores da Mercedes.

 

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Red Bull não corre com motor Renault nem que o touro tussa…

Posted by Grande Prêmio on Terça, 3 de novembro de 2015

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube