Com interesses em toda Escandinávia, Liberty se reúne com lideranças da Dinamarca e se aproxima de GP

Uma reunião entre o presidente da F1, o prefeito de Copenhague, o ministro do interior da Dinamarca e o consórcio que planejou a corrida fez com que todas as artes se aproximassem um pouco mais da confirmação de que haverá um GP da Dinamarca a partir de 2020

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Não é mais segredo ou algo minimamente escondido: a F1 negocia para colocar o GP da Dinamarca em seu calendário a partir de 2020. É o começo da ideia de mudar as áreas de atuação do Mundial, que vê no mercado escandinavo a promessa de boa recompensa. O planejamento para uma corrida está avançado e foi organizado por um consórcio danês.

 
Após uma reunião realizada na última terça-feira (9) entre o presidente da F1, Chase Carey; o prefeito de Copenhague, Frank Jensen; e o ministro do interior da Dinamarca, Brian Mikkelsen, todos falaram abertamente sobre a possibilidade.
 
"Estamos animados sobre a oportunidade de explorar uma potencial corrida aqui na Dinamarca. Acredito que Copenhague represente o tipo de local que pode oferecer uma grande plataforma", disse Carey. 
 
A ideia de promover a F1 para toda a região além de Copenhague e da Dinamarca é a ideia do consórcio, liderado pelos ex-ministros Helge Sander e Lars Seier Christensen. "Eles [o Liberty] não veem apenas Copenhague, mas toda a Escandinávia como possível mercado", somou Christensen.
A cidade de Copenhague (Foto: Crucerodelta.com)
O orçamento estimado para a corrida está entre R$ 156,6 milhões e R$ 261,1 milhões, enquanto a expectativa é que cada corrida renda um total que gira entre R$ 519,3 milhões e R$ 1,1 bilhão. 
 
Muito dessa esperança, ao menos neste começo, gira em torno da forte popularidade de Kevin Magnussen em seu país de origem. Para questões de TV, a audiência internacional, segundo o consórcio, vão se interessar muito pelas pontes e lagos locais. 
 
Segundo divulgou o jornal dinamarquês 'BT', a ideia é uma prova nas ruas da capital. Por isso que há alguns meses o arquiteto-chefe da F1, Hermann Tilke, liderou um amplo estudo local para fixar a pista num espaço de 4,6 km por volta do centro da cidade. E isso implica um potencial problema: a necessidade de obter aprovação da Câmara de Vereadores local.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube