Com pista molhada, Rosberg lidera primeiro treino livre morno nos Estados Unidos. Hamilton é só quinto

A maioria dos pilotos preferiu não se arriscar diante do asfalto molhado do Circuito das Américas. Enquanto esteve na pista, Nico Rosberg foi o mais rápido. O alemão, que ainda acredita no milagre do título, comandou a abertura dos trabalhos no Texas seguido pelos carros da Red Bull. Lewis Hamilton foi apenas o quinto colocado. Felipe Massa foi o único brasileiro do treino da manhã e fechou em 11º

O fim de semana do GP dos Estados Unidos começou com a pista molhada, de forma morna e sem maiores emoções, como é comum às sextas-feiras na F1. Nesta manhã (23) em Austin, no Texas, Nico Rosberg foi o melhor diante das condições do asfalto do Circuito das Américas e liderou ao anotar 1min53s989. A diferença que o separou do segundo colocado é enorme. Daniil Kvyat, da Red Bull, virou 1s235 mais lento que o alemão, mas indicou que o RB11 está bem equilibrado para o fim de semana. Tanto que Daniel Ricciardo, seu companheiro de equipe, completou o rol dos três primeiros colocados.

Os taurinos colocaram outro carro no top-5. Carlos Sainz Jr. teve um bom desempenho na manhã desta sexta-feira e ficou em quarto lugar, apenas 0s075 mais lento que Ricciardo. O jovem estreante espanhol se colocou à frente do virtual tricampeão do mundo, Lewis Hamilton, que marcou 1min55s693 como melhor volta. Lewis ficou à frente de Sebastian Vettel, da Ferrari, vice-líder do campeonato. Max Verstappen foi o sétimo, enquanto Kimi Räikkönen veio na sequência.

Rosberg anda no TL1 do GP dos EUA em Austin (Foto: COTA)

Único brasileiro a acelerar nesta manhã em Austin, Felipe Massa garantiu o 11º melhor tempo, mas distante 3s092 da marca estabelecida por Rosberg. O veterano da Williams foi superado no fim da sessão pela McLaren de Fernando Alonso, que acelerava em Austin com o motor atualizado da Honda, e também pelo companheiro de equipe Valtteri Bottas. Já Felipe Nasr teve de assistir dos boxes o treino no Texas, uma vez que a Sauber optou por dar mais quilometragem ao reserva italiano Raffaele Marciello. O brasiliense volta ao cockpit do C34 na sessão vespertina no Circuito das Américas. 

Saiba como foi o primeiro treino livre do GP dos Estados Unidos de F1

No começo das atividades de pista no Circuito das Américas, a expectativa vinha do alto. Afinal, a previsão do tempo apontava chuva forte para esta sexta-feira na região de Austin, o que poderia determinar um ritmo mais lento de trabalho das equipes no traçado norte-americano, como já foi visto, por exemplo, nas sextas-feiras dos GPs de Japão e Rússia. A chuva havia cessado momentos antes da sessão, mas o asfalto estava bem encharcado. O vento forte e o céu muito fechado também davam as caras no Texas.

O primeiro a deixar os boxes em Austin foi Marcus Ericsson, da Sauber. O sueco, que foi seguido pelas Ferrari de Kimi Räikkönen e Sebastian Vettel, encarou uma pista bastante encharcada e usou pneus para chuva forte, identificado com a banda azul. Na sequência, vieram as Williams de Valtteri Bottas e Felipe Massa para o complemento das primeiras voltas de instalação e reconhecimento da pista.

Kimi Räikkönen encara a pista encharcada de Austin no começo do primeiro treino (Foto: Reprodução/F1)

Embora estivesse bem molhada, a pista não estava impraticável, pelo contrário. De modo que os pilotos seguiam com as primeiras voltas, mas sem tempo registrado para depois começarem a usar os pneus intermediários. Por sua vez, Pastor Maldonado queixava-se de problemas no câmbio e logo voltou para os boxes da Lotus.

O primeiro a completar volta cronometrada foi justamente Ericsson, que anotou 2min01s702. Como parâmetro, o recorde da pista, cravado por Sebastian Vettel em 2012, é de 1min35s657. Naturalmente, o sueco foi melhorando sua marca, e isso encorajou outros pilotos a enfrentarem o desafio do asfalto molhado no Circuito das Américas. Um deles foi Raffaele Marciello, substituto de Felipe Nasr na primeira sessão pela Sauber.

Nico Rosberg fechou a primeira meia hora de treino na frente em Austin (Foto: Reprodução/F1)

Aí veio a Mercedes de Nico Rosberg para anotar sua primeira volta rápida. Ainda acreditando no milagre do título, o alemão logo foi muito mais rápido que os carros da Sauber e subiu para a ponta com 1min55s102. Nico seguia na pista para melhorar seu tempo, assim como Räikkönen, que subia para segundo lugar. Massa, por sua vez, cometeu um erro rodou no setor 2 do circuito quando tentava completar sua primeira volta, mas buscou tranquilizar: "Está tudo ok".

A primeira meia hora de treino no Circuito das Américas teve mesmo a liderança de Rosberg, seguido por Daniel Ricciardo, Vettel, Räikkönen e Nico Hülkenberg vindo em quinto lugar. 11 dos 20 pilotos do grid já haviam marcado tempo em Austin.

Líder do campeonato e virtual tricampeão do mundo, Lewis Hamilton foi à pista em seguida para completar suas primeiras voltas rápidas. O britânico já chegou anotando 1min55s693 e se posicionou momentaneamente em segundo, mas acabou sendo superado por Ricciardo, que vinha em um bom stint com a Red Bull, mostrando que o RB11 é, de fato, bastante equilibrado. Tanto que, pouco depois, foi a vez de Daniil Kvyat fazer um grande tempo e pular para seguno, 0s122 atrás de Rosberg. Sinal, também, de que a pista estava secando.

Durante a sessão, um susto. O concreto que pavimenta o pit-lane estava bem encharcado e escorregadio, e colocava os pilotos em dificuldades ao frear seus carros, como aconteceu com Valtteri Bottas ao parar nos boxes da Williams. Via rádio, a McLaren pediu cuidado para Fernando Alonso. Aí Rosberg voltou a andar forte e diminuiu bem a sua marca em Austin. O alemão cravou 1min53s989, ampliando sua diferença para o restante dos pilotos. Kvyat permanecia em segundo, com Ricciardo, Hamilton e Max Verstappen vindo na sequência. Como não havia chuva naquela hora do treino, a pista melhorava a cada instante.

Massa foi o único brasileiro na pista em Austin nesta manhã (Foto: Williams)

Em sua metade final, o treino passou a ter um ritmo mais morno, de modo que os pilotos queriam evitar correr riscos e danificar seus respectivos carros para a sequência do fim de semana. Embora a pista estivesse mesmo melhor, não havia muito o que fazer, uma vez que a prioridade de pilotos e equipes não estava necessariamente em tempos de volta naquele momento.

Sem tantos carros na pista, Massa aproveitou o pouco tráfego para conseguir fazer uma volta que o colocasse naquele momento em nono lugar. Dentro de um bom stint na pista ainda bem úmida de austin, o brasileiro anotou 1min57s081, à frente de Valtteri Bottas. 

De restante, a sessão continuava bem sonolenta e sem maiores emoções. Com a maior parte dos pilotos fora dos carros e trocando ideia com os engenheiros nos boxes, tudo se encaminhava para o fim sem mudanças relevantes na tabela de tempos. Quem estava na pista buscava testar seus respectivos carros em ritmo de corrida, com o tanque mais cheio, de modo que seria bem improvável qualquer alteração nos posicionamentos da sessão.

Além disso, pilotos e equipes tinham de poupar pneus de chuva para o restante do fim de semana. Como a quantidade é limitada (quatro jogos de pneus intermediários e três jogos de pneus de chuva forte) por cada piloto, então, considerando a previsão do tempo para a sequência dos trabalhos em Austin, os times optaram por economizar os compostos, o que determinou o ritmo do treino em sua fase final, que ficou mesmo com a liderança da Mercedes de Nico Rosberg.

Nos minutos finais da sessão, dois pilotos melhoraram seus respectivos tempo e, coincidentemente, superaram Massa. Alonso, com a McLaren, pulou para nono, enquanto Bottas, já com o cronômetro zerado, também bateu o tempo do brasileiro, que fechou a manhã em 11º lugar.

VIU ESSA? DRONE SOBREVOA PISTA DO GP DO MÉXICO

determinarTipoPlayer(“15652751”, “2”, “0”);

F1, GP dos Estados Unidos, Circuito das Américas, primeiro treino livre:

1 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:53.989   7
2 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT 1:55.224 +1.235 6
3 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT 1:55.592 +1.603 10
4 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT 1:55.667 +1.678 8
5 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:55.693 +1.704 4
6 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI 1:55.710 +1.721 10
7 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO RENAULT 1:55.969 +1.980 7
8 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI 1:56.326 +2.337 10
9 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA 1:56.839 +2.850 18
10 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES 1:56.866 +2.877 15
11 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES 1:57.081 +3.092 13
12 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES 1:57.139 +3.150 4
13 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA 1:57.495 +3.506 20
14 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES 1:57.518 +3.529 4
15 8 ROMAIN GROSJEAN FRA LOTUS MERCEDES 1:58.319 +4.330 10
16 36 RAFFAELE MARCIELLO BRA SAUBER FERRARI 1:59.431 +5.442 19
17 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI 1:59.743 +5.754 18
18 53 ALEXANDER ROSSI ESP MANOR MARUSSIA FERRARI 2:01.154 +7.165 11
19 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS MERCEDES 2:01.907 +7.918 13
20 28 WILL STEVENS ING MANOR MARUSSIA FERRARI     1
    TEMPO 107% Q1   2:01.968    
               
RECORDE SEBASTIAN VETTEL ALE RED BULL RB8 1:35.657 17/11/15  
MELHOR VOLTA SEBASTIAN VETTEL ALE RED BULL RB8 1:39.347 18/11/15  
 

 

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Eita: Red Bull-Honda em 2016? Parece que o acordo está próximohttp://grandepremio.uol.com.br/f1/noticias/red-bull-se-aproxima-de-surpreendente-acordo-com-honda-para-seguir-na-f1-em-2016-revela-revista-alema

Posted by Grande Prêmio on Sexta, 23 de outubro de 2015

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube