Com tempo pior em relação à manhã, Hamilton mantém domínio e fecha sexta-feira na frente em Interlagos

A alta temperatura do asfalto impediu Lewis Hamilton de melhorar o tempo estabelecido pela manhã. Ainda assim, o novo tetracampeão do mundo fechou na frente, mas com diferença menor em relação a Valtteri Bottas: apenas 0s048. Daniel Ricciardo foi o terceiro, seguido por Sebastian Vettel e Max Verstappen. E Felipe Massa foi o oitavo, superado por Esteban Ocon

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O segundo treino livre do GP do Brasil de F1 confirmou a Mercedes como a grande força do fim de semana em Interlagos. Na quente tarde desta sexta-feira (10), Lewis Hamilton repetiu o feito da manhã e liderou a sessão. No entanto, o novo tetracampeão do mundo virou tempo mais lento em relação ao recorde da pista, estabelecido no primeiro treino. O britânico marcou 1min09s515, contra 1min09s202 estabelecidos horas antes em São Paulo. Fato é que a temperatura do asfalto estava muito mais elevada, chegando aos 54ºC, o que atrapalhou na melhora dos tempos.

Valtteri Bottas voltou a completar a dobradinha da Mercedes e foi o segundo, porém com tempo bem mais próximo ao de Lewis: o finlandês, que também virou tempo mais lento à tarde, ficou a apenas 0s048 da marca de Hamilton. Daniel Ricciardo colocou a Red Bull em terceiro, logo à frente de Sebastian Vettel. O tetracampeão, que estabeleceu como meta para o fim da temporada o vice-campeonato, teve um começo de fim de semana bem mediano, ficando longe do top-3 nas duas sessões. Max Verstappen colocou o segundo carro taurino no rol dos cinco primeiros, à frente de Kimi Räikkönen e Esteban Ocon. Felipe Massa voltou a andar bem, em oitavo, seguido por Nico Hülkenberg e Fernando Alonso.

A F1 retoma aos trabalhos em Interlagos neste sábado, a partir das 11h (horário de Brasília), com a disputa do terceiro treino livre do fim de semana, com a classificação marcada para 14h. O GRANDE PRÊMIO e o MSN Esportes acompanham 'in loco' o GP do Brasil com Flavio Gomes, Victor Martins, Evelyn Guimarães, Fernando Silva, Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum, Vitor Fazio, Américo Teixeira Jr. e Rodrigo Berton direto de Interlagos. Acompanhe a cobertura aqui e todos os detalhes AO VIVO e em TEMPO REAL aqui.

Lewis Hamilton continua sem adversários em Interlagos neste fim de semana (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Saiba como foi o segundo treino livre do GP do Brasil de F1

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Com 30% de chance de a chuva dar as caras nesta tarde, o segundo treino livre começou bastante movimentado, com os pilotos logo ganhando a pista de Interlagos. Assim, os primeiros tempos não tardaram a vir. Sebastian Vettel, com pneus macios, tomou a ponta com 1min10s993. Brendon Hartley, depois de ter enfrentado nova quebra do motor Renault da sua Toro Rosso, voltou à pista, bem como Antonio Giovinazzi, que entrou na Haas de Kevin Magnussen.

Ainda sem os carros da Mercedes e da Red Bull na pista, a Ferrari tinha uma dobradinha temporária, com Sergio Pérez aparecendo em terceiro, seguido por Stoffel Vandoorne e Fernando Alonso. Os carros vermelhos continuavam na frente, mas com Räikkönen puxando a fila. O 'Homem de Gelo' cravou 1min10s450.

Só que a liderança da Ferrari durou apenas mais alguns minutos. Primeiro, foi Verstappen quem tomou a ponta. Em segunda, sendo 0s010 mais rápido que o holandês, Bottas anotou 1min10s270, ainda com os pneus macios, para estabelecer a verdade e colocar a Mercedes no topo da tabela. Durante seu stint, Bottas tornou-se o primeiro piloto do treino a andar abaixo de 1min10s. Até que Hamilton acabou com a 'brincadeira' do companheiro de equipe para assumir de vez a ponta da sessão com 1min09s742.

Sebastian Vettel chegou a liderar a sessão, mas fechou a tarde em quarto lugar (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Ainda na primeira meia-hora do treino, a Ferrari foi a primeira das equipes a calçar seus carros com pneus supermacios. Em teoria, a lógica dizia que Vettel e Räikkönen retomassem a ponta da sessão. Mas nenhum deles consegiu superar os tempos da Mercedes, mesmo contando com pneus mais rápidos..

Com os supermacios, Bottas chegou a tomar a liderança do treino, mas foi superado novamente por Hamilton, que marcou 1min09s515. A marca, contudo, era inferior ao melhor tempo da manhã — 1min09s202. E isso se justifica sobretudo pela alta temperatura do asfalto, que chegava aos 54ºC. Assim, a melhora dos tempos não era muito significativa de um pneu para o outro.

Esteban Ocon se encaixou bem no rol dos dez primeiros em Interlagos (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Massa, diga-se, voltava a andar bem em Interlagos e tinha o sexto melhor tempo. Sétimo pela manhã, o brasileiro conseguia se colocar à frente de Esteban Ocon e Daniel Ricciardo, os dois com conjuntos superiores ao da Williams. Em contrapartida, Fernando Alonso tinha problemas e passava boa parte do tempo nos boxes da McLaren. Outro que lidava com dificuldades era Marcus Ericsson, que escapava de traseira na Junção e batia seu carro de leve na barreira de pneus. Mas o sueco conseguiu voltar à pista. Stoffel Vandoorne também rodava — na saída do S do Senna.

Ricciardo conseguiu melhorar seu tempo e subiu para terceiro, superando Vettel e Verstappen. Quem também ganhou posições foi Ocon, que passou Massa para ascender à sétima posição. Ao mesmo tempo, os dois carros da Mercedes novamente deixavam os boxes. E com pneus supermacios novos para o trabalho de simulação de corrida na fase final da sessão.

Mesmo com o tempo mais fechado e a maior ameaça de chuva, as equipes conseguiram cumprir o cronograma estabelecido para o fim da sessão com as análises de desempenho em ritmo de corrida. A sessão entrava em sua reta final sem a perspectiva de mudanças na tabela de tempos. Hamilton fechou os trabalhos do dia na frente e demonstrou ser, logo na sexta-feira, o grande favorito à vitória no domingo na terra do seu grande ídolo, Ayrton Senna.

F1, Interlagos, GP do Brasil, TL2, Resultado:

1   44 Lewis HAMILTON ING Mercedes 1:09.515   42
2   77 Valtteri BOTTAS FIN Mercedes 1:09.563 +0.048 45
3   3 Daniel RICCIARDO AUS Red Bull Tag Heuer 1:09.743 +0.228 37
4   5 Sebastian VETTEL ALE Ferrari 1:09.875 +0.360 48
5   33 Max VERSTAPPEN HOL Red Bull Tag Heuer 1:09.886 +0.371 38
6   7 Kimi RÄIKKÖNEN FIN Ferrari 1:10.117 +0.602 45
7   31 Esteban OCON FRA Force India Mercedes 1:10.306 +0.791 49
8   19 Felipe MASSA BRA Williams Mercedes 1:10.373 +0.858 42
9   27 Nico HÜLKENBERG ALE Renault 1:10.396 +0.881 39
10   14 Fernando ALONSO ESP McLaren Honda 1:10.655 +1.140 31
11   55 Carlos SAINZ JR ESP Renault 1:10.685 +1.170 42
12   11 Sergio PÉREZ MEX Force India Mercedes 1:10.695 +1.180 43
13   2 Stoffel VANDOORNE BEL McLaren Honda 1:10.902 +1.387 38
14   18 Lance STROLL CAN Williams Mercedes 1:11.064 +1.549 44
15   8 Romain GROSJEAN FRA Haas Ferrari 1:11.300 +1.785 39
16   10 Pierre GASLY FRA Toro Rosso Renault 1:11.422 +1.907 44
17   39 Brendon HARTLEY NZL Toro Rosso Renault 1:11.821 +2.306 54
18   94 Pascal WEHRLEIN ALE Sauber Ferrari 1:11.857 +2.342 43
19   9 Marcus ERICSSON SUE Sauber Ferrari 1:11.989 +2.474 17
20   50 Antonio GIOVINAZZI ITA Haas Ferrari 1:12.417 +2.902 37
          Tempo 107% 1:14.381 +4.866  
                 
Recorde Lewis HAMILTON ING Mercedes 1:09.202 10/11/2017  
Melhor volta Juan Pablo MONTOYA COL Williams/BMW 1:11.473 25/10/2004  
GERAÇÃO PRIVILEGIADA

F1 TEM ÓTIMA CLASSE EM 2017. E É BOM DEMAIS VÊ-LA EM AÇÃO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube