Com Vettel e Räikkönen, Ferrari obtém primeira dobradinha na F1 desde GP do ‘Fernando is faster than you’

Levou quase sete anos para que a Ferrari voltasse a festejar uma dobradinha no Mundial de F1. Até então, a última havia sido no polêmico GP da Alemanha de 2010, aquele em que a equipe ordenou Felipe Massa a abrir caminho para Fernando Alonso. Uma prova que teve felicidade do vencedor em contraste com a cara fechada do segundo colocado. Como neste domingo, em Mônaco

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : ‘pt’
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : ‘inread’
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A Ferrari é a equipe com o maior número de dobradinhas da F1. A 82ª da sua história foi conquistada na tarde deste domingo (28) no GP de Mônaco, com Sebastian Vettel vencendo a icônica prova e Kimi Räikkönen terminando em segundo lugar. Há tempos que a escuderia de Maranello não fazia 1-2 na F1. A última vez até então foi no polêmico GP da Alemanha de 2010. Aquele em que o time italiano ordenou Felipe Massa a abrir caminho para a vitória de Fernando Alonso em Hockenheim no episódio que é lembrado até hoje graças à mensagem: “Fernando is faster than you”.

 
O GP da Alemanha daquela temporada foi emblemático porque marcava exatamente um ano do mais grave acidente da carreira de Massa, ocorrido em 25 de julho de 2009, na Hungria. Recuperado, o brasileiro fazia um bom trabalho em 2010 e largou em terceiro em Hockenheim, só atrás de Alonso e Vettel, então na Red Bull.
O GP da Alemanha foi marcado pelo 'Felipe, Fernando is faster than you' (Foto: Forix/Red Bull)
Mas Felipe deu o bote na largada e, de uma vez só, ganhou duas posições e pulou para a liderança da corrida. Felipe protagonizou quase toda a corrida, mas era Alonso quem lutava pelo título mundial daquela temporada. 
 
Antes da largada em Hockenheim, Fernando tinha 98 pontos e era o homem da Ferrari na briga pela taça. O espanhol ocupava a quinta colocação, embora bem distante dos então líderes, Lewis Hamilton, com 145, e Jenson Button, com 133. Vettel tinha 121 e Massa aparecia só em oitavo, com 67. Assim, a Ferrari não teve dúvidas e voltou a usar do polêmico expediente que manchou sua trajetória no começo da década de 2000, alcançando seu ápice no ‘hoje, não, hoje, sim’ no GP da Áustria de 2002, quando Rubens Barrichello abriu passagem, na linha de chegada, para a mais polêmica vitória de Schumacher na F1.
 
Alonso se aproximou muito de Massa, que recebeu via rádio a ordem do seu engenheiro, que até hoje o acompanha na Williams, Rob Smedley: “Felipe, Fernando está mais rápido que você”. O brasileiro abriu passagem e viu Alonso fazer a ultrapassagem e vencer em Hockenheim. Porém, no fim das contas, a vitória do espanhol não o ajudou a conquistar o título, que foi vencido por Vettel na corrida derradeira de 2010, em Abu Dhabi, marcada por uma falha estratégica da Ferrari, que o colocou atrás da Renault de Vitaly Petrov durante toda a prova.
O pódio do GP de Mônaco (Foto: AFP)
A dobradinha deste domingo em Mônaco também traz a marca da polêmica, porém em proporções bem menores em relação há quase sete anos na Alemanha. Räikkönen largou na frente e liderou boa parte da corrida até o momento em que fez seu pit-stop. A Ferrari deixou Vettel na pista, e o alemão aproveitou para fazer voltas mais rápidas seguidas antes de realizar a troca de pneus.
 
Quando Kimi voltou da sua parada, teve de lidar com um tráfego intenso e perdeu muito tempo. Assim, quando deixou o pit-lane após a troca de pneus, Vettel conseguiu voltar à frente de Räikkönen e, daí, não foi mais ameaçado pelo companheiro de equipe para seguir rumo à vitória em Mônaco. Uma vitória que deixou Vettel 25 pontos à frente de Hamilton na liderança do campeonato, mas que deixou Räikkönen extremamente irritado e com cara de pouquíssimos amigos no pódio de Mônaco.
 
GENIAL, ALONSO FOI ESPETACULAR NA CLASSIFICAÇÃO EM INDIANÁPOLIS E ENTRA NO PÁREO PELA VITÓRIA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = ‘ca-pub-6830925722933424’;
google_ad_slot = ‘8352893793’;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(‘crt_ftr’).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(‘cto_ifr’);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(‘px’)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write('’);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube