Confira declarações dos pilotos após GP dos EUA, 19ª etapa da F1 2019

Lewis Hamilton garantiu o título mundial, seu sexto, neste domingo (3), e claro que as declarações dos pilotos lembraram tal fato. Mas também teve muita análise por todo o grid e você as confere aqui


 

Lewis Hamilton se tornou hexacampeão mundial de Fórmula 1 – e claro que este assunto foi o principal do paddock do circuito de Austin, no qual o GP dos EUA, vencido por Valtteri Bottas, ocorre neste domingo.

Mas outros assuntos também fizeram parte do que foi dito pelos pilotos por todo o grid – alguns com lamentações, outros felizes com o final de semana que tiveram. 

Valtteri Bottas (Foto: Mercedes)
Paddockast #40
QUEM VOCÊ ENTREVISTARIA NO GP DO BRASIL?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Confira as declarações dos pilotos:

Valtteri Bottas, primeiro: Bottas parabeniza Hamilton por “título merecido”, mas admite: “Falhei”

Lewis Hamilton, segundo: Hamilton se emociona por se ver “entre os grandes” da F1: “É intenso”

Max Verstappen, terceiro: Verstappen diz que amarela impediu ultrapassagem sobre Hamilton e 2º lugar

Charles Leclerc, quarto: 4°, mas longe do pódio, Leclerc lamenta desempenho: “Não tenho explicações”

Alexander Albon, quinto:  Albon se diverte nos EUA, mas brinca: “Ultrapassei mais do que gostaria”

Alexander Albon (Foto: Getty Images/Getty Images Red Bull Content Pool)

Daniel Ricciardo, sexto: “Tivemos muitas corridas divertidas neste ano, e esta é, com certeza, uma delas. A estratégia de uma parada era o plano e parecia que os outros caras, em duas paradas, chegariam perto no fim, o que tornou as coisas um pouco nervosas. Alcançamos nosso objetivo de bater os dois carros da McLaren, então estou muito satisfeito. Foi uma corrida muito boa e mostramos bom ritmo. Curti a disputa com o Lando [Norris] quando o ultrapassei e ele me passou algumas vezes depois da largada e, então, veio a pressão no fim. Ficamos em sexto, então são pontos bem sólidos para a equipe, com Nico [Hülkenberg] também no top-10.”

Lando Norris, sétimo: “Foi uma boa corrida para a equipe e para mim. Fiz uma boa largada e cheguei ao quinto lugar depois da primeira curva. Estamos fazendo um bom trabalho nesse sentido e é um ponto forte nosso. O restante da corrida foi complicado, especialmente no primeiro stint, com pneus macios. Sofri na comparação com Daniel [Ricciardo] nas voltas finais com esses pneus, o que era algo que esperávamos. Então, quando colocamos os pneus duros, fiquei mais perto de Daniel depois da parada. Tentei cuidar dos pneus. Ele não estava forçando muito, então tentei acelerar e ver se ele cometia algum erro e onde eu poderia fazer a ultrapassagem. Mas ele não errou e controlou o ritmo. Decidimos ir para os boxes para colocar pneus médios e ir para uma estratégia de duas paradas, o que acabou sendo muito bom. Foi uma corrida bem divertida, ao menos no terceiro stint, com algumas ultrapassagens. Um enorme obrigado a todo mundo na fábrica e aqui na pista pelo trabalho duro.”

Carlos Sainz Jr., oitavo: “Foi um bom dia de trabalho para a equipe. Conseguimos trazer para casa 10 bons pontos na bagagem, então parabéns a todos. Para mim, particularmente, senti que não poderíamos ter alcançado mais, mas minha corrida ficou comprometida na largada depois que fui atingido na curva 1. Fazer a parada e ter apenas um pit-stop significou que tive um segundo stint muito longo. O ritmo era bom e conseguimos garantir um importante oitavo lugar. No geral, foi um fim de semana positivo, e vamos para o Brasil para buscar mais.” 

Nico Hülkenberg, nono: “Estou muito feliz por ter marcado dois pontos hoje especialmente depois de perder terreno na primeira volta. Foi uma corrida de duas metades bem contrastantes para nós. A primeira parte não foi tão boa, perdemos posições nas curvas 1 e 2 na primeira volta, com alguns carros voltando para a pista na minha frente. Isso tornou as coisas difíceis, mas então, na segunda parte da corrida, foi muito divertida. Passamos para uma estratégia de duas paradas, talvez uma ou duas voltas mais tarde, o que foi decisão minha, mas então começamos a alcançar os outros caras à minha frente. Tivemos bom ritmo, algumas brigas divertidas, então podemos ficar satisfeitos por marcar dois pontos hoje.”

Sergio Pérez, 10°: "Tivemos uma corrida tremenda hoje e conseguimos nos recuperar muito bem como equipe. Usamos uma estratégia agressiva de uma parada só e tivemos bom ritmo por toda a prova. Na volta final, [Daniil] Kvyat bateu em mim e danificou minha asa dianteira, mas foi penalizado e recuperei o 10° lugar. Um ponto significa subir para a sexta colocação no Mundial de Construtores, o que é importante com duas corridas faltando. Foi só um ponto, mas todo ponto conta ao final da temporada."

Kimi Räikkönen, 11°: "Podemos tirar muitas conclusões positivas desta corrida, mesmo acabando por alguns décimos fora dos pontos em uma prova na qual fomos competitivos. Tive uma boa largada, parecia que estávamos melhorando a cada momento, e ficamos na briga até o final. É algo com que podemos trabalhar para as próximas corridas."

Kimi Räikkönen (Foto: Alfa Romeo)

Daniil Kvyat, 12°: "Foi uma corrida complicada, estivemos um pouquinho fora do ritmo hoje na comparação com nossos oponentes diretos. Usamos os pneus um pouco mais do que costumamos fazer, então precisamos analisar isso. Mesmo com esses problemas, consegui terminar em décimo lugar na pista até a última volta. Acho que foi uma manobra dura, mas justa, como gostamos de ver. É o que vimos nesta temporada, sem que outros pilotos sejam punidos. Estou muito chateado e decepcionado por conta desta punição porque não acho que nosso esporte precisa disso.”

Lance Stroll, 13°: "Foi uma tarde longa e com certeza já tive dias melhores  Uma pena, porque o carro estava bom e sabia que podia lutar por pontos, mas infelizmente as coisas não ocorreram da nossa maneira. Não tive a melhor largada e fui amassado, sofrendo alguns danos na curva 1. A pista estava com bastante ondulação por fora da curva 2 e acertei uma lombada, perdi um pouco do volante e caí no grid. Por nossa posição, a equipe tentou uma estratégia de duas paradas. Estávamos com bom ritmo no segundo stint, mas ficamos sem pneus no final da prova. Uma pena, mas às vezes dias assim acontecem e precisamos voltar bem no Brasil."

Antonio Giovinazzi, 14°: "Como equipe, parecemos mais fortes neste final de semana, então podemos ser otimistas com o futuro, ainda que não tenhamos somado pontos. Decidimos ir com uma estratégia diferente a de Kimi [Räikkönen], e ao final a dele funcionou melhor. Comecei com os pneus médios e sofri com falta de aderência. Fui melhor quando trocamos pelos macios, mas já era tarde para fazer diferença. Necessitamos continuar com o trabalho e seguir com estes passos à frente para sermos melhores no Brasil."

Romain Grosjean, 15°: "Foi um dia difícil. Sabíamos desde antes de começar que ia ser complicado. Por azar, nunca tivemos a velocidade desejada, então no começo da corrida não pude ultrapassar ninguém. Alargamos o primeiro stint, mas os pneus morreram e todo mundo me ultrapassou. Vieram as dificuldades. Estava contente com o equilíbrio do carro e meus tempos de volta, mas estávamos longe, no fundo do grid, sem possibilidade de brigar."

Romain Grosjean (Foto: Haas) 

Pierre Gasly, 16°: “Foi uma corrida muito boa, já que estive entre os dez primeiros na maior parte do tempo e me mantive no mesmo ritmo das McLaren. No fim, comecei a lutar com Sergio [Pérez] e tivemos um contato na curva 13, o que quebrou a suspensão dianteira, então precisei abandonar. Estávamos brigando, ele veio por dentro da curva 13, então tocamos com meu pneu dianteiro direito, o que fez dobrar a suspensão. Não acho que tenha sido algo grande, mas foi o bastante para me colocar fora dos pontos e encerrar nossa corrida. É decepcionante terminar desta forma depois de um fim de semana bem forte.”

George Russell, 17°: “Essa corrida foi mais complicada que o normal. Sofri com o superaquecimento dos pneus antes que eles acabassem de vez, o que tornou bem difícil a pilotagem do carro. Decidimos fazer duas paradas e sofremos com as bandeiras azuis no restante da corrida. Parabéns ao Lewis Hamilton pelo seu sexto título mundial.”

Kevin Magnussen, 18°: "Tive um problema nos freios ao final. Foi um dia duro na oficina. Não fomos rápidos o suficiente, faltou aderência e ritmo. Temos alguns problemas, isso está bastante claro, mas mesmo assim tentei dar o melhor de mim. Cheguei até o nono lugar nas primeiras voltas. Foi muito divertido, mas logo ficou evidente que não tínhamos ritmo e começamos a cair. A corrida t erminou pelos problemas nos freios."

Robert Kubica, 19°: “O ritmo não esteve lá hoje, então tentamos uma estratégia alternativa ao parar mais cedo na corrida. Sofri com a aderência e as ondulações, o que foi bem complicado com o carro com tanque cheio. Tivemos um vazamento hidráulico, então tivemos de abandonar. Estou ansioso para o Brasil, é uma bela pista e espero que possamos ter um resultado melhor.”

Sebastian Vettel, NC: Sem saber causa, Vettel diz que sentiu carro ruim já antes de quebra 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube