Confira declarações dos pilotos depois do treino classificatório do GP da Rússia, 15ª etapa do Mundial de F1

Boa parte dos pilotos se mostrou aliviada por saber que Carlos Sainz Jr. está bem depois do grave acidente sofrido no terceiro treino livre. Por outro lado, os competidores lamentaram pelo pouco tempo de pista ao longo de todo o fim de semana em Sóchi até o momento

Nico Rosberg foi o grande nome deste sábado (10) em Sóchi. O alemão foi melhor que seu grande rival na luta pelo título da temporada 2015, Lewis Hamilton, sempre que teve pista seca pela frente. Líder do conturbado terceiro treino livre do fim de semana, marcado pelo terrível acidente sofrido por Carlos Sainz Jr., Rosberg foi o melhor também no treino classificatório, quando assegurou a pole-position do GP da Rússia, a segunda consecutiva e a terceira do campeonato.

Embora tenha e precise da vitória para ainda seguir como real postulante ao título, Rosberg afirmou que sua meta é ajudar a Mercedes a faturar o título do Mundial de Construtores, o que pode ser consumado em Sóchi caso a equipe prateada some três pontos a mais do que a Ferrari. Do outro lado do ‘corner’ do time alemão, Hamilton reconheceu o erro em sua volta lançada no Q3, mas alertou Nico: “Esta não é uma corrida ruim para largar em segundo”.

Um dos bons destaques do sábado foi Valtteri Bottas. O finlandês, que teve um bom rendimento no ano passado ao terminar o GP da Rússia em terceiro lugar e marcar a melhor volta da corrida, destacou a competitividade da Williams. Sebastian Vettel, em quarto, não ficou lá muito satisfeito com o desempenho da Ferrari no treino classificatório em Sóchi, mas acredita em uma evolução e em uma forte corrida.

Felipe Nasr durante a classificação em Sóchi, na Rússia (Foto: AP)

Os brasileiros do grid viveram sentimentos distintos. Felipe Massa foi só decepção ao comentar por que sequer conseguiu se aproximar do rendimento de Bottas e largar somente em 15º lugar. Massa largará três posições atrás de Felipe Nasr, que falou em uma classificação muito positiva, mas, em contrapartida, entende que será difícil terminar a prova no domingo no top-10.

Outros tantos pilotos do grid se queixaram do pouco tempo de pista ao longo de todo o fim de semana, caso, por exemplo, de Kimi Räikkönen, quinto no alinhamento inicial. Bom trabalho novamente da Force India, que colocou seus dois carros no top-10: Nico Hülkenberg em sexto e Sergio Pérez em sétimo lugar. A dupla do time de Silverstone acredita em poder novamente somar pontos, o que a deixaria ainda mais confortável na luta pelo quinto posto do Mundial de Construtores.

A seguir, confira as declarações dos outros pilotos do grid na esteira da classificação do GP da Rússia de F1:

FERRARI

Kimi Räikkönen, quinto: “Até agora, tem sido um fim de semana muito prejudicado pelo clima e pelas outras coisas que aconteceram. A classificação hoje não foi nada fácil, foi um pouco complicado alcançar a temperatura dos pneus que queríamos para uma volta lançada devido às condições frias. Quando os pneus funcionaram, porém, a tocada do carro foi muito boa. Na última volta no Q3, onde não havia tempo para fazer mais do que uma volta, o começo da volta foi ok, mas então eu escapei de lado e perdi um tempo significativo. Amanhã na corrida vai ser um pouco desconhecido para todo mundo. Obviamente, nós não temos informações o bastante para os long-runs, então é difícil saber o que vai acontecer, mas acho que nós estaremos bem. Tenho certeza de que, quando os pneus funcionam do jeito que queremos, os tempos de volta serão muito diferentes. Vamos tentar fazer uma boa volta, e então espero que tenhamos uma forte corrida e que consigamos enfrentar a batalha.”

Kimi Räikkönen adotou o mesmo discurso de Vettel e disse acreditar em uma Ferrari forte no domingo em Sóchi (Foto: AP)

FORCE INDIA

Nico Hülkenberg, sexto: “Estou muito satisfeito com o sexto lugar, e o nosso desempenho na classificação é um grande resultado por parte da equipe. Mesmo tendo um trabalho limitado nos treinos, tive uma boa impressão do carro. Há um bom equilíbrio, e isso tem me dado confiança. O resultado hoje é provavelmente o máximo que conseguiríamos alcançar quando você analisa os carros à nossa frente, e isso significa que estamos largando em uma ótima posição para amanhã. A corrida vai ser interessante, porque ainda há algumas incógnitas sobre como os pneus vão se comportar nos long-runs, e as definições da estratégia não serão fáceis. Estou ansioso para a corrida e em converter essa posição no grid em alguns bons pontos.”

Sergio Pérez, sétimo: “É sempre complicado pegar o carro, onde quer que seja, quando você não tem muita quilometragem nos treinos, mas é um bom resultado para a equipe, e acho que demos o máximo possível na sessão. Não é uma pista fácil para encaixar uma boa volta, e atingir a temperatura certa dos pneus é um desafio, então acho que podemos ficar satisfeitos com este resultado. Fiz minha melhor volta com os pneus usados, o que mostra que os supermacios levam um longo tempo para atingir seu melhor. Ainda há algumas interrogações sobre o desempenho dos pneus durante os long-runs, o que vai deixar amanhã bem interessante, mas não acho que o desgaste será muito grande. Temos uma chance muito boa de sermos competitivos na corrida. Vai ser muito difícil, mas estou confiante de que podemos chegar longe e marcar alguns bons pontos.”

LOTUS

Romain Grosjean, oitavo: “Foi uma classificação muito boa para nós. Sabíamos que o top-10 era alcançável se tudo corresse da forma correta. Foi um dia um pouco desafiador, já que não tivemos muitas informações para trabalhar, então tivemos de fazer muitas escolhas durante a classificação, mas parece que tudo correu muito bem para nós. Estou satisfeito com o oitavo lugar e acho que coisas boas serão possíveis na corrida. Fiquei feliz por ouvir que Carlos estava bem depois do seu acidente.”

Pastor Maldonado, 14º: “Tivemos uma melhor impressão do carro no terceiro treino, então precisamos investigar e ver por quê não conseguimos alcançar a velocidade com os pneus supermacios quando nós precisamos deles. O carro não se comportou tão mal, mas não foi rápido o bastante e da forma que queríamos. Todos nós esperamos mais para amanhã. O principal é que Carlos está ok depois do seu acidente mais cedo.”

RED BULL

Daniel Ricciardo, décimo: “Nós estávamos lentos com o acerto que tínhamos no Q3, mas aprendemos sobre qual direção caminhar para amanhã o que é bom. Mesmo com uma boa volta nesta pista, nós provavelmente chegaríamos em nono, seria nosso melhor, então não perdemos muita coisa. Vamos fazer o que for possível na corrida. Temos equipes fortes à nossa frente, mas nós vamos acelerar. A notícia positiva é que é bom ouvir que Carlos está bem.”

Daniil Kvyat, 11º: “Senti que dei tudo de mim nesta tarde. Infelizmente, tivemos uma única volta rápida disponível com o último jogo de pneus, então tivemos de sair um pouco mais tarde do que nós gostaríamos de ter feito. Na minha primeira volta cronometrada não senti que os pneus estavam prontos e então pude facilmente melhorar para a segunda volta, porque este era o padrão, mas não tínhamos mais tempo para uma segunda volta lançada, então é um pouco decepcionante. Largar de 11º é ok e ao menos nos dá a chance de uma livre escolha de pneus. Vou lutar com força e espero terminar nos pontos, o que seria um bom resultado. Com Carlos, foi um pouco assustador no começo, mas então nós vimos que ele acenou positivamente. Ele é um grande cara e estou feliz que ele esteja bem.”

McLAREN

Jenson Button, 13º: “Nós avançamos ao Q2 mais pela nossa velocidade do que pelos outros problemas que outras pessoas tiveram. Na minha última saída, não consegui encontrar qualquer aderência. Planejamos um bom fim de semana até agora, mas amanhã será muito difícil para nós. Este é um dos circuitos mais difíceis para nós em razão do desenvolvimento e do combustível. Vamos fazer nosso melhor. Este é um grande teste para nós.”

Fernando Alonso, 18º: “Não estou decepcionado. A corrida de amanhã é o que importa, tanto que fazia o resultado que fizesse hoje, as punições me jogariam para o fim. Então, daria tudo na mesma. Estamos trabalhando com novidades para o ano que vem, então o nosso objetivo é testar tudo. Para isso, essas últimas corridas serão úteis. Temos de ver o que podemos fazer amanhã. A corrida ainda será importante para nós.”

Marcus Ericsson não ficou nada satisfeito com seu desempenho em Sóchi (Foto: AP)

SAUBER

Marcus Ericsson, 16º: “A classificação foi como se a gente tivesse seguindo para o desconhecido porque tivemos pouco tempo de pista no terceiro treino. A classificação não funcionou conforme o planejado. Na minha primeira saída, peguei uma bandeira amarela quando estava na minha volta lançada. Tivemos problemas com o segundo jogo de pneus, infelizmente, nos sensores dos pneus, então ficamos sem saber as temperaturas corretas. Isso obviamente não é o ideal para a classificação. No geral, não foi uma sessão satisfatória para mim, terminando com um resultado decepcionante. Precisamos lutar partindo de trás amanhã.”

MANOR MARUSSIA

Will Stevens, 17º: “Estou muito satisfeito com a maneira com que nós terminamos o dia. Não consegui fazer uma boa volta na minha primeira saída, mas encaixamos tudo para minha segunda volta cronometrada e estou satisfeito por estar à frente para a largada da corrida de amanhã. Não tivemos muitas oportunidades para nos prepararmos neste fim de semana, mas nesta manhã consegui fazer um long-run e o carro se comportou bem. Meus melhores desejos para Carlos. Estou satisfeito que ele está bem.”

Roberto Merhi, 19º: “Estava mandando muito bem na classificação, mas na primeira volta da minha segunda saída eu escapei e acabei por dechapar meus pneus. Então, em minha volta lançada, cometi um erro que acabou por me custar 0s3. Entretanto, estou me sentindo otimista para a corrida e foi muito bom ter uma quantidade razoável de informações sobre correr em pista seca hoje. O mais importante hoje, porém, é que Carlos está ok. Eu fiquei muito preocupado por ele, ele é um bom amigo. Estou ansioso por vê-lo correr quando ele estiver melhor para voltar.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube