Criticado no início da temporada, Stroll dá volta por cima e cai nos braços da torcida canadense

Piloto da Williams terminou na nona colocação e conquistou em casa seus primeiros pontos na F1. Smedley e Claire comemoraram evolução do jovem de 18 anos

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Depois de um início de ano desastroso, Lance Stroll finalmente fez neste domingo (11) uma corrida que justificasse um lugar na Williams. E o GP escolhido para brilhar não poderia ser melhor. O canadense conquistou com a nona colocação seus primeiros pontos na F1 e não se importou em cair nos braços da torcida em Montreal.
 
O fim de semana despontava para mais uma corrida, a sétima na temporada, em que Stroll passaria em branco. Só de não ter feito bobagens nos treinos livres de sexta-feira e no sábado pela manhã, já estava sendo um alívio, mas aí veio o decepcionante 17º lugar na classificação que deixou todo mundo desapontado.
 
Na corrida, a história foi outra. O piloto fez uma boa largada, contou com os abandonos de Carlos Sainz, do companheiro Felipe Massa e de Max Verstappen nas primeiras voltas para também escalar o pelotão. No final das contas, já estava fazendo ultrapassagem em Nico Hülkenberg e Fernando Alonso, em manobras que levantaram a torcida nas arquibancadas do Canadá.
Stroll não teve vergonha e festejou com os fãs canadenses o nono lugar em Montreal (Foto: Williams)
“Nunca duvidei disso”, disse o piloto de 18 anos. “Sei que ainda precisamos de melhorias, estamos longe de sermos perfeitos, mas sei que nosso ritmo pode ser forte quando fazemos a coisa certa.”
Apesar de canadense, o #18 nunca havia corrido ali. Depois de ganhar os campeonatos nacionais de kart, logo migrou para uma carreira europeia e nunca mais encontrou a pista da ilha de Notre Dame até chegar à F1.
 
O desempenho do piloto não só rendeu festa com a torcida, direito a placa com o P9 nos boxes, como também arrancou sorrisos dos sempre exigentes chefes da equipe:
 
“Ele ultrapassou perto de cinco carros para fazer a estratégia funcionar. Posso dizer que fez um grande trabalho”, afirmou Rob Smedley. “Ele teve um começo de ano difícil, então ter uma corrida como a de hoje e marcar pontos, é o que todo novato quer. E foi ainda mais fantástico por isso acontecer em sua casa, é como um sonho que se tornou realidade”, completou Claire Williams.
 
Antes da nona posição no GP do Canadá, a melhor colocação de Stroll na F1 havia sido um modesto 11º lugar no GP da Rússia. Antes disso, nas três primeiras corridas do campeonato, havia tido três abandonos.
A NOVA F1 SE APROXIMA MAIS DA INDY. E ÁUDIO EM MÔNACO É PROVA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube