Diretor da FIA isenta carros “bonitos e rápidos” e culpa equipes do meio do grid por falta de ultrapassagens na F1

Reclamar da falta de ultrapassagens na F1 virou 'passatempo' de fãs e até dos próprios pilotos. Mas, para a FIA, a culpa é de um certo nicho da categoria: as equipes que não brigam pelo título, que ficam para trás no grid

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Não é fácil listar as boas ultrapassagens, logo uma das cenas mais marcantes do automobilismo, que ocorreram na F1 no ano de 2017. Os fãs reclamam, os pilotos – às vezes – também e, como tudo atualmente, as críticas ganham mais destaque que os elogios.

Assim, ficou para a FIA comentar a situação. E, por meio de Charlie Whiting, deixou claro: a culpa não é dela. E, sim, das equipes – ao menos das escuderias que não brigam pelo título.

"O maior problema que tivemos este ano foi que as três grandes equipes, por assim dizer, Mercedes, Ferrari e Red Bull, foram significativamente mais rápidas que o resto. Não acho que a competição foi fraca, é só que alguns fizeram trabalho melhor que os outros, nada novo na F1", afirmou o dirigente, em entrevista ao jornal 'The New York Times'.

Charlie Whiting (FIA)

A referência às equipes menores se encaixa na defesa de Whiting de que a FIA fez de tudo para que os carros da F1 fossem mais iguais, mais próximos e, consequentemente, capazes de produzir diversas ultrapassagens.

"As mudanças nas regras foram boas, mas foram as maiores em muito tempo e alcançamos nossos objetivos quase que por completo. Estes eram fazer com que fosse um desafio maior pilotar estes carros mais bonitos e mais rápidos, os mais velozes em muito tempo", afitmou.

"Não creio que o fato de que a competição sejam ias apertada nem acho que os carros são o problema", finalizou Whiting, 

De qualquer forma, o fato é que a F1 teve queda de 49% nas ultrapassagens de 2016 para 2017. Há duas temporadas, foram realizadas 866. No último ano, apenas 435 nas 20 corridas disputadas.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube