Diretor de marketing da F1 confirma intenção de montar calendário com mais de 21 corridas a partir de 2019

A intenção do Liberty Media de aumentar o total de corridas da F1 está perto de virar realidade. Sean Bratches, diretor de marketing da categoria, confirmou que estuda uma transformação no calendário – tanto no total quanto na ordem das provas

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : ‘pt’
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : ‘inread’
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A ideia de montar o maior calendário da história da F1 está cada vez mais próxima de virar realidade. Sean Bratches, diretor de marketing da categoria, confirmou a intenção de ter temporadas com mais de 21 corridas a partir de 2019.
 
Um calendário mais longo é uma das principais ideias do Liberty Media, grupo que comprou a F1 no segundo semestre de 2016. Em busca do mercado americano, os novos donos não chegam a descartar uma aplicação que alcance o total de 25 corridas.
 
“Queremos trabalhar em parceria com as equipes e determinar os rumos que queremos tomar. Mas nossa intenção é ter mais de 21 corridas e ser mais proativos em termos de mercados que queremos atingir”, disse Bratches, entrevistado pelo site ‘Motorsport.com’. “Temos um estudo de impacto econômico para entender os benefícios de trazer o circo da F1 a uma cidade ou país. Assim que formarmos o calendário ideal com regiões ideais vamos sentar com as cidades e defender nossas propostas. É o contrário do que estava sendo uma postura reativa, com ofertas chegando”, apontou.
O circo da F1 deve desbravar novos países em breve (Foto: Red Bull Content Pool)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Mais do que ampliar o total de corridas, Bratches também analisa uma reestruturação na ordem do calendário. O objetivo é agrupar GPs próximos e evitar grandes deslocamentos. “Estamos tentando alinhar as coisas de acordo com territórios. As corridas europeias, as americanas, as asiáticas, mas isso fica difícil por conta de condições climáticas e algumas barreiras contratuais”, finalizou.
 
Todos que fazem parte da F1 gostam de corridas, mas isso não significa que o aumento de provas tenha apoio unânime. O desgaste para pilotos e demais funcionários das equipes é apontado como principal motivo para manter o número atual, de 20 provas. Fernando Alonso já disse que, caso o calendário chegue a 25 provas, vai deixar a categoria.
 
ALONSO ATINGE NOVO PATAMAR NA HISTÓRIA DO AUTOMOBILISMO NA ESPETACULAR INDY 500

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = ‘ca-pub-6830925722933424’;
google_ad_slot = ‘8352893793’;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(‘crt_ftr’).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(‘cto_ifr’);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(‘px’)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write('’);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube