Diretor-técnico, Allison rejeita especulações sobre futuro e garante que Ferrari voltará a se aproximar da Mercedes

Na semana passada, o jornalista Luigi Perna, do diário ‘La Gazzetta dello Sport’, informou que a Ferrari estaria considerando o futuro de James Allison como diretor-técnico do time por entender que Maranello esperava mais evolução ao longo da temporada. Mas o britânico, que está em sua segunda passagem pelo time italiano, garantiu que está tranquilo

James Allison negou que esteja ameaçado de demissão na Ferrari. O diretor-técnico, que está em sua segunda passagem por Maranello, foi contratado junto à Lotus depois de uma jornada de muito êxito pelo time aurinegro. Contudo, o britânico, segundo o jornalista Luigi Perna, do jornal ‘La Gazzetta dello Sport’, estaria tendo seu futuro considerado pela cúpula da equipe italiana devido à evolução estacionada do SF15-T em relação aos seus pares no grid. Mas em entrevista à revista ‘Autosprint’, Allison assegurou que seguirá em Maranello por muito tempo e deixou claro que a Ferrari voltará a se aproximar da Mercedes na segunda fase do Mundial.

Na primeira passagem pela Ferrari, Allison integrou o corpo de engenharia, sendo uma das peças que contribuíram para uma verdadeira ‘era de ouro’ dentro da equipe no início dos anos 2000. De volta à escuderia italiana, o britânico tem como missão ser um dos artífices para levar a Ferrari de volta às vitórias e à briga por títulos na F1.

Quanto ao seu futuro, Allison insiste que está tranquilo. “Primeiro, tenho um contrato que me liga a esta empresa por muitos anos. E em segundo, eu voltei a esta equipe para repetir a experiência vencedora porque é um sentimento único. Eu provei isso enquanto era um jovem engenheiro, e foi incrível vencer cinco títulos mundiais.”

Diretor-técnico da Ferrari, James Allison não vê motivos para especulações sobre seu futuro (Foto: Getty Images)

“E a perspectiva de conseguir reviver aqueles momentos no papel que ocupo hoje é algo que eu realmente queria fazer, como uma questão de coração. Quero ficar aqui até finalizar meu trabalho e, se a Ferrari sente o mesmo, então serei muito feliz”, declarou James.

Quanto ao trabalho em si, o engenheiro confia que a Ferrari voltará a se aproximar da Mercedes na segunda fase da temporada. Questionado se a vitória conquistada na Malásia, a segunda corrida do ano, veio ‘cedo demais’, Allison comentou. “Talvez no que tange às expectativas, sim, mas você não pode rejeitar um êxito quando ele chega. A vitória no GP da Malásia foi uma alegria incrível, vencer novamente foi gratificante e altamente motivador, mas agora eu mal posso esperar para conseguir viver isso novamente”, disse.

Na sequência, o britânico analisou o trabalho técnico feito pela escuderia. “Se você olhar para o que tem sido feito desde o início da temporada, creio que o trabalho tem produzido bons resultados. Temos melhorado o tempo de volta em cerca de 1s5, graças ao desenvolvimento, tanto no carro quanto na unidade de força.”

“Na primeira parte da temporada, as atualizações vieram muito mais rápido do que a concorrência, por isso nós reduzimos uma diferença que se mostrou grande em Melbourne, disputando algumas corridas com um desempenho muito consistente”, comentou o engenheiro, que confia em uma nova curva ascendente depois das férias de verão.

“Vimos que as equipes empurradas pela Mercedes deram um enorme passo em frente desde Montreal, e a diferença aumentou novamente. Mas se eu tivesse de apostar sobre o que acontecerá na segunda metade da temporada, acho que vamos voltar a reduzir a diferença para a Mercedes e que nós estamos caminhando para sermos melhores que a Williams”, finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube