Diretor-técnico diz que Ferrari vai precisar repetir salto de performance para brigar com Mercedes em 2016

Diretor-técnico da Ferrari, James Allison avaliou que a escuderia italiana terá de repetir o salto de performance que deu neste ano se quiser enfrentar a Mercedes em 2016. Escuderia de Maranello conquistou seu último título no Mundial de Construtores em 2008

Diretor-técnico da Ferrari, James Allison reconheceu que a escuderia italiana terá de repetir o salto de performance que deu entre 2014 e 2015 se quiser brigar com a Mercedes no próximo ano. A escuderia germânica conquistou no último fim de semana o segundo título consecutivo do Mundial de Construtores.
 
Contando com uma boa evolução ao longo do inverno europeu, a Ferrari se colocou como principal desafiante da Mercedes em 2015, mas as três vitórias conquistadas por Sebastian Vettel ao longo do ano não foram suficientes para fazer frente aos 12 triunfos do time rival.
James Allison avaliou que Ferrari precisa repetir evolução para fazer frente à Mercedes em 2016 (Foto: Ferrari)
A Ferrari acumula 16 títulos do Mundial de Construtores da F1, mas o último deles data de 2008, quando a escuderia chegou a sua oitava conquista em um intervalo de dez anos.
 
Falando à emissora britânica Sky Sports F1, Allison avaliou que a Ferrari ganhou oito décimos em relação à performance do ano passado — mais da metade do déficit de 2014 —, mas precisa repetir o feito para 2016.
 
 “Nós não os assustamos neste ano, mas espero que sejamos capazes de fazer isso no futuro”, disse Allison. “Nós demos um bom passo à frente neste ano, mas precisamos fazer isso no próximo ano outra vez. É isso que nós miramos fazer”, seguiu.
 
Neste ano, graças a uma brecha no regulamento, os times conseguiram desenvolver os motores ao longo da temporada, mas essa lacuna foi fechada para 2016, o que obriga os times a usarem todas suas fichas de desenvolvimento até 28 de fevereiro. Os times, no entanto, pedem que essa data limite seja adiada.
 
“Nós temos uma boa chance de sermos competitivos, com ou sem desenvolvimento durante a temporada”, opinou Allison. “Teremos uma reunião em breve que vai decidir por uma coisa ou outra, mas esperamos colocar no grid da primeira corrida do ano um carro que seja competitivo”, continuou.
 
Chefe da Mercedes, Toto Wolff avaliou que a Ferrari tem totais condições de aparecer mais forte em 2016.
 
“Nós esperamos que eles sejam fortes no próximo ano, mas eles atingiram isso mais cedo do que o esperado”, disse. “Então não tenho dúvida de que o próximo ano será uma dura batalha”, completou.
Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.