Dono de quatro vice-campeonatos na F1, Moss se recupera de infecção no peito e apresenta quadro estável

Stirling Moss estava se preparando para um cruzeiro em Singapura quando precisou ser internado em um hospital, consequência de uma infecção no peito. A recuperação é lenta, mas o veterano já se encontra em situação estável

Stirling Moss não conseguiu aproveitar o final do ano da forma que gostaria. O piloto britânico, dono de quatro vice-campeonatos da F1 na década de 1950, foi internado em um hospital de Singapura em 22 de dezembro, informação revelada neste sábado (14). O motivo foi uma “séria infecção no peito”, seguida de uma recuperação que, de acordo com comunicado oficial do piloto, “não foi rápida quanto se esperava”.
 
Mesmo assim, o momento é de otimismo para a família Moss. O veterano está respondendo ao tratamento e já tem quadro considerado estável pelos médicos.
 
Moss e sua esposa estavam em Singapura para viajar de cruzeiro com amigos. Mesmo estando longe de casa, o casal ficou satisfeito com a estrutura encontrada na cidade-estado. “Os doutores, enfermeiras e terapeutas não poderiam ter sido melhores. São tão gentis e atenciosos quanto profissionais. Somos muito gratos”.
Stirling Moss (Foto: Reprodução/Twitter)
Os planos de fazer um cruzeiro no sudeste asiático acabaram cancelados, mas nada que abale o bom humor de Stirling.
 
“O desejo agora é de passar mais alguns dias em Singapura, se recuperando em um hotel adorável, além de pegar um sol ao lado de uma bela piscina. É o jeito de compensar a perda do cruzeiro, com o bônus de escapar do inverno britânico por mais tempo”, disse Moss através do comunicado.
 
Stirling é considerado um dos melhores pilotos a nunca se sagrar campeão de F1. Vítima de um período amplamente dominado por Juan Manuel Fangio, o britânico sempre ficou no quase. O britânico foi derrotado pelo argentino em 1955, 1956 e 1957, sempre ficando em segundo. Em 1958, quando Fangio abandonou a categoria, um compatriota chegou para estragar a festa – Mike Hawthorn. Mesmo tendo a bela marca de 16 vitórias em 66 GPs – praticamente uma vitória em cada quatro corridas –, o título nunca virou realidade.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube