Ecclestone descarta relação ruim com Liberty Media, mas opina: saída imediata do comando da F1 não foi melhor decisão

Bernie Ecclestone entende os motivos que levaram o Liberty Media a chacoalhar o comando da F1, mas não concorda. O britânico pensa que um período de transição teria funcionado melhor

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Bernie Ecclestone segue se acostumando com a vida nova. Do alto de seus 86 anos, o britânico deixou o comando da F1, consequência das mudanças promovidas pelo Liberty Media, grupo que comprou a categoria. Meses depois de perder poder, Ecclestone descarta problemas na relação com o Liberty, mas opina: a troca de comando poderia ter sido conduzida de melhor forma.
 
Ecclestone acredita que o Liberty Media deveria esperar algum tempo antes de tomar alguma decisão. Se o trabalho de Bernie realmente fosse reprovado, aí uma troca seria bem vinda, acredita o britânico.
 
“Provavelmente não [tomaria essa decisão]. Acho que seria melhor eles trabalharem comigo por um tempo”, opinou Bernie, falando à emissora britânica ‘Sky Sports’. “Esperem um ano e perguntem ‘está funcionando? Não está? Desculpa, mas você precisa sair’, algo assim. Mas são pessoas diferentes comandando empresas diferentes, claro. Acho que é assim que as empresas americanas funcionam. Sendo franco: eles compraram o carro, eles querem pilotar”, reconheceu.
Bernie Ecclestone (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
O Liberty Media deixou Ecclestone com um cargo honorário. Em outras palavras: Bernie segue ligado à F1, mas sem o poder de outrora. O ex-chefão pretende acompanhar dez das 20 corridas da temporada 2017.
 
Mesmo sendo expurgado pelos novos donos, Bernie não pensa que fez um trabalho ruim como chefão da F1. Ecclestone destaca os ganhos financeiros que a categoria teve nos últimos anos.
 
“Acho que o público está se confundindo. Tem um pessoal que pensa e diz, Chase [Carey] também diz, que eu não fiz um bom trabalho nos últimos três anos. Eu acho que fiz um bom trabalho, a CVC [antigos donos da F1] também. Tivemos rendas bilionárias, o que fez as ações valerem muito dinheiro. se eu tivesse feito um trabalho medíocre talvez eles tivesse comprado ações mais baratas”, cutucou.
 
PADDOCK GP #69 DEBATE ABERTURA DA INDY, TESTES DA F1 E MOTOGP E LEMBRA JOHN SURTEES

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

 

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube