Ecclestone diz que críticas contra Jordá são injustas e defende plano para ter mais pilotas na F1 no futuro

Bernie Ecclestone saiu em defensa de Carmen Jordá e disse que segue apoiando a ideia de trazer pilotas para a F1 no futuro. "Ela quer estar na F1. Então, temos de tentar encontrar uma maneira correta de fazer isso, mas ela não está sozinha. Há muitas pessoas também nisso”, disse

Chefão da F1, Bernie Ecclestone saiu em defesa da pilota de desenvolvimento da Lotus, Carmen Jordá, dizendo que a espanhola "tem feito um bom trabalho" junto à equipe de Enstone nesta temporada.

Jordá foi alvo críticas quando foi contratada pelo time inglês, especialmente por conta dos poucos resultados nas categorias de base. Recentemente, a ex-piloto de rali e atualmente presidente da comissão para mulheres no esporte a motor da FIA, Michèle Mouton, também fez comentários sobre a promoção da competidora de 27 anos, afirmando que a Lotus havia optado por Carmen apenas por “estratégias de marketing”.

Em resposta a Mouton, Jordá se disse surpresa e convidou a francesa para conhecer seu trabalho antes de criticá-la. “Realmente me surpreendeu porque, se você não conhece alguém, então não deveria falar desta pessoa assim. Não tive a chance de dizer a ela o que está em meu programa. Ela teve bons resultados no rali, e isso nos dá uma razão para acreditar no automobilismo, mas não acredito que o rali seja o mesmo que a F1, de modo que realmente isso me surpreendeu”, declarou a espanhola.

Chefe supremo da F1, Bernie Ecclestone dá as caras na Hungria no fim e semana (Foto: AP)

Por outro lado, Ecclestone, que chegou a lançar a ideia de uma 'F1 de saias', defendeu a espanhola da Lotus. "Ela está fazendo o que é preciso. Ela é muito boa. Nós pedimos para a Lotus e eles disseram que ela está fazendo um bom trabalho", disse o dirigente ao site norte-americano ‘Motorsport.com’.

"Ela quer estar na F1. Então, temos de tentar encontrar uma maneira correta de fazer isso, mas ela não está sozinha. Há muitas pessoas também nisso. Eu vi a menina americana, a Danica [Patrick, da Nascar] e disse também que poderíamos fazer algo pela Simona [de Silvestro, da Indy e da F-E], mas elas não querem vir para a Europa, ela preferem permanecer nos EUA", explicou o britânico de 84 anos.

"Portanto, é preciso uma pessoa de talento suficiente para fazer isso e que esteja preparada para desistir do que é preciso", completou.

Ecclestone ainda afirmou que espera ver outras meninas de talento no futuro, argumentando também que, por conta das poucas pilotas, as críticas a Jordá também são injustas. "Gostaria de proporcionar mais, não apenas para Carmen, mas também para outras pessoas. Temos a Miss Mundo, mas isso não significa que é a menina mais bonita. Significa que ela é a melhor naquela competição. Então, ela pode não ser a melhor, mas está na competição. Quer dizer, agora precisamos encontrar quem mais está não fora", finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube