carregando
F1

Em baixa, Renault se vê à frente das rivais para 2021: “Ninguém está tão avançado”

A Renault está no caminho para se equiparar às rivais da 'F1 A' a partir da temporada 2021, de acordo com o diretor-esportivo Cyril Abiteboul. O desafio é fazer isso sem escantear 2019

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
A temporada 2019 não foi o que se pode considerar uma maravilha para a Renault, mas a fábrica francesa pensa no futuro e considera que está passos à frente da concorrência no que diz respeito à preparação para a temporada 2021. Apesar de ainda faltar mais de um ano e um campeonato completo, a Renault acredita na possibilidade de dar um salto de qualidade a partir do momento em que as novas regras entrarem em vigor.
 
Já são quatro temporadas completas desde que a Renault regressou ao Mundial como equipe de fábrica - e 2020 será o quinto ano -, mas os resultados ainda são duvidosos. Com o trabalho voltado para 2021, o diretor-esportivo Cyril Abiteboul se mostra convencido do trabalho futuro ao passo que garante preocupação com 2020.
 
"Não há outra equipe que aborde 2021 da mesma maneira que a gente e não acredito que haja alguma equipe tão avançada como nós estamos para 2021. Simplesmente por termos decididos direcionar muitos recursos", afirmou à revista inglesa 'Motor Sport'.
 
"Mas 2021 não é uma desculpa para ter uma temporada ruim em 2020. Espero uma temporada melhor [em 2020] e que possamos implementar as mudanças e melhoras observadas no último ano", falou.
Cyril Abiteboul, chefe da Renault (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Assim, Abiteboul afirma que tirar a desvantagem para Ferrari, Mercedes e Red Bull em dois anos é complicado, mas segue como meta.
 
"Será a próxima dificuldade e segue sendo o nosso objetivo. É uma meta para 2021. Em nosso programa, tudo foi construído em torno deste objetivo de longo prazo para 2021, porque, segundo nossa estratégia, essa é a primeira grande oportunidade para conseguir. Antes de 2021, estava 2019 e está 2020. Há um resultado a curto prazo e uma pressão que todo mundo exerce sobre a equipe. É normal, é parte do esporte", finalizou.
 
A temporada 2020 da F1 começa no próximo mês de março, na Austrália. Abiteboul, apesar das expectativas, afirmou que a marca ainda precisa bater o martelo quanto à permanência na categoria e anunciou que o novo carro será apresentado no dia 12 de fevereiro, com presença dos pilotos Daniel Ricciardo e Esteban Ocon.