Em busca de recuperação, Vettel supera Hamilton e lidera TL3 de pista seca em Austin

Sem chuva, enfim. O terceiro e último treino livre para o GP dos Estados Unidos da F1 em 2019 teve uma pista fria, mas seca. E o que se viu no traçado seco foi uma Ferrari frenética atrás da ponta. Sebastian Vettel converteu o desejo em realidade e liderou a sessão

Após um dia onde a pista nunca esteve seca, o terceiro e último treino livre para o GP dos Estados Unidos da temporada 2018 do Mundial de F1, na tarde deste sábado (20), teve uma correria para aproveitar o seco. As equipes forçaram a mão entre diferentes pneus para buscar informações. Nas nuances entre preparação para a classificação e simulação de corrida, a liderança ficou com Sebastian Vettel.

A Ferrari foi a equipe que por mais tempo apostou em realizar simulação de classificação. Na realidade, fez isso por praticamente todo o treino. Kimi Räikkönen passou mais tempo na liderança, mas Vettel tomou a dianteira com pouco mais de dez minutos para o fim da sessão. Os dois chegaram a esses giros com pneus ultramacios.
 
Lewis Hamilton também andou de ultramacios na fase final da sessão, mas não foi forte o bastante para encostar nos rivais vermelhos. Sem tanto acerto para classificação, ficou 0s7 atrás e na primeira tentativa com os pneus roxos, mas voltou com eles para a pista segundos antes do fim. Buscou de novo o rival, e falhou: 0s073 atrás. Valtteri Bottas completou em quarto, 0s7 afastado de Vettel.

As duas Red Bull passaram quase que a hora completa na simulação de corrida e vieram com intenção de giros rápidos apenas nos minutos finais. Max Verstappen e Daniel Ricciardo, nessa ordem, foram quinto e sexto. Charles Leclerc liderou a F1 B e colocou a Sauber em sétimo, seguido por Sergio Pérez, Carlos Sainz e Romain Grosjean. Quer dizer: além das três equipes principais, uma Sauber, uma Force India, uma Renault e uma Haas no top-10.

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

Confira como foi o TL3:

Após uma sexta-feira apenas com pista molhada, o TL3 no seco ofereceu uma possibilidade que as equipes se apressaram para aproveitar. Não houve nenhum tipo de espera para se lançar ao traçado texano. Com três minutos de sessão, todos já tinham entrado na pista.
 
Como ninguém teve oportunidade prévia de testar pneus slicks, os três compostos dispostos para este fim de semana – macio, supermacio e ultramacio – apareciam em diferentes carros. A maioria dos times mandava os pilotos com diferentes pneus para coletar o máximo de informação possível. Com a pista fria, uma temperatura ambiente por volta dos 16°C, esfriar os pneus era difícil. Max Verstappen, de supermacios, escapou do traçado e avisou à Red Bull que não estava conseguindo esquentar a borracha.
 
Sebastian Vettel estava com ultramacios contra os supermacios de Lewis Hamilton. Os líderes do campeonato quase se tocaram ainda nos primeiros minutos, ao passo que o alemão reclamou no rádio. "Tem muito tráfego ao meu redor", resmungou para a Ferrari. Os italianos, aliás, lideravam após 15 minutos de sessão: Kimi Räikkönen, de ultramacios, de 1min35s514.
Lewis Hamilton e Sebastian Vettel quase se tocam (Foto: Reprodução/Twitter)

Fernando Alonso e Valtteri Bottas também começaram um jogo de gato e rato e quase se tocaram numa disputa para ver quem aguentava se arriscar mais. Tanto que a Mercedes acionou o rádio para avisar a Bottas que "Alonso está só jogando com você". No fim da volta, de fato, o piloto da McLaren parou nos boxes.

Último a dar volta rápida, Brendon Hartley mostrou algumas problemas da Toro Rosso. No meio da reta oposta, uma aleta simplesmente soltou-se do carro e saiu voando. Uma peça com atividade aerodinâmica e, portanto, Hartley precisou checar para ver se estava tudo bem, e recebeu o OK do time de Faenza.

Enquanto a maior parte das equipes trabalhava forte na simulação de corrida – inclusive Mercedes e Red Bull -, a Ferrari apostava na preparação para classificação. Com ultramacios, Räikkönen e Vettel sobravam para o resto do pelotão. Após 30 minutos de treino, Esteban Ocon e Stoffel Vandoorne eram, respectivamente, terceiro e quarto colocados. Räikkönen tinha 1min34s419 e Vettel ficava em 1min34s551.
 
Hamilton parou nos boxes para mais uma troca de pneus e não gostou da multidão de gente da Mercedes que encontrou ali. Avisou que era perigoso e que, caso tivesse entrado mais rápido, podia ter atropelado todo mundo. E a Mercedes começou a melhorar voltas. Bottas, ainda de supermacios, pulou para o terceiro posto somente 0s005 atrás de Vettel. 
 
Com 25 minutos restantes, atrás das Ferrari e da Mercedes de Bottas, entre o quarto e o nono posto aparecia uma Force India – de Ocon -, a Renault de Carlos Sainz, a Sauber de Charles Leclerc, a McLaren de Vandoorne, a Haas de Romain Grosjean e a Williams de Lance Stroll. Durou pouco, pois, porque Sergio Pérez e Nico Hülkenberg logo mostraram que Renault e Force India estavam um passo à frente. 
Sebastian Vettel (Foto: Beto Issa)

De pneus ultramacios, Hamilton partiu para a parte mais veloz dele no treino. A primeira volta não foi boa, teve erros e mandou o líder do campeonato apenas para o quarto posto. Enquanto isso, o rival dele na disputa pelo título partia para a ponta: 1min33s797.

 
E Alonso voltou a aparecer. Na última parada para troca de pneus, reclamou por quase ter atropelado o mecânico do macaco traseiro. Nem com o pessoal da Indy de visita Alonso aparentava maior paciência com a F1.
Enquanto quase todos os pilotos estavam na pista no minuto final para melhorar as voltas – muitos, como os dois da Red Bull, reservaram este momento para uma rápida preparação para classificação -, Hartley perdeu o controle do carro e derrapou na curva 19. O carro da Toro Rosso veio de lado na pista e causou uma rápida bandeira amarela. 
 
No fim, uma última tentativa de Hamilton jogou o líder do campeonato para apenas 0s073 atrás do rival e 0s027 ainda mais lento que Räikkönen. A dupla da Ferrari fechou o treino de pista seca na ponta. 

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP dos Estados Unidos de F1 neste fim de semana com a repórter Evelyn Guimarães.



E o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece este ano nos dias 9, 10 e 11 de novembro, no autódromo de Interlagos. Os ingressos para a corrida estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br.

F1, GP dos EUA, Austin, TL3

1 S VETTEL Ferrari 1:33.797   20
2 K RÄIKKÖNEN Ferrari 1:33.843 +0.046 21
3 L HAMILTON Mercedes 1:33.870 +0.073 23
4 V BOTTAS Mercedes 1:34.556 +0.759 21
5 M VERSTAPPEN Red Bull Tag Heuer 1:34.703 +0.906 21
6 D RICCIARDO Red Bull Tag Heuer 1:34.910 +1.113 20
7 C LECLERC Sauber Ferrari 1:35.365 +1.568 21
8 S PÉREZ Force India Mercedes 1:35.411 +1.614 21
9 C SAINZ JR Renault 1:35.450 +1.653 21
10 R GROSJEAN Haas Ferrari 1:35.468 +1.671 19
11 E OCON Force India Mercedes 1:35.562 +1.765 22
12 P GASLY Toro Rosso Honda 1:35.713 +1.916 27
13 K MAGNUSSEN Haas Ferrari 1:35.770 +1.973 19
14 N HÜLKENBERG Renault 1:35.882 +2.085 19
15 M ERICSSON Sauber Ferrari 1:36.000 +2.203 21
16 L STROLL Williams Mercedes 1:36.188 +2.391 21
17 S SIROTKIN Williams Mercedes 1:36.193 +2.396 20
18 S VANDOORNE McLaren Renault 1:36.302 +2.505 23
19 B HARTLEY Toro Rosso Honda 1:36.330 +2.533 26
20 F ALONSO McLaren Renault 1:36.332 +2.535 20
    Tempo 107% 1:40.363 +6.566  

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube