Em “constante evolução”, Rosberg faz auto-avaliação e indica o que precisa mudar para bater Hamilton: nada

Nico Rosberg foi questionado sobre se precisa mudar algo para 2016 com a meta de bater Lewis Hamilton, mas o alemão disse que não tem nada especifico que tenha de mudar. Na verdade, o piloto da Mercedes já se vê em uma constante evolução e que isso basta

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Nico Rosberg não conseguiu ser em 2015 o mesmo piloto combativo que encarou Lewis Hamilton de frente no ano passado, especialmente na primeira metade da temporada. O alemão foi amplamente superado pelo colega de Mercedes e, em nenhum momento, conseguiu se impor. E ainda viu o inglês assegurar a taça com quatro provas de antecedência. 
 
Os números são mostram bem o que foi a temporada do filho de Keke. Foram quatro vitórias até o momento contra dez de Hamilton. O britânico também levou a melhor na disputa por poles: 11 x 5. No Mundial, a diferença atual entre eles é no momento de 73 pontos. Sem chance de título, Rosberg agora se vê na briga pelo vice-campeonato contra Sebastian Vettel, da Ferrari.
Nico Rosberg é o vice-líder do campeonato (Foto: AP)
Questionado se há algum ponto de fraqueza que precise melhorar para bater o companheiro de equipe no próximo ano, Nico afirmou que não há nada especificamente. Mas que continua com um espírito lutador a cada corrida. 
 
“Não há nada especificamente que eu queira mudar para o próximo ano ou que precise mudar”, disse o alemão aos jornalistas no paddock de Interlagos, nesta quinta-feira (12).

Rosberg acha apenas que precisa continuar evoluindo como vem fazendo nesta temporada. “Na verdade, se trata apenas de uma constante evolução. É o que um piloto de corridas pode fazer”, completou o piloto de 30 anos.

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Pilotando o melhor carro do grid, Nico também entende que a Mercedes tem seus pontos fracos e que precisa trabalhar melhor nisso para 2016. “Confiabilidade é algo que, com certeza, precisamos melhorar, porque tivemos problemas neste momento. A velocidade do carro é algo da fábrica, então precisamos continuar evoluindo e evoluindo. Na verdade, temos de apenas continuar progredindo como temos feito desde o ano passado”, acrescentou.

 
Rosberg tenta neste ano repetir a vitória no GP do Brasil no ano passado e garantir a segunda colocação no Mundial, para fechar mais um ano de sucesso da Mercedes.

GRANDE PRÊMIO acompanha o GP do Brasil com grande cobertura 'in loco' com Flavio Gomes, Evelyn Guimarães, Fernando Silva e Rodrigo Berton. Acompanhe aqui.

document.MAX_ct0 ='';
var m3_u = (location.protocol=='https:'?'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?':'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random()*99999999999);
document.write ("”);
//]]>–>

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube