Em corrida caótica com ‘briga de trânsito’ entre Hamilton e Vettel, Ricciardo vence e Stroll vai ao pódio no Azerbaijão

Aconteceu de tudo em Baku: safety-cars, bandeira vermelha, emoção, azar de Felipe Massa, 'briga de trânsito' entre Sebastian Vettel em Lewis Hamilton... tudo. Quem esperava uma vitória de Daniel Ricciardo e Lance Stroll no pódio? O GP do Azerbaijão foi inacreditável e vai ficar por muito tempo na lembrança do fã da F1

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Uma corrida que vai ser lembrada e discutida por muito tempo. O GP do Azerbaijão deste domingo (25) contrariou todos os prognósticos de que seria uma prova chata e modorrenta e, se não foi a melhor do ponto de vista técnico, foi sem dúvidas a mais empolgante e inacreditável de toda a temporada. Aconteceu de tudo no circuito urbano de Baku: entradas do safety-car, bandeira vermelha, Felipe Massa levando azar depois de pintar com chances até de vencer, Lance Stroll no pódio e uma verdadeira briga de trânsito entre Sebastian Vettel e Lewis Hamilton que vai dar ainda muito o que falar. E em meio a tantos absurdos durante a prova, o vencedor foi Daniel Ricciardo em uma verdadeira corrida de resistência.

Massa foi heróico e fez a melhor corrida em muito tempo na F1. O brasileiro pintou com chances de conquistar o pódio depois de ter finalizado a primeira parte da disputa em terceiro, antes da bandeira vermelha. Mas um problema na suspensão traseira colocou tudo a perder, pouco antes de Hamilton ter de ir aos boxes para encaixar o protetor de cabeça no seu carro e de Vettel ter cumprido uma punição de 10s por ter batido de propósito na Mercedes do britânico.

A vitória acabou caindo no colo de Ricciardo, que só teve de manter o carro na pista e não cometer erros para comemorar um triunfo improvável, o quinto da sua carreira na F1. Só não foi mais improvável que o segundo lugar de Valtteri Bottas — que chegou a andar em segundo lugar — e passou Lance Stroll na linha de chegada. Ainda assim, um resultado que nem mesmo o bilionário pai do piloto canadense, Lawrence Stroll, poderia sonhar.  Tão inacreditável quanto foi ver Fernando Alonso somando os primeiros pontos da McLaren ao terminar em nono.

Vettel, no fim das contas, ainda saiu muito no lucro ao terminar em quarto lugar, logo à frente do seu grande rival na briga pelo título da temporada. Esteban Ocon garantiu a sexta posição, seguido por Kevin Magnussen e Carlos Sainz, que rodou na primeira volta. Alonso foi o nono e Pascal Wehrlein faturou mais um ponto para a Sauber e finalizou em décimo.

Daniel Ricciardo faturou uma vitória inacreditável em Baku (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Saiba como foi o GP do Azerbaijão de F1

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

A largada em Baku só foi tranquila mesmo para Hamilton, que manteve a ponta depois de partir na pole-position. Logo na primeira curva, lá na zona da confusão, Carlos Sainz se assustou com a manobra de Daniil Kvyat — que escapou no fim da reta e voltou à pista — e rodou sozinho. Mais à frente, dois dos favoritos ao pódio, Kimi Räikkönen e Valtteri Bottas, voltaram a se tocar, com o finlandês da Mercedes levando a pior com um pneu furado. No fim das contas, Vettel assumiu o segundo lugar, com Pérez em terceiro, Verstappen em quarto e Räikkönen fechando o top-5, logo à frente de Massa.

Enquanto Hamilton tranquilamente abria 3s de frente para Vettel, Fernando Alonso lutava pelo 12º com a Sauber de Marcus Ericsson e a Toro Rosso de Sainz, ganhando boa atenção da transmissão oficial da prova. Já os pilotos que vinham mais atrás buscavam nova estratégia e antecipavam o pit-stop para tentar ir até o fim da corrida sem ter de fazer outra parada. E Jolyon Palmer encerrava sua corrida ao parar lento nos boxes da Renault.

Kvyat era mais um a deixar a corria após ter ficado com seu carro parado na pista na saída da curva 12, mas levou um bom tempo para a direção de prova acionar o safety-car. Ao mesmo tempo, Verstappen atacava Pérez pela terceira posição, mas o holandês ficava lento na pista por conta de problemas no motor, perdendo assim muitas posições, caindo para oitavo. Só depois que o SC veio à pista, o que levou vários pilotos para os boxes para as inevitáveis trocas de pneus. Em seguida, Max abandonava a corrida.

Incidente entre Bottas e Räikkönen na primeira volta do GP do Azerbaijão (Foto: Reprodução)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A relargada foi autorizada na abertura da volta 17. Hamilton nem esperou o safety-car entrar nos boxes para acelerar. Vettel veio logo atrás, mas Pérez pressionou muito o piloto da Ferrari, colocou seu carro rosáceo lado a lado e por pouco não fez a ultrapassagem. Melhor ainda foi Massa, que ganhou duas posições e subiu para quarto lugar ao superar Esteban Ocon e Räikkönen, com Lance Stroll vindo em sétimo. Mas aí o safety-car deu novamente o ar da graça. Nenhum acidente, mas a pista tinha muitos detritos, sobretudo no fim da reta dos boxes.

Ainda durante o período de safety-car, Hamilton fez o chamado 'brake test' e ficou muito mais lento na pista. Vettel tocou na traseira da Mercedes e reclamou do seu rival. De cabeça quente, depois de reclamar muito, o alemão jogou seu carro para cima de Hamilton. Um enorme erro do tetracampeão mundial e que trouxe a inevitável questão: acabou o amor entre os dois?

Na relargada, Lewis abriu vantagem, mas Vettel não conseguiu obter o melhor torque do seu motor e foi muito pressionado por Massa, Pérez e também Ocon. O brasileiro aproveitou o melhor traçado e subiu para terceiro. Logo atrás, os dois pilotos da Force India voltaram a se estranhar. O mexicano levou a pior e abandonou e Ocon caiu para o fim do grid. Outro que abandonava, por conta de um pneu furado, era Räikkönen.

No fim das contas, Massa era terceiro, seguido por Stroll e Ricciardo. Alonso figurava na oitava colocação enquanto o safety-car entrava novamente na pista. Mas eram muitos os detritos na pista, tantos que poderiam causar muitos furos de pneu, como reclamou Alonso via rádio. Assim, a direção de prova optou por paralisar a prova com 23 voltas com bandeira vermelha por motivos de segurança para poder limpar o asfalto.

Como não há regime de parque fechado durante período de bandeira vermelha, Ferrari e Force India trabalharam  duro e conseguiram colocar novamente na prova Räikkönen e Pérez, respectivamente. O GP do Azerbaijão era inacreditável.

Problema na suspensão traseira encerrou a bela jornada de Felipe Massa em Baku (Foto: Reprodução)

Quando o safety-car voltou à pista para completar uma volta de aquecimento antes da relargada, Massa se queixou de problemas no seu carro. Vettel e Hamilton quase se tocaram novamente, até que a corrida foi retomada de vez às 19h18 locais. Lewis manteve a liderança e era seguido por Vettel. Ricciardo passou Massa e Stroll e subiu para terceiro, seguido pelo canadense. Felipe ficava mais lento na psita e realmente tinha problemas de vibração no FW40. Na volta seguinte, Magnussen fez uma bela manobra e passou de uma só vez Massa e Nico Hülkenberg.

Massa teve de abandonar depois de uma grande corrida em Baku. Hülkenberg também deixava a prova depois de bater sozinho no muro e jogar por água abaixo mais uma chance de pódio na F1. Stroll vinha em quarto, seguido por Magnussen e Alonso, sexto lugar. E Hamilton vivia um problema curioso que colocava em xeque sua vitória: o protetor de cabeça do seu carro começou a se soltar. Drama da Mercedes e de Lewis, que tentava segurar a peça para evitar uma parada nos boxes que deixaria a prova de bandeja para Vettel.

Hamilton teve de ir para os boxes fazer o reparo. Só que, no momento em que Lewis fazia sua parada, Vettel recebia a notícia de que era punido pelo incidente com o britânico e teria de pagar uma punição de 10s no pit-lane. Quando voltou, o alemão conseguiu se colocar à frente de Hamilton em uma corrida insana que tinha Ricciardo como novo líder, Stroll em segundo e Magnussen em terceiro. Inacreditável, como também incrível foi a disputa de Hamilton e Vettel por posição com… Alonso! Mas a McLaren não tinha a menor chance de competir contra os dois.

Batalha entre campeões mundiais: Vettel, Alonso e Hamilton (Foto: Reprodução)

Impressionante também era a presença de Ocon em terceiro lugar depois de ultrapassar Magnussen, enquanto Bottas, em corrida de sobrevivência, aparecia já em quarto. Räikkönen e Pérez eram punidos porque Ferrari e Force India trabalharam nos carros em espaço não-permitido no pit-lane. E até Wehrlein e Ericsson, os dois pilotos da Sauber, se estranhavam na pista.

Bottas finalmente passava Ocon na abertura da volta 40, enquanto o jovem francês estava na alça de mira de Vettel e Hamilton para logo ser ultrapassado também pelos dois. Ricciardo continuava na frente e fazia uma corrida isolada, enquanto o piloto da Mercedes tentava alcançar Stroll e alcançar um improvável segundo lugar depois de ter caído para último.

O GP do Azerbaijão foi empolgante até a bandeira quadriculada. Ricciardo cruzou a linha de chegada na frente, e Bottas fez a ultrapassagem sobre Stroll no instante final. Fantástico! O canadense ainda conseguiu terminar em terceiro, outro resultado inacreditável neste domingo. Na batalha entre os protagonistas do campeonato, Vettel terminou à frente de Hamilton, e Alonso, finalmente, marcou os primeiros pontos da McLaren na temporada. Uma corrida para a história da F1.

F1 2017, GP do Azerbaijão, Baku, corrida, final:

1   3 Daniel RICCIARDO AUS Red Bull Tag Heuer   51 voltas
2   77 Valtteri BOTTAS FIN Mercedes +3.904  
3   18 Lance STROLL CAN Williams Mercedes +4.009  
4   5 Sebastian VETTEL ALE Ferrari +5.976  
5   44 Lewis HAMILTON ING Mercedes +6.188  
6   31 Esteban OCON FRA Force India Mercedes +30.298  
7   20 Kevin MAGNUSSEN DIN Haas Ferrari +41.753  
8   55 Carlos SAINZ JR ESP Toro Rosso Renault +49.400  
9   14 Fernando ALONSO ESP McLaren Honda +59.551  
10   94 Pascal WEHRLEIN ALE Sauber Ferrari +1:29.893  
11   9 Marcus ERICSSON SUE Sauber Ferrari +1.31.794  
12   2 Stoffel VANDOORNE BEL McLaren Honda +1:32.160  
13   8 Romain GROSJEAN FRA Haas Ferrari +1 volta  
14   7 Kimi RÄIKKÖNEN FIN Ferrari +3 voltas NC
15   11 Sergio PÉREZ MEX Force India Mercedes +10 voltas NC
16   19 Felipe MASSA BRA Williams Mercedes +25 voltas NC
17   27 Nico HÜLKENBERG ALE Renault +26 voltas NC
18   33 Max VERSTAPPEN HOL Red Bull Tag Heuer +38 voltas NC
19   26 Daniil KVYAT RUS Toro Rosso Renault +41 voltas NC
20   30 Jolyon PALMER ING Renault +43 voltas NC
               
               
Recorde Lewis HAMILTON ING Mercedes 1:40.593 24/06/2017
Melhor volta Sebastian VETTEL ALE Ferrari 1:43.441 25/06/2017

NOVA DERROTA EM 2017 MOSTRA QUE TOYOTA E LE MANS SÃO COMO ‘ÁGUA E ÓLEO’

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube