Em TL3 acidentado no Japão, Mercedes sobra com pista seca e impõe dobradinha com Bottas à frente de Hamilton

A terceira sessão de treinos livres da F1 foi marcada por diversos incidentes, com destaque para batidas de Valtteri Bottas e Kimi Räikkönen. Ainda assim, o finlandês da Mercedes foi capaz de liderar a dobradinha da Mercedes neste sábado (7) em Suzuka, palco do GP do Japão

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A Mercedes deu o troco na Ferrari com pista seca neste sábado (7), e mostrou força e ritmo usando os pneus macios. E, ainda que tenha visto Valtteri Bottas estampar a lateral do W08 na saída da Spoon, a equipe prateada fechou a última sessão antes da classificação do GP do Japão na ponta e com uma importante dobradinha, em que o próprio Bottas se colocou como o mais veloz. A diferença entre os dois pilotos prateados foi de apenas 0s014. O detalhe aqui é os melhores tempos foram registrados os compostos amarelos. A equipe não conseguiu espaço para andar com os supermacios devido aos incidentes que marcaram o TL3. 

Quem mais se aproximou dos carros alemães foi Sebastian Vettel. Dividindo a sessão entre simulação de corrida e classificação, o tetracampeão da Ferrari terminou na terceira colocação, mas a quase quatro décimos dos rivais. Aqui há outro detalhe: o melhor desempenho veio em cima dos pneus supermacios. 

A Red Bull apareceu na sequência com Max Verstappen, à frente de Daniel Ricciardo, revezando o uso dos dois principais compostos. Felipe Massa terminou em 11º, melhorando a performance já nos instantes finais.

A F1 volta agora para a definição do grid, a parti das 3h (de Brasília). 

Valtteri Bottas liderou o TL3 (Foto: Mercedes)

Confira como foi o terceiro treino livre do GP do Japão de F1

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

O sábado começou nublado em Suzuka, depois de um dia e uma madrugada chuvosa na região da pista japonesa. Assim, o asfalto estava muito úmido em alguns pontos do circuito quando a luz verde no fim do pit-lane autorizou o início da última sessão de treinos livres antes da classificação. E apesar da condição do traçado, todo mundo saiu com os pneus slicks. Novamente, a Mercedes optou por começar seus stints com os compostos macios, assim como Sebastian Vettel e os dois carros da Renault. Apenas Pierre Gasly, com a Toro Rosso, preferiu andar com os supermacios nos primeiros minutos de atividades.

 
Diante desse cenário, Lewis Hamilton abriu o cronômetro com 1min29s699. O inglês chegou a ser superado pelo companheiro Valtteri Bottas, mas logo retomou a ponta ao virar 1min29s069, batendo o finlandês em quase meio segundo. Felipe Massa, também de macios, se colocou em terceiro lugar momentaneamente, mas andando logo das Mercedes – 2s5 atrás do tricampeão.
 
Aí Bottas recuperou a ponta novamente – mas apenas 0s014 mais veloz que Lewis. Na verdade, a dupla prateada vinha testando o composto com menos peso no carro. Atrás dos dois, Fernando Alonso apareceu em terceiro, a 1s8 do #77. O espanhol, apesar do início promissor com os pneus supermacios, já estava fadado ao último lugar do grid, por conta de uma nova troca de motor. Massa vinha em quarto, à frente de Gasly e Lance Stroll.
Lewis Hamilton começou o treino andando com os pneus macios (Foto: Mercedes)
A Ferrari, por sua vez, era representada por Sebastian Vettel em sétimo e Kimi Räikkönen em oitavo. A dupla ferrarista, diferente da estratégia da Mercedes, se dedicava à simulação do ritmo de corrida. Tanto que foi à pista com pneus usados, mas com compostos diferentes. Enquanto o alemão andava com os macios – virando na casa de 1min33s486 -, o finlandês guiava em cima dos vermelhos, mas completando tempos muito acima, em 1min33s962. 
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Enquanto isso, a Red Bull mandava já seus pilotos à pista e também em táticas diferentes, com o objetivo de avaliar o comportamento do carro com os macios e supermacios. Neste cenário, Max Verstappen mostrou força ao cravar a terceira marca, usando os compostos amarelos. Daniel Ricciardo, com os vermelhos, surgiu logo atrás. E a distância era de pouco menos de 0s4. Alonso, Massa, Gasly, Stroll, Vettel e Räikkönen completavam os dez primeiros.
 
Pouco antes de a sessão atingir a marca de 20 minutos, a direção de prova precisou acionar a bandeira vermelha. Isso por culpa de Bottas, que havia acabado de iniciar um stint com os pneus supermacios. O finlandês perdeu o carro na saída da Spoon e foi batendo na proteção lateral da pista, deixando um rastro de detritos. Por isso, os fiscais tiveram de entrar no circuito para a limpeza.
Valtteri Bottas escapou da pista e bateu na lateral (Foto: Reprodução/TV)

Pouco antes do incidente, Ricciardo e Vettel também já havia escapado do traçado em uma clara dificuldade de aderência neste início de dia na F1. 

A sessão ganhou vida novamente às 12h31 (hora local), 0h31 (de Brasília). Aí muita gente tratou de deixar os boxes rapidamente. E foi neste momento que Räikkönen, agora calçado com os pneus supermacios, perdeu a Ferrari na entrada da curva Degner e foi bater forte do outro lado, na barreira de proteção. O finlandês escapou ileso, mas uma nova bandeira vermelha foi necessária para os reparos na área de escape.

Os fiscais trabalharam mais rápido desta vez, a sessão reiniciou às 0h39. E protocolo seguiu o mesmo de antes. Todo mundo tratou de sair logo, agora visando o ritmo de classificação, mas houve quem preferiu se dedicar à corrida de domingo, caso de Sebastian Vettel. Tanto que o pneu escolhido foi mesmo o supermacios – a versão mais mole do fim de semana nipônico da F1. 

No fim, Vettel ainda conseguiu melhorar e pulou para a terceira colocação da tabela, com longe da Mercedes – quase 0s4 atrás de Bottas. Quem também melhorou foram os pilotos da Red Bull. Max Verstappen e Daniel Ricciardo subiram para quarto e quinto, empurrando Esteban Ocon para a sexta colocação. Felipe Massa também reagiu e terminou a sessão em 11º.

GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da F1 no Japão AO VIVO e em TEMPO REAL, com livetiming e gráfico interativo.

1   77 Valtteri BOTTAS FIN Mercedes 1:29.055  
2   44 Lewis HAMILTON ING Mercedes 1:29.069 +0.014
3   5 Sebastian VETTEL ALE Ferrari 1:29.379 +0.324
4   33 Max VERSTAPPEN HOL Red Bull Tag Heuer 1:29.910 +0.855
5   3 Daniel RICCIARDO AUS Red Bull Tag Heuer 1:30.018 +0.963
6   31 Esteban OCON FRA Force India Mercedes 1:30.109 +1.054
7   27 Nico HÜLKENBERG ALE Renault 1:30.315 +1.260
8   14 Fernando ALONSO ESP McLaren Honda 1:30.424 +1.369
9   11 Sergio PÉREZ MEX Force India Mercedes 1:30.563 +1.508
10   30 Jolyon PALMER ING Renault 1:30.764 +1.709
11   19 Felipe MASSA BRA Williams Mercedes 1:30.764 +1.709
12   2 Stoffel VANDOORNE BEL McLaren Honda 1:30.770 +1.715
13   55 Carlos SAINZ JR ESP Toro Rosso Renault 1:30.799 +1.744
14   20 Kevin MAGNUSSEN DIN Haas Ferrari 1:30.982 +1.927
15   18 Lance STROLL CAN Williams Mercedes 1:31.011 +1.956
16   10 Pierre GASLY FRA Toro Rosso Renault 1:31.353 +2.298
17   8 Romain GROSJEAN FRA Haas Ferrari 1:31.459 +2.404
18   9 Marcus ERICSSON SUE Sauber Ferrari 1:32.579 +3.524
19   94 Pascal WEHRLEIN ALE Sauber Ferrari 1:32.698 +3.643
20   7 Kimi RÄIKKÖNEN FIN Ferrari 1:33.962 +4.907
          Tempo 107% 1:35.289 +6.234
               
Recorde Michael SCHUMACHER ALE Ferrari 1:28.954 07/10/2006
Melhor volta Kimi RÄIKKÖNEN FIN McLaren Mercedes 1:31.540 09/10/2005

#GALERIA(7206)

HÁ ESPERANÇA?

MESMO COM RESULTADO RUIM, VETTEL GANHA FORÇA NA MALÁSIA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube