Equipes da F1 fazem pressão por substituição da Pirelli pela Michelin a partir de 2017, diz TV

De acordo com a emissora BBC, as principais equipes da F1 estão insatisfeitas com o trabalho desempenhado pela Pirelli e pressionam Bernie Ecclestone por uma mudança em favor da Michelin para ser a próxima fornecedora de pneus da categoria

Os problemas ocorridos nos pneus durante o fim de semana do GP da Bélgica seguem dando dor de cabeça para a Pirelli. Segundo a emissora britânica BBC, as principais equipes da F1 estão fazendo pressão para que Bernie Ecclestone escolha a Michelin ao invés da fornecedora italiana para fornecer seus pneus à categoria a partir de 2017. Desde 2011, a fábrica de Milão atua como fornecedora exclusiva da F1, mas neste ano participa de um processo seletivo junto com a Michelin para definir quem entregará seus pneus ao certame daqui a dois anos.

Embora Bernie tenha mostrado toda sua confiança no trabalho da Pirelli e apoie integralmente a fábrica italiana, as equipes da F1 vem evidenciando a insatisfação com o trabalho desenvolvido pelos comandados de Paul Hembery e, por isso, têm preferência pela Michelin, que entregou seus pneus à F1 pela última vez em 2006.

As principais equipes da F1, segundo a BBC, mostram preferência pela Michelin para fornecer pneus a partir de 2017 (Foto: Michelin)

Não apenas as equipes, mas muitos pilotos colocaram em xeque o trabalho da Pirelli nos últimos meses e questionaram se, de fato, a empresa milanesa é a fornecedora que a F1 precisa no momento. “Há um número de pessoas que colocam essa posição bem clara para Bernie”, declarou, à BBC, uma fonte que não quis se identificar.

No fim de semana do GP da Itália, Ecclestone se reuniu com alguns pilotos e passou um ‘cala-boca’, pedindo um tom mais ameno às críticas feitas por eles à Pirelli. Durante a reunião, uma fonte anônima, que esteve presente no encontro, revelou à emissora que disse à Pirelli que “nenhum desses pilotos têm fé nas suas capacidades como fornecedor de pneus da F1”. Na Bélgica, Sebastian Vettel e Nico Rosberg, que sofreram na pele com estouro dos seus pneus, foram os mais revoltados com a situação.

Em Spa-Francorchamps, a Pirelli alega que os pneus sofreram a degradação em razão dos detritos na pista. A resposta não agradou em nada os pilotos. Ocorre que muitos ficaram insatisfeitos por contarem com pneus de desgaste mais alto, que foi aquilo que Ecclestone pediu à Pirelli quando a fábrica voltou a fornecer os pneus à F1.

Depois do encontro em Monza, Hembery, diretor-esportivo da Pirelli, deixou claro que se mostrou aberto ao diálogo e entende que o intercâmbio de informações entre fornecedora, pilotos, equipes e Ecclestone é a melhor saída para tornar o esporte melhor. Mas um piloto de ponta questionou se a Pirelli é capaz de produzir pneus do agrado dos competidores.

“Nós concordamos em seguir falando com a Pirelli, mas essa não é a questão principal. A questão é: eles poderiam produzir os pneus que nós queremos se nós pedíssemos isso a eles?”, indagou à emissora.

Diferente da Pirelli, a Michelin tem uma proposta de adotar para 2017 pneus mais duráveis e que proporcionem aos pilotos uma busca mais intensa pela performance do que a preocupação atual em poupar os compostos em razão do alto desgaste oferecido pela configuração de momento. E apesar da preferência de Bernie pela Pirelli, um chefe de equipe, também sob a condição de anonimato, foi claro. “O contrato vai para o lance mais alto. É assim que funciona no mundo todo.”

Segundo a reportagem, a Pirelli foi procurada, mas não quis comentar o teor das declarações.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube