Ex-dirigente da Brawn revela que Alonso recusou proposta em 2009 e diz: “Pode acabar como talento perdido”

Nick Frye, então diretor executivo da Brawn GP, buscou Fernando Alonso para a temporada 2009. O espanhol, comprometido com a Renault, disse não e desperdiçou a chance clara de brigar pelo terceiro título na F1

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A carreira de Fernando Alonso acabou marcada pelas decisões ruins. Mesmo marchando sempre em equipes de ponta, o espanhol nunca conseguiu estar no lugar certo para dar sequência aos dois títulos conquistados na Renault. Uma das oportunidades perdidas veio no começo de 2009: Alonso recusou uma proposta para pilotar pela Brawn GP, que viria a ser Campeã de Construtores e de Pilotos com Jenson Button.
 
A revelação vem através de Nick Fry, diretor executivo da Brawn GP em seu único ano de existência. O britânico acredita que a decisão custou pelo menos dois títulos mundiais ao piloto.
 
“Alonso deveria ter pilotado para Ross Brawn em 2009. Se ele tivesse feito isso, seria um tetracampeão hoje. Alonso pode acabar como um talento perdido. Se tivesse feito as decisões corretas, conseguiria muito mais”, disse.
O CANADÁ É PARA HAMILTON O QUE MÔNACO FOI PARA SENNA?

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

A Brawn virou um fenômeno na F1 (Foto: Brawn GP)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A decisão se provou errada, mas é inegável que assinar com a Brawn não parecia um bom negócio no início de 2009. A equipe recém havia perdido o apoio da Honda e nem sabia ao certo se teria condições de seguir existindo de forma independente. O que salvou a trupe foi um carro quase perfeito de Ross Brawn, que empilhou vitórias na primeira metade do campeonato.
 
Enquanto isso, Alonso sofria com um carro decepcionante da Renault. O piloto brigava apenas por pontos com uma equipe que acabou apenas em oitavo entre Construtores.

Mesmo com as decisões erradas, Alonso afirmou recentemente que não tem arrependimentos ao longo da carreira na F1.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube