Ex-piloto de Ferrari e McLaren, Berger fratura braço em acidente de esqui na Áustria

Após Michael Schumacher, o esqui ganha as manchetes dos portais de automobilismo mais uma vez com o acidente sofrido por Gerhard Berger nesta semana


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Gerhard Berger quebrou o braço em um acidente de esqui na Áustria na última quinta-feira (9), de acordo com informações da imprensa local. Ele foi resgatado de helicóptero para um hospital na cidade St. Johann im Tirol e passou o fim de semana em observação.

Hoje com 54 anos, Berger se aposentou da F1 no fim de 1997. Na categoria, defendeu ATS, Arrows, Benetton, Ferrari e McLaren, somando um total de dez vitórias e 12 pole-positions. Seus melhores resultados no Mundial de Pilotos foram terceiros lugares em 1988 e 1994. Após a aposentadoria, ainda voltou ao Mundial como chefe de equipe. Atualmente, preside a comissão de categorias de base da FIA.

Berger quebrou o braço em acidente de esqui (Foto: Red Bull)


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Felizmente, o desfecho do acidente de Berger foi menos grave que o de Michael Schumacher. O heptacampeão da F1 caiu e bateu a cabeça em uma pedra na estação de Méribel, nos Alpes Franceses, em 29 de dezembro. O alemão continua internado em coma no Centro Hospitalar Universitário de Grénoble.

O último posicionamento oficial sobre a condição de Schumacher foi de que “nada mudou” e que os médicos continuam trabalhando para tirá-lo do coma.

Nesse meio tempo, outro incidente de esqui que teve repercussão no noticiário foi o da primeira-ministra alemã Angela Merkel. A chanceler quebrou a pélvis.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube