Ex-presidente da FIA diz que novo regulamento leva F1 para “direção errada” e ressalta perigo com carros mais rápidos

Max Mosley não está tão empolgado assim com o novo regulamento técnico que vai deixar a F1 mais rápida a partir desta temporada. O ex-presidente da FIA questionou os rumos do esporte e alertou para a segurança: “Velocidade é igual a perigo, obviamente”

 

Presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) entre 1993 e 2009, Max Mosley jamais deixou de acompanhar a F1. Ao contrário. Sempre, vez ou outra, o britânico, hoje com 76 anos, emite suas opiniões a respeito dos rumos da categoria. No último fim de semana, o ex-dirigente falou à emissora ITV e expressou preocupação a respeito do futuro da F1 com a adoção do novo regulamento técnico, que deixará os carros entre 3 e 5s mais rápidos. Mosley parte do princípio que a filosofia do novo regulamento levará o esporte para um caminho errado e alertou para o perigo que os carros novos podem proporcionar a partir deste ano.

 
“Meu ponto de vista pessoal é que isso pode estar na direção errada. Eu iria por menos aerodinâmica e, portanto, mais aderência mecânica. Deliberadamente, se preparar para tornar os carros mais rápidos é questionável porque todas as regras nos últimos 40 ou 50 anos foram para tornar os caros mais lentos, mais lentos ou mais seguros, porque a velocidade é igual a perigo, obviamente”, salientou Mosley.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Ex-presidente da FIA, Max Mosley questionou os novos rumos da F1 com o regulamento técnico (Foto: Getty Images)
O britânico também não se furtou a falar do Liberty Media e do que espera dos novos donos da F1. No momento, Mosley quer esperar um pouco mais para ver o que o conglomerado norte-americano poderá fazer para mudar e melhorar o esporte.
 
“Não é porque algo foi bem-sucedido que não pode ser feito melhor. É difícil dizer. Eles podem ser brilhantes e ter pensado na coisa como um todo. Por outro lado, eles podem encontrar mais dificuldades do que eles imaginavam. Eu sempre imagino se alguém me coloca em uma corrida e diz: ‘beleza, você tem de dar um jeito nisso’. Parece sempre fácil olhando do lado de fora”, observou.
 
“Você vê todas as coisas que você acha que estão dando errado. E então, quando você começa a checar os arquivos e os dossiês, então você vê o que realmente está acontecendo”, ponderou Mosley.
 
Entretanto, Max entende que a escolha do Liberty Media por Ross Brawn como diretor esportivo foi acertada.
 
“Ross entende completamente o esporte e entende o que é preciso ser feito. Ele tem um cérebro bastante analítico. Acho que ele vai ser um grande trunfo, de modo que esse lado não é realmente o que o Liberty vai estar fazendo. Ross é excelente, então eles fizeram uma boa escolha”, finalizou o ex-mandatário da FIA.
 
PADDOCK GP #63 DEBATE CRISE NA F-TRUCK

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube