Ferrari admite: favoreceu Vettel contra Leclerc por vitória “fundamental” em Singapura

Quando a Ferrari resolveu parar Sebastian Vettel bem antes e jogá-lo do terceiro posto para a liderança e com sobra em Singapura, foi um movimento premeditado para recuperar a confiança do tetracampeão. Quem abriu o jogo foi o chefe Mattia Binotto

A Ferrari favoreceu Sebastian Vettel para deixar que o tetracampeão levasse a melhor contra Charles Leclerc e vencesse o GP de Singapura de 2019. Não se trata de uma afirmação descabida, mas de uma confirmação da própria Ferrari meses após o incidente. De acordo com o chefe Mattia Binotto, a decisão correta para ajudar na recuperação da confiança de Vettel.
 
O que aconteceu em Singapura foi que Vettel caminhava em terceiro, atrás de Leclerc e de Lewis Hamilton, mas o alemão foi chamado primeiro aos boxes, parou e acabou fazendo o chamado undercut – ultrapassagem sem confronto na pista, apenas pelo trabalho na parada. Com Vettel na frente, a Ferrari permitiu que o piloto pegasse o espaço vazio à frente e abrisse espaço. Leclerc ficou para trás e terminou brigando com Max Verstappen pelo segundo posto.
 
Segundo Binotto, foi fundamental para passar confiança a Vettel após um começo difícil. Ainda chamou o campeão de "piloto-chave" e "central para nosso projeto".
 
"Ele ficou desconfortável com o carro desde o começo da temporada, certamente com a instabilidade dos freios. Acredito que o desafio [de Leclerc] para ele foi bom, porque ter um companheiro tão rápido dá algumas dores de cabeça. Para melhorar, ele é sempre muito analítico. Aborda o exercício, não é emocional neste sentido, avalia as informações, compara os setores sempre buscando onde foi melhor ou pior", contou.
O pódio do GP de Singapura (Foto: Ferrari)
"Na primeira parte da temporada, foi colocado sob muita pressão não apenas pela vitória, mas pela confiança na equipe. Sabia que poderia contar com a equipe se necessário fosse. Então acho que foi correto dar a ele a chance de vencer", opinou.
 
Conforme a Ferrari melhorou as características do carro para fazer curvas, na segunda metade do campeonato, os resultados passaram a melhorar e Vettel, segundo o chefe, também cresceu de produção. Antes das férias, a posição média de largada para Seb foi de 3.7, mas passou para 2.5 depois. 
 
"Quando ele passou a ter muita confiança no carro, creio que foi muito rápido. Se você olhar para o ritmo de corrida, foi muito similar ao de Charles, que foi mais rápido, aí, sim, na classificação. Então eu diria parabéns a ele pela segunda parte da temporada – parabéns pela forma que reagiu depois de uma primeira parte que não foi simples", finalizou.
 
Vettel tem mais um ano de contrato com a Ferrari, ao passo que Leclerc fechou acordo até 2024.
 

Paddockast #46
OS 10 MELHORES PILOTOS DA DÉCADA

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube