Ferrari apoia teto orçamento para evitar “morte” da Fórmula 1

Diretor-executivo da Ferrari, Louis Camilleri saiu em defesa da sustentabilidade econômica da Fórmula 1. O dirigente alegou que é importante controlar os custos para garantir a sobrevivência do campeonato

Diretor-executivo da Ferrari, Louis Camilleri saiu em defesa do teto orçamentário da Fórmula 1. Na visão do dirigente, é importante manter os custos sob controle para garantir que o campeonato se mantenha viável.
 
A partir de 2021, o Mundial vai adotar um teto orçamentário de US$ 175 milhões [cerca de R$ 706 milhões], mas o montante não engloba desenvolvimento do motor ou o salário dos pilotos.
 
“Acho que atingimos um equilíbrio relativamente bom em termos de teto orçamentário, o que hoje se aplica ao chassi”, disse Camilleri. “Nós somos favoráveis a isso, porque achamos que é importante para a sustentabilidade econômica da F1”, comentou.
A largada do GP de Abu Dhabi de F1 (Foto: AFP)
Paddockast #46
OS 10 MELHORES PILOTOS DA DÉCADA

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

“Com o tempo, esse limite orçamentário vai abranger mais do carro, as unidades de potência, os pilotos também e várias outras coisas”, apontou. “Pois, no fim, se o esporte não é economicamente viável, lentamente ele vai morrer. Então vemos como responsabilidade assegurar que será economicamente viável”, continuou. 
 
“E, ao fazer isso, tenho de dizer que nós fizemos, e outros, que principalmente fizemos certos sacrifícios, para que as equipes menores recebam mais dinheiro”, destacou. “Ainda não está lá em muitos detalhes, mas acho que em termos dos princípios de fato, estamos essencialmente ok”, comentou.
 
“Quando você tem dez equipes com visões todas diferentes, vai ter sempre uma discussão continua”, completou.
 
No próximo acordo, a Ferrari terá seu bônus diminuído. No pacto atual, a escuderia de Maranello era a quem mais dinheiro recebia, mesmo sem conquistar o título desde 2008.
 
“Este ano foi critico em termos de tentar finalizar o Pacto da Concórdia e os vários capítulos dos regulamentos técnicos e financeiros”, explicou. “Aí, tem os aspectos de governança. E acho que teve um progresso significativo”, frisou.
 
“Nós, enquanto Ferrari, assumimos muito um papel de liderança por causa da nossa história, por causa da importância da F1 para a Ferrari”, justificou. 
 
Por Camilleri se disse feliz com o que progresso das negociações e se mostrou confiante no acordo de todas as equipes.
 
“Estou bem confiante de que um acordo será feito entre todos no melhor interesse de todo mundo”, declarou. “Minha experiência passada em outras coisas, outros negócios, é que quando você tem competidores, é sempre muito difícil atender as intenções de todo mundo”, reconheceu.
 
“Mas, no fim, eles vão ver o benefício geral. Mattia [Binotto] em especial, teve um papel de liderança com a FIA, com os outros times. Então estamos bem satisfeito com esse progresso nessa frente”, concluiu.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube