Ferrari vê disputa “acirrada” na F1, mas afasta “abalo” após Canadá: “Temos de aceitar”

Frédéric Vasseur, chefe da Ferrari, afirmou que atualizações, variações de pista ou mesmo clima podem fazer o grid oscilar bastante, portanto a meta é marcar "bons pontos" sempre que possível

A temporada 2024 da Fórmula 1 tem sido marcada por uma competitividade bem maior que o esperado, com McLaren, Ferrari e Mercedes equilibrando o jogo contra a Red Bull de Max Verstappen em determinadas pistas. Mas se por um lado é positivo, também vira uma espécie de loteria — algo que Frédéric Vasseur admitiu que é preciso aceitar e focar em somar o máximo de pontos quando um fim de semana não sair conforme o esperado.

Na corrida realizada em Montreal, tanto Charles Leclerc quanto Carlos Sainz saíram sem nenhum ponto. Ainda na classificação, ambos caíram no Q2. Já na corrida, o monegasco teve problemas no motor e abandonou, enquanto Sainz perdeu o controle em determinado momento e bateu.

Relacionadas


O resultado foi um baque para a Ferrari, que perdeu ótima chance de deixar o Canadá na liderança do Mundial de Construtores, uma vez que chegou à nona etapa da temporada apenas 24 pontos atrás da Red Bull. Ao F1 Podcast, Vasseur admitiu que esta é uma realidade que precisa ser encarada, portanto qualquer erro pode ser decisivo.

“A disputa agora está tão acirrada que, de um fim de semana para outro, pode-se passar de primeiro para oitavo, ou de oitavo para primeiro”, começou o dirigente francês.

Charles Leclerc não conseguiu concluir a prova no Canadá (Foto: Ferrari)

“A Red Bull teve dificuldades em Mônaco, mas voltou no Canadá. Tem sido assim. De uma atualização para outra, dependendo do layout da pista, do composto dos pneus ou das condições climáticas, o grid vai mudar”, enfatizou.

“Significa que temos de aceitar que vai ser assim, marcar bons pontos quando não estivermos bem. E foi nisso que caímos no Canadá, pois foi um fim de semana difícil. Não marcamos pontos, mas temos de manter esta dinâmica e abordagem e não nos abalarmos tanto”, completou Vasseur.

Outro ponto que também tem sido bastante trabalhado é o caráter motivacional da equipe, desde a fábrica em Maranello até o estafe que atua em pista. “O mais importante é convencer todos na empresa de que são um diferencial de desempenho.”

“Cada membro da equipe terá de contribuir para o desempenho. Não é apenas o engenheiro-chefe, são todos. É conseguir produzir um pouco mais rápido, mais leve, um pouco mais barato ou menos caro. E se todos nós avançarmos na mesma direção com essa atitude positiva, vai dar certo”, concluiu Vasseur.

Fórmula 1 volta entre os dias 21 e 23 de junho, em Barcelona, com o GP da Espanha, décima etapa da temporada 2024. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento, assim como de todas as provas do ano.

Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.