Ferrari rebate crítica de Wolff a “grid de F2” em 2023: “Igual quando Mercedes dominava”

Frédéric Vasseur, chefe da Ferrari, não gostou de Toto Wolff ter comparado o grid atual com os carros da categoria de base e ainda disse: "Dê a ele um carro de F2 para ver"

A Red Bull corre contra si mesma na temporada 2023 da Fórmula 1, e o impressionante domínio rendeu uma comparação um tanto inusitada da parte de Toto Wolff, chefe da Mercedes, dizendo que o resto do grid parece a Fórmula 2. Mas nem todos gostaram do exemplo, como o chefe da Ferrari, Frédéric Vasseur, que ainda cutucou a rival, lembrando que o mesmo acontecia quando os alemães dominavam.

O dirigente francês foi questionado após o GP da Hungria, realizado no último domingo, sobre a declaração de Toto e foi direto: “Dê a ele um carro de F2 para ver”, disparou. Depois, citou que não era a primeira vez que a categoria se via diante de um domínio tão grande.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

F1 2023, GP DA INGLATERRA, SILVERSTONE, MERCEDES, TOTO WOLFF, AFP
Toto Wolff chamou o grid atual da F1 de ‘F2’, mas Frédéric Vasseur rebateu (Foto: AFP)

“Red Bull está na frente, mas acho que o sentimento é o mesmo de quando a Mercedes estava na frente alguns anos atrás. E não irei por esse campo, acho sinceramente que o mais importante é estar focado em si próprio para buscar o melhor de tudo que temos, minimizar o erro, fazer um trabalho melhor, e, então, o que tiver de ser, será”, salientou. “Mas não tenho certeza se faz sentido esse tipo de suposição”, completou Vasseur.

Apesar da força incontestável dos taurinos, o chefe da Ferrari destacou que, ao menos em classificações, já foi possível ver um grid mais equilibrado em 2023, tanto que a própria escuderia de Maranello já conseguiu uma pole-position, com Charles Leclerc. A Mercedes, por sua vez, fez a pole em Hungaroring com Lewis Hamilton, enquanto a McLaren evoluiu consideravelmente nas últimas etapas. Em corridas, no entanto, Vasseur reconhece que a Red Bull “ainda possui uma enorme vantagem”.

“Para tirar essa diferença, não é pensar na Red Bull para dizer o que temos de fazer, temos de trabalhar em nós mesmos”, frisou. “Isso significa que estamos desenvolvendo, desenvolvendo em todas as direções, tentando melhorar a aerodinâmica, suspensão e o que mais for possível.”

“Estamos pressionando bastante para executar um trabalho melhor, mas se olharmos, e isso é crucial com relação aos quiques e tudo mais, não é quando você leva atualizações que dá um grande passo adiante. Levamos grandes coisas para Barcelona, e fomos potencialmente melhores na semana seguinte”, seguiu.

“Acho que a Alfa Romeo trouxe alguma coisa duas semanas atrás, e eles fizeram um ótimo trabalho aqui, ao menos na classificação. Significa que o entendimento das atualizações é algo crucial, e não se trata apenas de um pacote após o outro”, concluiu Vasseur.

Fórmula 1 volta já no próximo final de semana, entre os dias 28 e 30 de julho, para a disputa do GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da temporada 2023 AO VIVO e em TEMPO REAL. Sábado e domingo, ainda tem a transmissão em segunda tela, em parceria com a Voz do Esporte, no canal 1 do GP no YouTube.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.