Fora da F1, Rosberg reflete sobre principal mudança que o fez bater Hamilton em 2016: “Precisei defender meu espaço”

Nico Rosberg está aproveitando a vida de aposentado. E como tal, não precisa se preocupar em preparação para a temporada 2017 da F1, claro. Então aproveita para falar como foi que se preparou um ano atrás para superar Lewis Hamilton e conquistar o título mundial depois de dois anos com Lewis "passando por cima"

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

O que mudou para Nico Rosberg deixar de lado a derrota acachapante para Lewis Hamilton em 2015 e se tornar o novo campeão mundial de F1 em 2016? É um assunto que ainda se mostra relevante, mesmo dois meses após o final do campeonato – e da subsequente aposentadoria do campeão. A maior mudança promovida por Rosberg foi aprender a defender seu espaço. Foi isso que ele próprio afirmou.

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Nico foi batido sem grandes problemas em 2015 depois de também perder – mas de forma mais próxima – em 2014. Então, quando 2016 chegou, era difícil imaginar que ele pudesse dar a volta por cima. Mas Rosberg chegou diferente, dominou o início da temporada e voltou à cabeça de forma quase imparável entre o fim da primeira e começo da segunda metade do ano. Foi o bastante para administrar.

 
Em entrevista ao jornal inglês 'Daily Mail', Rosberg respondeu primeiro se a sensação da derrota é pior quando é imposta por alguém que você conhece tão bem. "É isso mesmo. A raiva é maior se a pessoa que você conhece tão bem faz alguma coisa que passa dos limites", disse.
 
Depois, avaliou as diferenças entre os dois e o que precisou fazer para, enfim, conseguir dar o salto necessário e bater Hamilton em 2016. Analisou que muitas vezes nos primeiros anos da parceria viu Hamilton passar por cima dele, e isso tinha de mudar. Que mudasse, então, com ele próprio aprendendo a se defender.
Lewis Hamilton e Nico Rosberg (Foto: Mercedes)
"Lewis é muito bom em ir até o limite sem sair da pista, graças às suas habilidades no carro. É inteligente, muito inteligente. Para mim foi mais difícil dividir roda com roda. Para ele, é natural", avaliou.
 
"Para mim, no caso, é mais racional. Preciso trabalhar em defender meu espaço. Fico mais agressivo porque várias vezes no passado ele passou por cima de mim. Tive de assistir vídeos e melhorar algumas coisas", encerrou.
 
Agora desfrutando da vida de aposentado, Rosberg não precisa pensar muito nisso este ano. Quem precisa aprender a lidar com Hamilton é o novo piloto da Mercedes, Valtteri Bottas.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube