F1 pensa no futuro e já considera abandonar motores híbridos na próxima leva de regras

Stefano Domenicali, chefe da Fórmula 1, acredita que motores híbridos podem ser substituídos a partir do sucesso dos combustíveis sustentáveis. Um aceno ao retorno de motores como os aspirados?

A Fórmula 1 já estabeleceu as diretrizes para os novos motores da categoria, que estreiam na temporada 2026. Mas qual o próximo passo depois disso? Embora ainda não se saiba qualquer passo concreto, o diretor-executivo Stefano Domenicali deu indícios do que pensa. Indicou até um retorno a motores mais tradicionais no futuro.

De acordo com Domenicali, o sucesso dos combustíveis sustentáveis, que também entram em ação em 2026, são a chave para que a F1 se veja livre dos motores híbridos no futuro – ou da ideia de motores elétricos, que revelou ter sido pressionado a instituir em dado momento. Pressão que, inclusive, fez com que a F1 aumentasse a importância da potência elétrica nos motores.

“Minha opinião pessoal é que seria suficiente usar o combustível neutro para o clima, mas tínhamos de levar em consideração o desejo das fábricas. As coisas se desenvolveram tão rapidamente que uma decisão hoje talvez fosse diferente de dois anos atrás. Não sou engenheiro, mas preciso ter uma visão daquilo que o esporte será no futuro”, afirmou em entrevista à revista alemã Auto Motor und Sport.

“Posso imaginar que, com as novas regras, podemos nos limitar apenas aos combustíveis sustentáveis. Se pudermos mostrar que é possível produzir zero emissões [com outros tipos de motor], será possível nos concentrar em outros aspectos importantes da sustentabilidade”, projetou.

Domenicali projetou o futuro da Fórmula 1 (Foto: F1)

“Sempre é preciso ficar atento ao clima político dos tempos. Há momentos em que nos pediram para passarmos a ser totalmente elétricos. Escolhemos permanecer na solução híbrida e percebemos, então, que, com os combustíveis sustentáveis, podemos mostrar ao mundo que existem outras tecnologias. Mas quando as regras de 2026 foram escritas não era possível pensar em sair do híbrido”, contou.

“Naquele momento, era importante que as fábricas soubessem que a participação da potência elétrica estava aumentando. Hoje, talvez pensem diferente, porque ficou claro que temos várias maneiras de alcançar a sustentabilidade. Agora está claro para elas que a nossa abordagem com o combustível pode beneficiá-los no campeonato”, apontou.

“Não é coincidência que mais e mais fábricas estão interessadas na F1. Sabemos que o desenvolvimento na F1 encontra uma solução para tudo. Se a meta não fosse ambiciosa, os engenheiros chegariam nela amanhã, é só olhar para como os carros atuais e os motores híbridos mudaram desde 2014”, destacou.

Domenicali fez questão de destacar que considera os combustíveis sustentáveis centrais na F1 porque é algo capaz de ser transferido automaticamente para carros de passeio. A única questão é que os novos combustíveis ainda não podem ser produzidos na escala industrial global que atenda ao mercado automotivo, algo que irá demorar um pouco.

Como será F1 do futuro? (Foto: Red Bull Content Pool)

“As pessoas têm de entender que o combustível que iremos usar não será apenas sustentável, mas pode ser colocado em qualquer carro de passeio assim que o mercado for capaz de comercializar por um preço razoável. Por enquanto, essa meta ainda está distante, mas a Fórmula 1 é conhecida por fazer muita coisa em pouco tempo. Essa precisa ser nossa mensagem”, opinou.

“Não queremos lutar contra os veículos elétricos, mas abrir os olhos das pessoas para o fato de que há outras tecnologias para alcançar essa meta. Precisamos promover nosso esporte ao mostrar a todos que a F1 está na frente de todo mundo no desenvolvimento destes combustíveis”, colocou.

“Carros e motores seriam mais leves e menos complexos. E os motores teriam um som bom novamente, algo importante para os fãs. Por enquanto, devemos nos concentrar no próximo passo, não em algo que venha depois disso”, finalizou.

Fórmula 1 volta entre os dias 21 e 23 de junho, em Barcelona, com o GP da Espanha, décima etapa da temporada 2024. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento, assim como de todas as provas do ano.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

FERRARI brilha nas 24 HORAS DE LE MANS. E na F1? | Paddock GP #376
Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.