Fórmula 1 prepara ‘biosfera’ na Áustria com testes de Covid-19 a cada cinco dias

Laurent Mekies, diretor-esportivo da Ferrari, revelou uma mudança no planejamento inicialmente traçado pela Fórmula 1 em relação aos testes para detecção do novo coronavírus. Agora, cada pessoa credenciada para adentrar às dependências do Red Bull Ring vai ser submetida a um teste PCR, que mostra a presença do vírus até mesmo em casos assintomáticos

Dentro de exatos sete dias, a Fórmula 1 vai acelerar no Red Bull Ring para a prova de abertura da temporada 2020. O início do campeonato foi adiado em quase quatro meses em relação ao cronograma original por conta da pandemia do novo coronavírus, que paralisou o mundo, já infectou mais de 9 milhões de pessoas e ceifou quase 500 mil vidas no planeta. A diminuição dos casos e também dos óbitos na Europa permitiu à Fórmula 1 se organizar para, primeiramente, definir um calendário com oito GPs no Velho Mundo. Todos com portões fechados e, na busca para estabelecer uma ‘biosfera’ própria, a categoria desenvolveu um plano de testes maciços a todas as pessoas que vão adentrar às dependências do Red Bull Ring na semana que vem.

A diferença no planejamento inicial é que, diferente do que chegou a dizer Ross Brawn, diretor-esportivo da Fórmula 1, em maio, ao revelar a intenção de a categoria providenciar testes a cada dois dias, as pessoas vão ser submetidas à testagem maciça a cada cinco dias, revelou Laurent Mekies, diretor-esportivo da Ferrari. Cada credenciado vai ser submetido ao teste conhecido como RT-PCR, que consiste na pesquisa do material genético do vírus em secreção coletada da garganta (orofaringe) e do nariz (nasofaringe).

A Fórmula 1 trabalha com medidas restritivas para voltar a acelerar na semana que vem (Foto: Ferrari)

Este exame é realizado para diagnóstico recente da infecção pelo vírus da Covid-19 e é considerado o mais importante e preciso dentre os testes disponíveis para a detecção do novo coronavírus.

Em entrevista ao site inglês RaceFans, o francês de 43 anos explicou como vai ser realizado o procedimento com os testes nos próximos dias.

“Todo mundo vai ter de passar por uma avaliação médica completa para entrar no paddock na Áustria e nos próximos circuitos. O que significa que vamos precisar ter um certificado dos nossos médicos que garanta que somos aptos para participar do evento. Apto para participar significa ter o estado de saúde correto para entrar e ter feito um teste de covid-19”, disse.

“Todos nós vamos fazer um [teste] PCR quatro dias antes de irmos para a Áustria para poder entrar no paddock. Então, todo mundo que você vai ver no paddock vai ter feito um teste de covid-19, um teste PCR nos quatro dias anteriores”, comentou o engenheiro mecânico.

“Uma vez que estejamos no paddock, como sabem, vamos estar ali em um determinado número de dias porque vamos fazer duas corridas seguidas na Áustria. A cada cinco dias, todo mundo vai testar de novo. Quando estivermos na ‘bolha’ do paddock, mesmo tendo feito um teste antes de ir, vamos adicionar uma capa extra de segurança com o teste na pista a cada cinco dias”, salientou.

A mudança de planos, explicou Mekies, foi considerada normal. “Vai haver testes durante o fim de semana do GP, caso alguém tenha sintomas. É um ambiente em rápida mudança. Você tenta encontrar o ajuste correto. Acreditamos que estamos operando bem acima de qualquer lei nacional ou legislação trabalhista com os procedimentos que foram definidos pela FIA e pela Fórmula 1”.

“Chegamos a conversar sobre [testes a cada] dois dias em um momento. Foi relaxado para cinco. Acho que você vai ver algumas repetições desse protocolo nas próximas semanas, espero que seja nas mesmas direções, no sentido de relaxar algumas dessas coisas. Mas, como disse, se você olhar para o cenário geral, acho que estamos operando da forma mais segura possível para que essa mudança, de dois para cinco dias, não influencie”, completou.

Martin Brundle, ex-piloto e atualmente comentarista da emissora britânica Sky Sports, revelou no Twitter, na última quinta-feira, que já fez o primeiro teste de detecção do novo coronavírus. O inglês se prepara para a cobertura do GP da Áustria e o embarque para Spielberg nos próximos dias.

“Primeiro teste de Covid-19 hoje antes de me juntar à ‘biosfera’ da Fórmula 1 na Áustria na semana que vem. O segundo vai ser no domingo. Basicamente, é um grande cotonete industrial dentro da sua garganta e das suas narinas. Desagradável, mas não é lá grande coisa. Espero que você, sua família e seus amigos, tenham sobrevivido ilesos à pandemia”, escreveu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube