Fota atravessa crise financeira, perda de comando e está à beira do colapso, revela jornal inglês

De acordo com o jornal inglês 'The Telegraph', a Fota, a Associação das Equipes de F1, está atravessando um período de dificuldades financeiras, falta de comando e desacordos entre seus membros

A Fota, a Associação das Equipes de F1, está à beira de um colapso, de acordo com o jornal inglês 'The Telegraph', desta sexta-feira (14). A entidade enfrenta problemas financeiros, desacordos entre seus membros, bem como a perda de seu presidente.

Fontes da publicação afirmaram que a Fota, entidade criada em 2008 como uma forma negociação coletiva entre os times, a FIA e a FOM, agora conta apenas com sete das 11 escuderias do atual grid, está sofrendo dificuldades financeiras "substanciais" e precisa tomar uma decisão sobre o futuro até o fim deste mês.

Os times ainda não foram capazes de entrar em acordo com relação à escolha de seu novo líder, já que Martin Whitmarsh, o presidente da entidade, se viu fora da McLaren, sendo substituído na esquadra inglesa pelo francês Eric Boullier, que deixou a Lotus, por sua vez.

O ex-chefe da esquadra de Woking, e para o desgosto de sua equipe, assumiu a presidência da Fota em dezembro de 2009, tendo como seu adjunto Boullier. Porém, devido ao alto envolvimento que Whitmarsh tinha com a entidade, os times também não desejam que o gaulês agora assuma o cargo, o que deixa a associação sem um comandante.

Entende-se que o um novo projeto de mandato foi enviado às equipes, mas um acordo ainda está longe de acontecer, segundo o 'The Telegraph'. "Eu posso confirmar que as equipes se encontraram para uma discussão a respeito de como potencialmente reestruturar a entidade e continuar o processo de atrair os não membros, que se beneficiaram das atividades da Fota nos últimos 12 meses", afirmou Oliver Weingarten, secretário-geral da entidade.

O ex-chefe da McLaren era o presidente da Fota (Foto: McLaren)

A associação não tem sido capaz de cumprir seu propósito original nas últimas temporadas. Em declaração ao jornal britânico, uma figura importante do paddock afirmou que a saída da Ferrari e da Red Bull representou uma "perda de oportunidade" para a Fota.

Bob Fearnley, vice-chefe de equipe na Force India, concordou com a fonte e disse que parte dos problemas é que a associação não possui o apoio de Bernie Ecclestone. "Infelizmente, perdemos essa oportunidade de trabalhar em conjunto e chegar a acordos com o detentor dos direitos comerciais, por exemplo."

"Naturalmente, Bernie teria sido visto como uma ameaça, especialmente quando se fala em negociações coletivas, mas quando nós vemos os fóruns e os fãs e todo o trabalho de promoção da F1, então, obviamente, gostaríamos de ter o apoio da FOM. Estamos tentando conseguir um alinhamento neste sentido", completou.

Atualmente, Ferrari, Red Bull, Sauber e Toro Rosso não fazem parte da Fota.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube