Frustrado por abandonar GP da Rússia, Rosberg lastima: “Sinto que esse simplesmente não é o meu ano”

Nico Rosberg praticamente viu as chances já remotíssimas de lutar pelo título contra Lewis Hamilton irem pelos ares com a quebra do pedal do acelerador que o fez abandonar o GP da Rússia do último domingo. O alemão disse que procurará o consolo na família, mas ainda não se dá por vencido: “Quero vencer as quatro corridas que faltam”

Definitivamente, 2015 não é mesmo um bom ano para Nico Rosberg. Quem reconhece é o próprio alemão, que deixou Sóchi muito frustrado depois de abandonar mais uma corrida na temporada por conta de problemas no seu Mercedes. Com poucas voltas de GP da Rússia, o alemão começou a enfrentar problemas no pedal do acelerador do seu carro enquanto liderava, foi perdendo várias posições até que retornou aos boxes para abandonar de vez a peleja no último domingo.

Assim, a vitória caiu no colo de Lewis Hamilton, que fez o GP da Rússia virar um passeio dominical. Vencedor com tranquilidade, o britânico pode faturar o título já em Austin, daqui a 15 dias, de acordo com uma combinação de resultados. Lewis precisará somar três pontos a mais em relação a Rosberg e nove em relação a Sebastian Vettel, o novo vice-líder do Mundial.

2015 não vem sendo mesmo um ano fácil para Nico Rosberg (Foto: AP)

Nico caiu para terceiro lugar no campeonato devido ao infortúnio em Sóchi. Mais um momento frustrante em sua temporada. “Tenho o sentimento de que simplesmente esse não é o meu ano, justamente no momento em que preciso atacar”, comentou o piloto durante entrevista coletiva.

“Estou muito decepcionado e ainda não posso curtir de que somos campeões dos Construtores. Não é o melhor momento para mim, também porque o título da equipe veio pela punição a Kimi Räikkönen”, declarou Rosberg, que busca refúgio na família para abrandar a decepção.

“Mas amanhã tudo será diferente outra vez, vou ver minha família, esquecerei toda a decepção e vou olhar adiante e tentarei vencer no Texas”, acrescentou, já fazendo menção à próxima prova do calendário, o GP dos Estados Unidos, em Austin, dentro de duas semanas.

Depois da vitória de Hamilton e mais uma derrota de Rosberg em 2015, até mesmo Toto Wolff, diretor-esportivo da Mercedes, entende que Nico é praticamente carta fora do baralho. Mas o alemão discorda. “Não estou de acordo com Wolff. Ainda não penso em 2016. Quero vencer as quatro corridas que faltam”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube