Gasly admite “levar algum tempo” para rivalizar na Red Bull, mas avisa: “Não estou aqui para ser nº 2”

Pierre Gasly reconheceu que vai precisar de algum tempo para ser competitivo na Red Bull, mas deixou claro que não está interessado em ser o número dois do time. O piloto de 22 anos celebrou de ter ao lado alguém forte como Max Verstappen e avaliou que vai melhorar ao longo do ano

Pierre Gasly chega à Red Bull avisando que não está interessado no posto de piloto número dois. O jovem de 22 anos assume a vaga de Daniel Ricciardo ao lado de Max Verstappen em 2019.
 
Apesar de não querer viver na sombra de Verstappen, Gasly reconhece que vai precisar de um tempo para ser competitivo, mas acredita que poderá evoluir ao longo do ano, especialmente por ter alguém forte no outro lado da garagem.
Pierre Gasly avisou que não quer o posto de número dois na Red Bull (Foto: Red Bull)

“Ser um dos melhores pilotos agora vai ser um desafio para mim”, disse Gasly à publicação alemã ‘Motorsport-Total’. “Vai levar algum tempo para eu ser competitivo, mas não estou aqui para ser o piloto número dois, não é isso que eu quero ou com o que fico feliz”, seguiu.

 
“Essas coisas levam tempo, e Max é um dos caras mais rápidos do paddock, o que é super empolgante para mim, porque é o que te leva ao nível mais alto”, ponderou. “Com certeza, serei melhor ao longo da temporada”, garantiu.
 
Para 2019, a Red Bull deixa a Renault para trás e vai alinhar no grid com um motor Honda, que ainda tenta alcançar o nível dos propulsores de Ferrari e Mercedes, por exemplo.
 
Assim, ainda sem saber qual será a performance do bólido rubro-taurino, Gasly procura ajustar suas expectativas à realidade.
 
“Se eu tiver um carro com que possa vencer, eu gostaria de fazer isso”, declarou Pierre. “Mas se o carro for bom o bastante apenas para o top-5, então essa será a meta”, completou.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube