Russell revela discussões com F1 e espera calendário “mais sustentável” no futuro

Piloto da Mercedes e diretor da GPDA, George Russell mostra preocupação com diferenças acentuadas de fuso horário durante a temporada, mas crê em melhora no calendário a partir dos próximos campeonatos

Diretor da Associação de Pilotos de Grand Prix [GPDA], o britânico George Russell, da Mercedes, acredita que foi possível manter “boas conversas” com a Fórmula 1 na busca por um calendário “mais sustentável” no Mundial a partir dos próximos anos.

“Acho que tivemos boas conversas com a Fórmula 1 sobre onde está o futuro e talvez tornar as coisas um pouco mais sustentáveis, não apenas para voar, mas para todos nós nesta montanha-russa juntos”, destacou o vencedor do GP de São Paulo de 2022.

Embora ressalte que fique sempre “tão energizado para correr”, o piloto da Mercedes revela qual é uma das maiores preocupações quanto ao calendário atual: as diferenças muito acentuadas de fuso horário.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

A bordo de Mercedes W13, Russell foi o quarto colocado na temporada 2022 de F1 (Foto: Mercedes)

“É algo que estamos tentando implementar um pouco mais no grupo ao nosso redor, porque essas mudanças de fuso horário são muito brutais para algumas das corridas”, contou George. “Não importa como você voa. Está definitivamente chegando a um ponto em que as pessoas estão sentindo os efeitos”, completou.

Dois dos exemplos em que há os maiores deslocamentos em menor espaço de tempo ao longo da temporada 2023 são entre os GPs do Azerbaijão (30/04) e Miami (07/05), e de Las Vegas (18/11) e Abu Dhabi (26/11).

Enquanto a primeira viagem demandará um voo de ao menos 18 horas para percorrer 11.000 km, a segunda viagem, entre a penúltima e a última etapa, exigirá um voo de no mínimo 24 horas para percorrer nada menos que 13.185 km.

Em 2023, a Fórmula 1 alcançará o recorde de GPs realizados em uma temporada: 23, superando as 22 etapas nos campeonatos de 2021 e 2022.

Vale destacar que, ao longo dos outros sete anos da atual década (ou seja, desde 2014), quatro temporadas tiveram ao menos 20 GPs; além de 2017, que contou com esse número, os anos de 2016, 2018 e 2019 foram palco de 21 corridas cada.

Inicialmente a temporada 2023 seria composta por 24 corridas. Contudo o GP da China, foi oficialmente retirado do calendário em dezembro passado, por conta das restrições do país à pandemia de coronavírus.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.