Globo confirma fim de acordo de transmissão da Fórmula 1 a partir de 2021

A emissora se manifestou nesta sexta-feira e disse que a decisão de não exibir a categoria faz "parte da revisão de seu portfólio de direitos"

É oficial. A TV Globo não vai mesmo transmitir a Fórmula 1 a partir de 2021. A emissora carioca confirmou a decisão ao GRANDE PRÊMIO na tarde desta sexta-feira (28). De acordo com a nota, a empresa afirmou que o fim do vínculo com a maior das categorias do esporte a motor faz “parte da revisão de seu portfólio de direitos”. Assim, o Mundial perde um dos poucos canais abertos a exibir o campeonato no mundo, uma vez que a maioria dos países mostra a série em TV fechada. O atual acordo acaba ao fim desta temporada. E a renovação estava sendo negociada com a Liberty Media, o grupo detentor dos direitos comerciais da F1.

“Como parte da revisão de seu portfólio de direitos, um dos maiores entre emissoras de TV do mundo, a Globo optou por não renovar os direitos de transmissão da Fórmula 1 a partir de 2021. Mesmo sem a transmissão das corridas, a Globo continuará a fazer a cobertura da categoria em suas diversas plataformas”, disse a emissora em comunicado enviado ao GP.

A informação foi divulgada, primeiramente, pelo portal Meio & Mensagem, na última quinta-feira, e em seguida confirmada pelo GRANDE PRÊMIO – que soube também que a decisão de não renovar com o Mundial já havia sido tomada pela cúpula do canal — a família Marinho — antes mesmo do atrasado início da temporada 2020, em julho. A situação só sofreria alguma alteração em caso de nova proposta do Liberty Media, o que não ocorreu.

Também de acordo com o Meio & Mensagem, a Globo já havia informado aos seus patrocinadores da atual temporada de que não vai seguir com a exibição do campeonato no ano que vem. Em 2020, a emissora do Rio de Janeiro vendeu apenas cinco de suas seis cotas de patrocínio. Ainda assim, segundo o preço de tabela, viu uma receita de R$ 494,75 milhões, o que seria suficiente para cobrir o preço do direito de transmissão da Fórmula 1 oferecido pelo Liberty Media.

O GP também apurou que a chance de uma TV aberta transmitir a Fórmula 1 em 2021 no Brasil é reduzida porque as outras quatro emissoras — SBT, Record, Bandeirantes e RedeTV! — ou não têm o dinheiro necessário para pagar os direitos ou, mesmo tendo, teriam como prioridade apostar no futebol para alavancar a audiência.

A Disney, dona dos canais ESPN e FOX Sports no Brasil, está monitorando a situação. A Fórmula 1 é exibida nos EUA pelo primeiro canal usando toda a base da Sky Sports e pelo segundo canal na América Latina.

Quem você aposta que vai transmitir a F1 no Brasil? Falando em apostas, o fim de semana do GP da Bélgica aponta Lewis Hamilton como favorito para vencer. Valtteri Bottas e Max Verstappen vêm logo atrás na casa de apostas, que está oferecendo justamente R$ 500 neste momento, através do código promocional 1xBet da Wincomparator.

Leia também:

Por que Fórmula 1 e Globo saem perdendo com ruptura

Temporada afetada pela pandemia

A temporada 2020 da Fórmula 1 foi sem precedentes. Por conta da pandemia do novo coronavírus, o calendário passou por diversas transformações até ser finalizado no início da semana com as adições de Turquia, Bahrein e Abu Dhabi. Originalmente previsto para começar em março, na Austrália, o campeonato só teve início em 5 de julho, com dois finais de semanas consecutivos no Red Bull Ring.

Assim, em meio ainda aos cuidados por causa da Covid-19, a F1 reduziu de 22 para 17 as etapas em 2020, mas nada que impedisse a maior maratona que a categoria já teve em termos de provas consecutivas: com o GP da Bélgica, o da Itália e o da Toscana, a temporada vai para a terceira sequência de três corridas. Tudo em um espaço de apenas 11 semanas.

Com a programação apertada e a pandemia ainda longe de ter sido controlada especialmente no Brasil, nos EUA e no México, o Mundial também optou por um campeonato inteiramente europeu e asiático, abrindo mão das etapas americanas, inclusive do GP do Canadá e, claro, da corrida que seria disputada em Interlagos.

A história das transmissões

A história da Fórmula 1 na Globo se confunde com as transmissões da categoria para o Brasil. Apesar da TV Record transmitir a primeira corrida para o país, o GP da Inglaterra de 1970 que marcou a estreia de Emerson Fittipaldi na categoria, a Globo passaria a contar com os direitos em parceria com a Tupi a partir de 1972. Durante aquela década, a Globo televisionou corridas junto a outras emissoras e deixou de passar tantas outras provas em detrimento da programação habitual.

A grande virada viria com a entrada nos anos 1980. A Bandeirantes adquiriu os direitos em 1980 e transmitiu todas as corridas de forma exclusiva naquele ano. A Globo voltou a carga em 1981 e assumiu as rédeas de vez para se tornar a emissora responsável nos últimos 40 anos. Aliás, o retorno da F1 foi um dos fatores para a contratação de Galvão Bueno naquele começo de década.

Daí em diante, a Globo transmitiu a esmagadora maioria das corridas e acompanhou os três títulos mundiais de Nelson Piquet e Ayrton Senna, os sete de Michael Schumacher e os seis de Lewis Hamilton, além de vitórias de Rubens Barrichello e Felipe Massa.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube