F1

GP às 10: O que seria da Red Bull com motor Mercedes e o que poderá ser com Hülkenberg?

No GP às 10 desta sexta-feira (31), Victor Martins analisa como seria diferente a Fórmula 1 se nos últimos três anos a Red Bull tivesse usado motor Mercedes e como mudariam as coisas se Nico Hülkenberg ocupasse o lugar de Pierre Gasly na equipe austro-inglesa a partir do ano que vem.

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
Na última semana, o jornalista Roberto Chinchero, da versão italiana do site 'Motorsport.com', informou que Helmut Marko conversou com Nico Hülkenberg em Mônaco. Em pauta, uma eventual mudança de equipe do alemão para 2020, visto que seu vínculo com a Renault termina neste ano.

No GP às 10 desta noite de sexta-feira, Victor Martins traça uma perspectiva do que poderá ser a Red Bull em 2020 com uma dupla que aliaria a juventude de Max Verstappen à experiência de Hülkenberg. Martins também fala sobre o desejo de Niki Lauda, presidente não-executivo da Mercedes — morto na segunda-feira da semana passada —, que gostaria de ver os carros da Red Bull sendo empurrados pelos motores alemães. A aliança jamais aconteceu.

O GP às 10 é a série que traz um comentário em vídeo dos jornalistas do GRANDE PRÊMIO, sempre às 10h (de Brasília), do dia e da noite. Veja aqui todas as edições do GP às 10.



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.