Guia F1 2015: Mercedes AMG Petronas F1 Team

Campeã com sobras em 2014, a Mercedes parte nesta temporada com a mesma pinta de dominante. E a torcida fica para que continue deixando Lewis Hamilton e Nico Rosberg livres para a briga

Sede: Brackley, Inglaterra
Stuttgart, Alemanha
Carro: W06 Hybrid
Motor: Mercedes
Principais dirigentes: Toto Wolff
Paddy Lowe
Niki Lauda
Piloto reserva: Pascal Werhlein
Em 2014: Campeã Mundial de Construtores (701 pontos)
Melhor resultado: 1 Título de Pilotos
1 Título de Construtores
Melhor tempo em Jerez: 1min21s982
(
Nico Rosberg, 4º)
Melhor tempo em Barcelona: 1min35s743
(Nico Rosberg, 1º)
A Mercedes entra em 2015 enfim com seu objetivo alcançado. Cinco anos após seu retorno à F1, o time de Stuttgart/Brackley foi campeão mundial novamente – a última vez havia sido em 1955, no Mundial de Pilotos, com Juan Manuel Fangio – , e chega mais uma vez como o favorito a ser batido.

Atrás dela, Red Bull e Williams buscam tirar algum proveito de suas mudanças e colocar a rival num beco. No entanto, dadas as cartas mostradas nos testes de pré-temporada, a missão será tão inglória quanto foi no ano passado.

Extra-pista, a missão do momento para a campeã é conseguir renovar o contrato do atual campeão mundial, Lewis Hamilton, que vence ao fim da temporada. Caso não consiga e tenha de procurar outros nomes, a disputa entre o inglês e Nico Rosberg pode tomar uma cara diferente aos olhos de quem vê de fora durante o ano.

Os problemas iniciais de confiabilidade impediram que 2014 fosse perfeito para Lewis Hamilton, mas Hamilton foi perfeito para a temporada. Se esperava-se que fosse brilhante e errático contra um Nico Rosberg sólido e confiável, não foi o que se viu na prática. Lewis foi sólido como uma rocha. Com a cabeça no lugar, é difícil batê-lo. E a experiência de um duas vezes campeão mundial somadas ao ainda melhor carro – com certa vantagem – e mais gana, colocam Hamilton em condições de favorito para o terceiro caneco, o que o poria no patamar de Ayrton Senna, Nelson Piquet, Jack Brabham e seu chefe Niki Lauda. Se mantiver a vantagem mental sobre seu companheiro que mostrou na segunda metade de 2014, Hamilton vai estar em bons lençóis para mais uma conquista.
A grande chance da qual se falava passou, e Nico Rosberg não aproveitou. O título de 2014 ficou do outro lado da garagem prateada nas mãos do que foi o melhor piloto, Lewis Hamilton. Mas Rosberg saiu fortalecido e visto num patamar diferente, o de um dos melhores da atualidade. Chega 2015, e com ele um capítulo renovado de uma rivalidade pessoal e ardente com o companheiro. E para tal, o alemão se preparou de todas as formas possíveis, até trabalhando em um novo modo de respiração. Agora, de cabeça fria e com a situação analisada, Rosberg entra na temporada para vencer – e nada mais – a segunda disputa com Lewis.

equipes

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube