Hamilton chama Verstappen de “idiota”? Vettel responde, fala em “reação humana” e pede fim a “perguntas de merda”

Sebastian Vettel saiu em defesa de Lewis Hamilton, depois que o inglês foi questionado sobre a razão de xingar Max Verstappen após um incidente entre os dois no GP do Bahrein. Para o tetracampeão alemão, as perguntas são injustas, uma vez que o britânico falou longe dos microfones e ainda estava sob o efeito da adrenalina da corrida

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Como protagonistas da atual F1 e na disputa por um pentacampeonato em 2018, Sebastian Vettel e Lewis Hamilton estão sempre nos holofotes e tudo que falam ou fazem acaba ganhando uma enorme repercussão. E eles mesmos têm consciência do papel que desempenham no esporte. Até por isso, Vettel tomou a palavra durante a entrevista coletiva após o GP do Bahrein para defender o adversário inglês. 

 
Tudo aconteceu logo após a bandeirada. Vettel, Hamilton e Valtteri Bottas estavam aguardando a hora de subir ao pódio e assistindo aos melhores da corrida. O inglês viu a manobra de Max Verstappen e definiu o holandês como um "idiota" – os dois pilotos tiveram um toque na parte inicial da prova, durante a ultrapassagem do representante da Red Bull em cima do tetracampeão. Minutos mais tarde, quando já estavam à disposição dos jornalistas, Hamilton foi questionado sobre o comentário. Mas antes mesmo que pudesse falar, Vettel interveio: "Posso responder a essa pergunta?"
Sebastian Vettel e Lewis Hamilton falam aos jornalistas no Bahrein (Foto: Reprodução)
Para o ferrarista, a questão foi injusta, porque pede uma explicação para algo que foi dito longe dos microfones e meio ao efeito da adrenalina da disputa. "Acho que não é justo. Quer dizer, eu não sei o que Lewis fez. Mas todos nós já estivemos nessa situação. Nós estamos na briga com alguém, às vezes a disputa é roda a roda, muito próxima mesmo e há muita adrenalina envolvida, você acha que, se compararmos com o futebol, se colocar o microfone na boca do jogador, tudo que ele dizer será legal? Não acho que seja justificável nos dar esse tipo de pergunta de merda e inventar uma história do nada, se estamos disputando algo e cheios de adrenalina. Às vezes, dizemos essas coisas", falou o tetracampeão.
 
"Quer dizer, se eu bater na sua cara, você vai dizer: 'Ei, Sebastian, isso não foi legal’. É uma reação humana. Às vezes, sinto que tudo é pouco artificial e exagerado se temos esse tipo de pergunta, tentando fazer uma história do nada. Então, por favor, isso não é pessoal. Não leve para o pessoal. Mas acho que devo parar por aqui", acrescentou Seb, passando a palavra para Hamilton.", completou.
 
Sentado ao lado do ferrarista na bancada,o #44 não chegou a responder diretamente à pergunta, mas acusou Verstappen de não demonstrar respeito pelos adversários. A disputa entre Lewis e Max aconteceu na primeira curva do circuito do Bahrein e foi seguida por um toque, quando o holandês completava a manobra. O contato acabou furando o pneu traseiro esquerdo do carro do #33, que não teve como continuar na corrida barenita. 
 
"É preciso ter um certo respeito entre os pilotos. Talvez, eu precise ver de novo, mas não pareceu uma manobra muito respeitosa", afirmou o britânico.
Max Verstappen e Lewis Hamilton (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Já o piloto da Red Bull justificou a ação dizendo que deixou espaço ao adversário. "Eu vinha em uma boa corrida, então coloquei por dentro. Lewis estava tentando dar o x, mas eu já estava à frente. Acho que ele tinha espaço suficiente à esquerda, mas aí veio o toque e danificou o difusor do carro."
 
"Acho que se fosse o contrário, ele teria feito o mesmo", finalizou o holandês.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube