Hamilton crava 90ª pole da carreira na Fórmula 1 com recorde na Hungria. Stroll sai em 3º

Histórico! Lewis Hamilton alcançou a 90ª pole da carreira no Mundial de F1 neste sábado (18) e foi absoluto no treino classificatório do GP da Hungria, com direito a recorde da pista. Destaque para Lance Stroll, que vai largar na terceira posição, logo à frente de Sergio Pérez

Lewis Hamilton fez história mais uma vez na Fórmula 1. O segundo maior campeão em todos os tempos alcançou outra marca grandiosa na carreira. No treino classificatório do GP da Hungria, disputado na tarde deste sábado (18), o piloto da Mercedes alcançou a 90ª pole da sua carreira. Com volta impecável, Hamilton quebrou o recorde de Hungaroring ao registrar 1min13s477 e igualou a marca de Michael Schumacher, agora com sete vezes partindo da posição de honra no circuito magiar.

Valtteri Bottas vai largar da segunda posição depois de ficar 0s107 atrás do companheiro de equipe. Destaque também para a grande classificação de Lance Stroll, que vai largar em terceiro depois de ter superado o companheiro de Racing Point, Sergio Pérez, quarto no grid de largada.

A façanha da Racing Point é enorme quando se nota a sequência da tabela de tempos, que teve a dupla da Ferrari, com Charles Leclerc e Sebastian Vettel, em quinto e sexto, respectivamente. Max Verstappen, pole-position na Hungria no ano passado, não passou da sétima posição no grid com a Red Bull e vai largar lado a lado com a McLaren de Lando Norris. Carlos Sainz, com a outra McLaren, e Pierre Gasly, com a AlphaTauri, fecham o top-10.

F1; FÓRMULA 1; LEWIS HAMILTON; MERCEDES; GP DA HUNGRIA; TREINO LIVRE 1;
Lewis Hamilton brilhou neste sábado com uma pole histórica na Hungria (Foto: Mercedes)

O GP da Hungria tem largada marcada para 10h10 (horário de Brasília) deste domingo. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

Saiba como foi o treino classificatório do GP da Hungria de F1

Q1: Williams brilha e vai ao Q2 com Russell e Latifi. Räikkönen larga em último

Com 19ºC de temperatura ambiente, 30ºC no asfalto e 90% de chance de chuva, a Fórmula 1 abriu a definição do grid de largada do GP da Hungria com o céu bastante nublado e com uma certeza: somente os céus seriam capazes de entregar um resultado diferente que não fosse uma Mercedes na pole-position.

Com todo o receio da chuva, a maior parte dos pilotos — com exceção de Daniel Ricciardo e Esteban Ocon, da Renault — deixou os boxes logo nos primeiros segundos do Q1, algo que tornou o cenário complicado na pista em termos de tráfego intenso.

Max Verstappen foi o primeiro a marcar tempo: 1min16s136, mas a presença do holandês na ponta da tabela não durou mais que alguns segundos. A dupla da Mercedes tomou a dianteira com Valtteri Bottas marcando 1min15s484 e Lewis Hamilton 0s097 atrás do nórdico. No confronto direto entre os carros da Racing Point, Lance Stroll levava vantagem sobre Sergio Pérez após a primeira volta rápida. Charles Leclerc aparecia na quinta posição, logo à frente de Verstappen.

Até Nicholas Latifi foi bem e conseguiu avançar para o Q2 (Foto: Williams)

No momento em que os carros da Renault marcaram seus primeiros tempos, Hamilton superou Bottas na volta seguinte e, por 0s064, subiu para a ponta do Q1. No começo da sessão, George Russell aparecia em uma posição bem razoável com a Williams e era o 13º, justamente entre as Renault de Ocon e Ricciardo.

Hamilton fez ainda melhor na volta seguinte para registrar 1min15s366. O hexacampeão e todos os outros competidores aceleravam com pneus macios no traçado de 4.381 metros.

Com 5 minutos para o fim do Q1, Alexander Albon estava em 15º e corria risco de ser eliminado da classificação. Já Pierre Gasly queixava-se de problemas na unidade de potência da Honda, o que também aconteceu no primeiro treino livre do fim de semana. Quem não estava ameaçado, muito pelo contrário, era Russell, que fez ótimo tempo e chegou a subir para terceiro, enquanto Nicholas Latifi colocou a sua Williams momentaneamente em sétimo. Uma grande tarde da Williams na Hungria.

A Racing Point colocou seus dois carros na ponta no fim do Q1 (Foto: Racing Point)

A ordem da tabela de tempos mudou depois que as duas Racing Point se colocaram em primeiro e segundo, com Pérez e Stroll separados por 0s214, nessa ordem mexicano. No fim das contas, Albon conseguiu se salvar, mas fez tempo mais lento que o de Russell. Outro que escapou da eliminação foi Ocon, já com o cronômetro zerado.

O fim do Q1 determinou a eliminação dos seguintes pilotos: Kevin Magnussen, da Haas; Daniil Kvyat, da AlphaTauri; Romain Grosjean, também da Haas; e Antonio Giovinazzi e Kimi Räikkönen, da Alfa Romeo. A Williams, em compensação, colocou seus dois carros no Q2, algo que não acontecia desde o GP da Itália de 2018.

Q2: Hamilton crava recorde. Albon decepciona e é eliminado

Russell foi quem abriu a tabela de tempos do Q2 com 1min15s698. O prodígio britânico era um dos grandes destaques da classificação, mas o compatriota Hamilton brilhava ainda mais. Com 1min14s261, o hexacampeão quebrava o recorde de Hungaroring e tomava a ponta da sessão com pneus médios. Bottas, também com os compostos amarelos, virou tempo 0s269 mais lento que o colega de Mercedes.

A força da Racing Point também era notável, de modo que Stroll e Pérez fizeram seus primeiros tempos também com os pneus médios. Com os macios, Vettel subia para terceiro e deixava Verstappen para trás, com as McLaren de Lando Norris e Carlos Sainz em quinto e sexto, respectivamente. Só então aparecia a dupla da Racing Point. E Leclerc, por 0s014, figurava na lista prévia de eliminados no Q2.

Vai ter protesto? A Renault caiu do Q2 com seus dois pilotos (Foto: Renault)

Nos minutos finais, quase todos os pilotos foram para a pista com pneus macios, menos Pérez e Stroll, que adotaram uma estratégia arriscada ao fazer as voltas finais do Q2 com os compostos médios. Mas a dupla da Racing Point conseguiu se salvar e vai partir para a corrida com a mesma estratégia de Hamilton e Bottas.

No fim, Verstappen e Leclerc melhoraram bem seus respectivos tempos e subiram para terceiro e quarto. Em contrapartida, Albon foi muito mal e não conseguiu sequer colocar a Red Bull no Q3. O anglo-tailandês foi superado pelo holandês em 0s7 e amargou a eliminação ao lado de Ricciardo e Ocon, em performance bem ruim para a Renault, e Russell e Latifi, em cenário bom para a Williams.

Q3: Histórico! Hamilton crava pole 90 com direito a recorde. Stroll também brilha

As cartas estavam na mesa na disputa pela pole em Hungaroring. A batalha era restrita a Hamilton e Bottas, tamanho o poderio da Mercedes contra as adversárias neste fim de semana.

Primeiro a marcar tempo no Q3, Stroll virou 1min14s671. Mas Hamilton destruiu a marca do canadense com novo recorde da pista: 1min13s613, uma volta absurda de um dos maiores pilotos da F1 em todos os tempos. Bottas virou 0s311 mais lento, se colocou em segundo, mas foi cerca de 0s7 mais rápido que Stroll, o terceiro mais rápido.

Pérez teve o seu tempo deletado depois de exceder os limites de pista da curva 4. Assim, Verstappen aparecia na quarta colocação, à frente das McLaren de Norris e Sainz. Só então é que vinham as Ferrari de Vettel e Leclerc em sétimo e oitavo, respectivamente.

Na tentativa final de volta rápida, Hamilton só faltou fazer chover na Hungria. Com 1min13s447, o hexacampeão superou novamente o recorde de Hungaroring para confirmar a conquista de uma pole histórica. Bottas bem que tentou, mas ficou somente em segundo, 0s107 atrás do companheiro de equipe. Quem brilhou também foi Stroll, terceiro colocado no grid depois de bater ‘Checo’ Pérez com grande volta que o colocou também à frente de pilotos como Leclerc, Vettel e Verstappen.

Neste domingo, o Briefing entra ao vivo às 9h (Brasília, GMT -3) o pré-corrida do GP da Hungria de F1 com análise da classificação e as últimas informações antes da largada da terceira etapa do Mundial 2020. Inscreva-se no canal do GRANDE PRÊMIO no YouTube e ative as notificações.

Fórmula 1 2020, GP da Hungria, Hungaroring, grid de largada:

1L HAMILTONMercedes 1:13.447 
2V BOTTASMercedes 1:13.554+0.107
3L STROLLRacing Point Mercedes 1:14.377+0.930
4S PÉREZRacing Point Mercedes 1:14.545+1.098
5S VETTELFerrari 1:14.774+1.327
6C LECLERCFerrari 1:14.817+1.370
7M VERSTAPPENRed Bull Honda 1:14.849+1.402
8L NORRISMcLaren Renault 1:14.966+1.519
9C SAINZ JRMcLaren Renault 1:15.027+1.580
10P GASLYAlphaTauri Honda 
11D RICCIARDORenault 1:15.661+2.214
12G RUSSELLWilliams Mercedes 1:15.698+2.251
13A ALBONRed Bull Honda 1:15.715+2.268
14E OCONRenault 1:15.742+2.295
15N LATIFIWilliams Mercedes 1:16.544+3.097
16K MAGNUSSENHaas Ferrari 1:16.152+2.705
17D KVYATAlphaTauri Honda 1:16.204+2.757
18R GROSJEANHaas Ferrari 1:16.407+2.960
19A GIOVINAZZIAlfa Romeo Ferrari 1:16.506+3.059
20K RÄIKKÖNENAlfa Romeo Ferrari 1:16.614+3.167
  Tempo 107% 1:18.588+5.141

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube