Hamilton faz valer fator casa e vira sobre Rosberg no Q3 para conquistar pole na Inglaterra. Massa larga em 3º

Pela oitava vez em nove corridas na temporada 2015, Lewis Hamilton vai largar na pole-position. O resultado deste sábado, além de frustrar um Nico Rosberg que esteve ótimo durante todo o fim de semana, faz do bicampeão o piloto em atividade com mais poles no Mundial de F1

Lewis Hamilton venceu mais uma batalha interna na Mercedes e conquistou a pole-position para o GP da Inglaterra de F1.

 
A oitava pole da temporada 2015 é a 46ª da carreira do bicampeão, que superou a marca de Sebastian Vettel e se transformou no piloto em atividade com mais poles na categoria. Na história da F1, apenas Michael Schumacher (68) e Ayrton Senna (65) têm mais.

O resultado confirma o 'aniversário' da Mercedes na posição de honra do grid do Mundial de F1. A equipe alemã chegou a 20 poles consecutivas, sendo que a sequência teve início no próprio GP da Inglaterra, há exatamente um ano.

Para garantir a terceira pole em Silverstone, Hamilton superou Nico Rosberg no Q3 depois de ter sido mais lento que o colega no Q1 e no Q2. Rosberg ficou em segundo.

Lewis Hamilton comemora pole diante da torcida em Silverstone (Foto: AP)

Felipe Massa, que seguiu o exemplo de Hamilton, foi o único a conseguir melhorar seu tempo no fim do Q3, também virou para cima de seu companheiro de equipe e assegurou a terceira posição no grid. É a primeira vez na temporada que a Williams se classifica com os dois carros à frente das duas Ferrari.

Eliminado ainda no Q1, Felipe Nasr sai apenas em 16º. As duas McLaren também ficaram pelo caminho ainda na primeira parte da sessão.

A largada para o GP da Inglaterra será dada às 9h (de Brasília) deste domingo, e o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

Siga o GRANDE PRÊMIO no INSTAGRAM
e fique ligado para concorrer a PRÊMIOS
 

#GALERIA(5375)
Confira como foi a classificação da F1 em Silverstone:

Distância
5,891 km
Curvas
18
Número de voltas
52
Vencedor em 2014
Lewis Hamilton
(Mercedes)
Resultado da prova
Programação
SEX, 3/7 | TL1
SEX, 3/7 |
 TL2
SAB, 4/7 | TL3
SAB, 4/7 | TC – 9h
DOM, 5/7 | GP – 9h

Q1: Kimi 'gasta' pneu e lidera, Nasr é eliminado junto das McLaren

Nem bem a classificação havia começado e a McLaren já vivia o drama de sempre: problemas de tração no carro de Fernando Alonso ameaçaram deixá-lo fora da tomada de tempos, mas a equipe optou por enviá-lo à pista apesar deles. Pelo o que se vira nos treinos, avançar ao Q2 até era uma perspectiva realista. Após o Q1, mostrou-se visivelmente equivocada.

O treino também teve, já no princípio, tempos sendo deletados pela direção de prova. O motivo: extrapolar os limites da pista na curva Copse, a primeira do antigo traçado. Nico Hülkenberg, Sebastian Vettel e Pastor Maldonado foram três infratores pegos no flagra. Charlie Whiting avisou na noite de sexta-feira que a tolerância seria zero.

Maldonado foi um dos pilotos que exagerou na Copse (Foto: Reprodução/TV)

Na tabela de tempos, as Mercedes foram bem cautelosas de início. Nico Rosberg e Lewis Hamilton nem atacaram tanto, e o alemão se colocou 0s3 à frente. Na casa de 1min33s, ambos já tinham marcas boas o bastante para se garantirem no Q2.

Enquanto isso, a Williams finalmente andou rápida. Valtteri Bottas foi mais rápido que os dois pilotos da Ferrari, ficando a 0s7 de Rosberg. Felipe Massa anotou o sexto tempo. Nada de Toro Rosso e Red Bull se intrometendo no top-6 até então.

No final, a Ferrari ainda mudou para os pneus médios para se garantir e cravou o primeiro e o terceiro tempos da sessão. Kimi Räikkönen tomou a ponta de Rosberg por somente 0s039.

Os eliminados foram Felipe Nasr, por menos de 0s1, as duas McLaren e as duas Marussia. Foi a terceira vez no ano que Nasr ficou pelo caminho no Q1. Na McLaren, a evidente frustração de Jenson Button, 18º, foi bem exemplificada pela falta de resposta ao engenheiro ao ser informado do desfecho.

Q2: Rosberg domina Hamilton outra vez, Ferrari sob pressão

O Q2 começou com a Williams bem outra vez, com Bottas cravando 1min33s273 com os pneus macios. Mas a Mercedes novamente chegou para tomar conta da casa, e com Rosberg de novo à frente de Hamilton.

O alemão pela primeira vez entrou na casa de 1min32s e abriu uma vantagem de 0s0331 para Hamilton tirar no Q3.

Räikkönen é que quase se complicou. O finlandês chegou a ter um tempo de volta apagado por desrespeitar os limites da pista e só respirou aliviado depois que todos completaram os trabalhos no Q2 — ele passou em nono.

Detalhe interessante no final foi a pressão que Williams e Red Bull colocaram sobre a Ferrari na briga por um lugar na segunda fila. Bottas saltou para segundo e Daniil Kvyat subiu para quarto. Vettel foi apenas quinto.

Dentre os eliminados, o drama vivido por Max Verstappen foi grande. A Toro Rosso foi destaque nos treinos e passou ao Q3 com Carlos Sainz, mas o holandês reclamou sem parar pelo rádio que o carro estava horrível em comparação ao que teve nas mãos no TL3. "Não sei como pode ter ficado tão ruim, não tem aderência", lastimou. Ele ficou em 13º.

Os outros degolados foram Sergio Pérez, Romain Grosjean, Pastor Maldonado e Marcus Ericsson.

Q3: a hora da verdade

A primeira mudança de cenário a favor de Hamilton na tomada de tempos foi no começo do Q3. O britânico fechou uma ótima volta em 1min32s248 para tomar a ponta com 0s113 de vantagem para Rosberg. Eles estavam bem à frente dos demais: o terceiro, Bottas, ficou 0s901 distante.

Mas, diga-se, aquilo ali era um excelente trabalho da Williams. Ainda que fosse por pouco, os dois carros estavam mais rápidos que os dois da Ferrari, que tinha Kimi em quinto e Seb em sexto. Restava mais uma volta lançada para que tudo se definisse, e foi o responsável por puxar a fila.

Rosberg, no entanto, não conseguiu buscar. Na verdade, o único que cresceu neste momento foi Massa. O brasileiro encontrou um excelente giro, 1min33s085, para bater Bottas por menos de 0s1.

A Ferrari divide a terceira fila, Daniil Kvyat e Carlos Sainz largam em sétimo e oitavo e Nico Hülkenbreg ficou em nono. Ricciardo, que teve sua melhor volta excluída pela direção de prova, sai em décimo.

A pole menos importante do ano: apenas cinco dos últimos 20 vencedores do GP da Inglaterra largaram na pole. O último foi Sebastian Vettel, em 2009.

Público recorde: as arquibancadas já estiveram cheias neste sábado em Silverstone, e a expectativa para a 66ª edição do GP da Inglaterra é de recorde, com 140 mil pessoas no circuito em que a F1 nasceu neste domingo

F1, GP da Inglaterra, Silverstone, grid de largada:

1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES   1:32.248   14
2 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES   1:32.261 +0.013 14
3 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES   1:33.085 +0.837 21
4 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES   1:33.149 +0.901 19
5 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI   1:33.379 +1.131 19
6 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI   1:33.547 +1.299 18
7 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT   1:33.636 +1.388 22
8 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT   1:33.649 +1.401 19
9 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES   1:33.673 +1.425 21
10 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT   1:33.943 +1.695 20
11 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES   1:34.268 +2.020 14
12 8 ROMAIN GROSJEAN FRA LOTUS MERCEDES   1:34.430 +2.182 9
13 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO RENAULT   1:34.502 +2.254 14
14 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS MERCEDES   1:34.511 +2.263 16
15 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI   1:34.868 +2.620 13
16 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI   1:34.888 +2.640 7
17 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA   1:34.959 +2.711 8
18 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA   1:35.207 +2.959 9
19 28 WILL STEVENS ING MANOR MARUSSIA FERRARI   1:37.364 +5.116 9
20 98 ROBERTO MERHI ESP MANOR MARUSSIA FERRARI   1:39.377 +7.129 8
    TEMPO 107% Q1     1:39.965    
                 
RECORDE LEWIS HAMILTON ING MERCEDES   1:29.607 30/06/2013  
MELHOR VOLTA FERNANDO ALONSO ESP FERRARI   1:30.874 11/07/2010  
                 
    Condições do tempo   SOL  ar: 20-21ºC | pista: 22-24ºC  

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube