Hamilton lembra saída de Rosberg e vê relação de “muito respeito” com Bottas

Na visão do heptacampeão mundial de Fórmula 1, nada mudou na sua forma de lidar com um companheiro de equipe desde que Nico Rosberg deixou o grid cinco dias depois de conquistar o título de 2016. Lewis Hamilton entende que o trato com Valtteri Bottas é bastante amistoso

A Mercedes encontrou em Valtteri Bottas um substituto perfeito para o lugar deixado por Nico Rosberg cinco dias depois de ter conquistado seu primeiro e único título mundial de Fórmula 1, em 2016. A relação de amizade entre o alemão e Lewis Hamilton, que era nutrida desde os tempos de kartismo, foi destruída na esteira de uma rivalidade que se acentuou quando os dois passaram a lutar por títulos a partir de 2014, com o britânico levando a melhor em duas oportunidades, contra uma do rival. Com Bottas, na Mercedes desde 2017 e com contrato já garantido para a próxima temporada, Hamilton reitera que tem um trato de bastante respeito.

À época, Toto Wolff, chefe da Mercedes, disse que recebeu ligações de quase todos os pilotos do grid. O dirigente poderia recorrer também à contratação de um piloto mais jovem, como Pascal Wehrlein ou Esteban Ocon, que faziam parte do programa de desenvolvimento da Mercedes, mas a opção foi contar com um nome mais conhecido, mais experiente e também que não trouxesse problemas nos bastidores. Por isso, Bottas foi contratado junto à Williams.

Bottas e Hamilton têm uma relação amistosa nos bastidores da Mercedes (Foto: Mercedes)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Hamilton, em entrevista veiculada pelo site GPFans, lembrou que nada mudou na sua forma de lidar com um companheiro de equipe depois que o ex-amigo e ex-rival Rosberg deixou a Mercedes.

“Diria que cresci naturalmente com o tempo, aprendendo cada vez mais como trabalhar em equipe e como ser um líder. Acho que não mudei muito minha maneira de trabalhar desde que Rosberg foi embora. Geralmente me guardo para mim mesmo, trabalho com minha equipe”, salientou.

Ao falar sobre o trato com Bottas, Lewis garantiu. “Acho que temos muito respeito entre nós. Quando ele vence, ele sabe que fez isso com trabalho duro, e, se não [vence], ele sabe que só tem de trabalhar ainda mais duro da próxima vez”, disse.

Desde que se uniu à Mercedes, Bottas tem um total de nove vitórias, contra 41 de Hamilton neste período. Para o heptacampeão, o segredo para conseguir sustentar uma relação amistosa com seu companheiro de equipe é fazer com que tudo o que acontece na pista fique na pista.

“Continuamos a trabalhar em nosso relacionamento, em termos de sermos colegas e concorrentes, e não deixamos que o que quer que tenha acontecido na pista seja filtrado quando saímos do carro. O fato de que sempre tive orgulho de mim mesmo é que tenho de fazer o trabalho na pista, não posso culpar nenhum outro fator”, comentou.

“Se eu for derrotado em um dia, preciso fazer um trabalho melhor, e se vencer naturalmente, é ótimo”, concluiu Hamilton.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube