Hamilton se garante em aquático TL3 da F1 em Austin e pode formar 1ª fila com Hülkenberg no GP dos EUA

A F1 decidiu ir em frente com o cronograma estabelecido para o sábado e realizou o terceiro treino livre do GP dos Estados Unidos. Debaixo de um temporal, Lewis Hamilton fez o melhor tempo, que pode se converter em pole-position caso a classificação não aconteça. Sebastian Vettel foi o segundo colocado, mas será perderá dez posições no grid da prova, beneficiando Nico Hülkenberg, terceiro colocado no treino desta manhã

O atípico fim de semana do GP dos Estados Unidos de F1 abriu o sábado (24) novamente debaixo de muita chuva e sob a indefinição sobre a disputa ou não do terceiro treino livre e também da sessão classificatória no Circuito das Américas, em Austin. Mas depois de uma série de avaliações por parte dos comissários de prova, a FIA decidiu seguir adiante com a programação, ao menos do treino livre. Mas informou que, caso não acontecesse a classificação, seria exatamente o terceiro treino quem definiria a ordem de largada para a 16ª etapa do Mundial de F1.

Diante de arquibancadas vazias — em razão da forte chuva e, principalmente, pela decisão dos administradores do Circuito das Américas que, por motivos de segurança, impediu a entrada dos torcedores —, os pilotos então aceleravam em busca do melhor tempo possível e cientes de que o desempenho poderia determinar a posição no grid de largada. Aí Lewis Hamilton fez valer não apenas o melhor e mais equilibrado carro da F1 atual, mas também seu notório talento debaixo de chuva. O britânico cravou 1min59s517, sendo o único a andar abaixo dos 2min e se colocou não só na ponta do treino, mas também como 'pole-position provisório' do GP dos Estados Unidos.

Lewis enfiou 0s863 de vantagem para Sebastian Vettel, que terminou a sessão em segundo lugar no Texas. Entretanto, uma vez que a Ferrari trocou seu motor — e também o de Kimi Räikkönen — para a sequência deste aquático fim de semana nos Estados Unidos, o tetracampeão perderá dez posições no grid de largada. O que, se a classificação não acontecer, vai beneficiar Nico Hülkenberg. O talentoso piloto da Force India marcou o terceiro melhor tempo do TL3 em Austin e teve um grande desempenho na chuva.

Outro que conseguiu mostrar suas habilidades em pista molhada foi Valtteri Bottas, que se colocou em quarto lugar com a Williams nesta manhã. Destaque também para Carlos Sainz Jr. Em sua primeira vez no Circuito das Américas, o espanhol da Toro Rosso se colocou em quinto lugar, sendo seguido por Daniil Kvyat, da Red Bull. Kimi Räikkönen foi o sétimo lugar, logo à frente de outra Red Bull, a de Daniel Ricciardo. Nico Rosberg chegou a bater de leve no começo do treino, mas voltou à pista e anotou o nono melhor tempo, enquanto Felipe Massa completou o top-10.

Felipe Nasr, por sua vez, não conseguiu encaixar uma boa volta em sua breve participação em Austin e ficou só em 19º, só à frente de Max Verstappen.

Lewis Hamilton some na chuva, mas marca tempo arrasador em Austin (Foto: Reprodução/F1)

Saiba como foi o terceiro treino livre do GP dos Estados Unidos:

O sábado amanheceu com a mesma forte chuva que foi a grande marca da sexta-feira em Austin. Mas a FIA, depois de fazer seguidas voltas de verificação no Circuito das Américas com o safety-car e o carro médico, decidiu manter a programação para a manhã e foi em frente com o terceiro treino livre do GP dos Estados Unidos. Treino que poderia definir o grid de largada caso a direção de prova decida cancelar o treino classificatório, marcado para 16h (horário de Brasília).

E o primeiro a se aventurar na encharcada pista texana foi Daniel Ricciardo. Era evidente que desde o primeiro momento, havia uma enorme dificuldade em controlar o carro com o asfalto naquelas condições. Mas ainda assim, o australiano, com pneus para chuva forte, conseguiu marcar tempo, anotando 2min12s758. Daniel acabou sendo seguido por vários pilotos que deixaram os boxes.

Felipe Nasr participou do treino em Austin e se garantiu no GP dos Estados Unidos (Foto: Reprodução/F1)

Entre eles, Felipe Nasr, que não participou do primeiro treino livre de sexta-feira e assegurou sua presença na corrida. Considerando que o regulamento da F1 impede que um piloto alinhe no grid de uma etapa do Mundial sem antes participar de ao menos um treino, era fundamental que o brasiliense saísse dos boxes nessa sessão. Assim, Felipe se garantiu no seu primeiro GP dos Estados Unidos.

Mas a pista estava muito difícil para os pilotos. A dupla da Mercedes enfrentou um grande desafio para segurar seus carros. Nico Rosberg e Lewis Hamilton rodaram, com o alemão levando a pior ao bater de leve e danificar a asa dianteira na curva 3. Definitivamente, era bem difícil a situação em Austin. 

Mesmo assim, Hamilton conseguiu se colocar na frente quando eram percorridos dez minutos de sessão. O virtual tricampeão do mundo anotou 2min02s561 e passou Valtteri Bottas. Sebastian Vettel era o terceiro, seguido por Fernando Alonso, piloto que sempre teve um bom desempenho na chuva. Felipe Massa, por sua vez, era o oitavo, enquanto o xará Felipe Nasr ainda não tinha marcado volta.

Seria mesmo a definição da pole? Pois Vettel levava a sério o terceiro treino e fazia um stint de voltas 'rápidas' em Austin. O tetracampeão conseguiu superar Hamilton e subiu para a ponta, seguido pelo companheiro de Ferrari Kimi Räikkönen. Bottas também conseguiu superar Hamilton e avançou para terceiro lugar no Texas. E Vettel continuava a melhorar seu tempo depois de anotar 2min002380.

Valtteri Bottas fez um bom trabalho diante da forte chuva no Texas (Foto: Williams F1/Twitter)

Via rádio, Seb informou a Ferrari de que a chuva voltava a apertar no Texas, o que piorava de forma considerável as condições da pista. Quem se aventurava pelo circuito enfrentava muitos riscos com a aquaplanagem, como Räikkönen, que ocupava o segundo lugar. Mesmo assim, Bottas, por exemplo, conseguia melhorar seu tempo, mas permanecia em terceiro, atrás dos carros da Ferrari e logo à frente de Hamilton.

Outro piloto bom de chuva, Nico Hülkenberg, também se destacava em meio às condições críticas de Austin. E o alemão pulou para um ótimo terceiro lugar, deixando para trás Bottas e Hamilton. Era uma posição interessante para Nico, já que, se o terceiro treino fosse convertido em classificação, era ele o pole-position, já que tanto Vettel como Räikkönen perderiam dez posições no grid por troca de motor.

Hülkenberg seguia melhorando bem seu tempo e se aproximava de Räikkönen no segundo lugar. Outro piloto que melhorou bem sua marca foi Massa, que pulou para sexto posto, logo atrás de Bottas, em quarto, e Hamilton. E por mais incrível que fosse, mesmo com a chuva bem forte, outros tantos pilotos conseguiam abaixar seus tempos. Como Bottas, que superou Hülkenberg e pulou para terceiro, e Pérez, que conseguiu bater Massa. E Rosberg voltava à pista para superar Hamilton e subir para quinto lugar.

Só que Hülkenberg deu o troco com uma ótima volta e marcou 2min00s496 para se colocar em segundo lugar. Bottas novamente se destacava na chuva e também encostou em Vettel e Hülkenberg, pulando para terceiro. Por sua vez, Massa voltava ao sexto lugar, enquanto Felipe Nasr enfrentava dificuldades e era apenas o 19º lugar.

Sebastian Vettel aquaplana em Austin no terceiro treino livre (Foto: Reprodução)

Aí veio Hamilton para fazer uma volta arrasadora e ser o primeiro piloto a quebrar a barreira de 2min00s em Austin neste sábado. Com o tempo de 1min59s517, Lewis subiu para primeiro com um tempo tão expressivo que poderia lhe garantir até mesmo a pole-position caso o treino livre tivesse mesmo o peso da classificação. Destaque também para Carlos Sainz, quinto colocado em sua primeira vez em Austin. Em contrapartida, Vettel tinha muitas dificuldades e aquaplanava sua Ferrari por duas vezes na sequência.

Era o grande indicativo de que a pista tinha piorado mesmo com a forte chuva. Assim, todos os pilotos voltaram para os boxes em Austin quando restavam pouco mais de 23 minutos para o fim da sessão, que tinha Hamilton na frente, seguido por Vettel, Hülkenberg, Bottas, Sainz, Daniil Kvyat, Räikkönen, Ricciardo, Rosberg e Massa. Nasr continuava em 19º.

Imagem aérea de Austin mostra o quanto as condições eram críticas (Foto: Reprodução)

As condições da pista eram impraticáveis naquele momento e, por mais que os pilotos tentassem, não havia mais maneira de melhorar os tempos. A chuva era muito forte no quarto final de sessão. No fim das contas, o cenário acabou por sacramentar a liderança de Hamilton em Austin, naquilo que pode se converter, logo mais, em mais uma pole-position para o bicampeão do mundo.

F1, GP dos Estados Unidos, Circuito das Américas, terceiro treino livre:

 
1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:59.517   9
2 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI 2:00.380 +0.863 9
3 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES 2:00.496 +0.979 12
4 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES 2:00.523 +1.006 14
5 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT 2:00.687 +1.170 11
6 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT 2:00.694 +1.177 12
7 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI 2:00.785 +1.268 9
8 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT 2:01.008 +1.491 12
9 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 2:01.474 +1.957 7
10 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES 2:02.199 +2.682 13
11 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES 2:02.660 +3.143 12
12 8 ROMAIN GROSJEAN FRA LOTUS MERCEDES 2:02.921 +3.404 10
13 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS MERCEDES 2:02.921 +3.404 11
14 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA 2:03.375 +3.858 9
15 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI 2:04.399 +4.882 13
16 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA 2:05.283 +5.766 7
17 28 WILL STEVENS ING MANOR MARUSSIA FERRARI 2:05.378 +5.861 10
18 53 ALEXANDER ROSSI ESP MANOR MARUSSIA FERRARI 2:05.607 +6.090 10
19 36 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI 2:06.792 +7.275 10
20 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO RENAULT 2:09.994 +10.477 7
    TEMPO 107% TL3   2:07.883    
               
RECORDE SEBASTIAN VETTEL ALE RED BULL RB8 1:35.657 17/11/15  
MELHOR VOLTA SEBASTIAN VETTEL ALE RED BULL RB8 1:39.347 18/11/15  
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube