Hamilton sofre com falta de vácuo, mas celebra briga entre equipes na Áustria

Sem pegar o vácuo de outros carros no Q3, Lewis Hamilton não conseguiu maximizar a velocidade nas retas do Red Bull Ring. O britânico saiu derrotado por Charles Leclerc, que encontrou volta 0s2 mais rápida no momento decisivo


 
Lewis Hamilton conseguiu o segundo melhor tempo no treino classificatório deste sábado (29) no Red Bull Ring, mas talvez conseguisse algo melhor se tivesse a ajuda do vácuo. O britânico, atrás somente do pole Charles Leclerc, lamentou não conseguir seguir outros carros em nenhuma das voltas rápidas do Q3, o que ajudaria a encontrar velocidade nas retas.
 
“Parabéns ao Charles [Leclerc], ele esteve rápido no fim de semana inteiro. Foi muito difícil conseguir me posicionar na pista e eu estava sempre na frente, então nunca conseguia pegar vácuo”, disse Hamilton.
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)

Hamilton foi 0s2 mais rápido do que Max Verstappen, que larga em terceiro no domingo com a Red Bull. A situação traz um sorriso para o britânico, que vê com bons olhos a proximidade entre as equipes de ponta da F1. “Mesmo assim, acho que é legal ver três equipes diferentes nas três primeiras posições”, destacou.

 
Para Hamilton, foi particularmente bom ver Verstappen em terceiro – o holandês superou Bottas, rival na briga pelo título, que larga apenas em quarto. Mesmo assim, tudo isso pode ser em vão: Lewis está sob investigação por atrapalhar volta de Kimi Räikkönen no Q2. A punição padrão para tal infração, perda de três posições, jogaria Lewis do segundo para o quinto posto, atrás do companheiro de equipe. Sobre o incidente, Lewis admitiu que prejudicou Kimi.

“Eu vi o carro de uma equipe vindo, estava na freada do hairpin. Eu vi um outro vindo, aí freei e fui reto. Eu não peguei ele na curva, mas atrapalhei. Não estava sabendo do carro que estava vindo, então não foi fácil”, recordou.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube