F1

Hamilton sofre com pneus, mas é 4º e conquista pentacampeonato da F1. Verstappen vence no México

Lewis Hamilton fez uma corrida para o gasto, não se arriscou e ainda enfrentou problemas com o desgaste dos pneus. Mesmo assim, conquistou o quarto lugar, suficiente para confirmar o pentacampeonato no México. Max Verstappen venceu de ponta a ponta e Sebastian Vettel foi segundo
Warm Up, da Cidade do México / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Lewis Hamilton e Sebastian Vettel (Foto: AFP)
28 de outubro de 2018, um dia histórico para o automobilismo mundial. Neste domingo (28), Lewis Hamilton entrou de vez para a seletíssima galeria dos maiores campeões da história da F1 e conquistou o pentacampeonato mundial depois de ter finalizado o GP do México em quarto. Não foi, necessariamente, uma corrida fácil para o britânico, que largou bem, pulou de terceiro para segundo, mas sofreu muito com o desgaste dos pneus ultra e supermacios e não conseguiu sustentar a colocação. Mas o piloto nem precisou subir ao pódio no Autódromo Hermanos Rodríguez. O quarto lugar foi mais do que suficiente, uma vez que precisava apenas ser sétimo para confirmar o título. Assim, Hamilton se iguala a Juan Manuel Fangio e fica a apenas dois títulos de empatar com Michael Schumacher, o maior campeão de todos os tempos.

Enquanto Hamilton corria para garantir o campeonato, Max Verstappen foi soberano e vingou, de certa forma, a conquista da pole-position de Daniel Ricciardo no sábado. Com uma largada perfeita, o holandês conquistou a liderança e daí em diante jamais foi superado. De ponta a ponta, o jovem holandês de 21 anos foi perfeito e venceu pela segunda vez no ano, a quinta na carreira.

Sebastian Vettel bem que tentou, mas sabia que mesmo adiar a definição do título para Interlagos seria algo bastante improvável. O alemão foi aguerrido e ficou longe dos erros cometidos nas últimas corridas. Nas voltas finais, Seb se aproximou de Ricciardo e até mostrou ter o carro mais no chão para fazer a ultrapassagem e terminar em segundo. Mas o motor Renault do australiano, que fez uma prova valente, voltou a abrir o bico e o deixou na mão, sacramentando o pódio do alemão. Kimi Räikkönen, que fez uma corrida bastante apagada, diferente de semana passada nos EUA, completou o top-3.

Valtteri Bottas foi o quinto, enquanto Nico Hülkenberg foi o melhor do resto e levou a Renault à sexta colocação. Charles Leclerc, com outra grande atuação, finalizou em sétimo, seguido por um dos bons nomes da corrida, Stoffel Vandoorne, que surpreendeu com a McLaren em oitavo. Marcus Ericsson, da Sauber, e Pierre Gasly, completaram os dez pontuadores, enquanto Fernando Alonso, melancolicamente, foi o primeiro a abandonar a prova.
Lewis Hamilton foi ovacionado pela torcida mexicana após confirmar o pentacampeonato (Foto: AFP)
Saiba como foi o GP do México de F1


Com 19º de temperatura ambiente, 32ºC no asfalto e um enorme calor humano vindo das arquibancadas lotadas do Autódromo Hermanos Rodríguez, o GP do México começou com a expectativa de coroar Lewis Hamilton como pentacampeão do mundo.

A largada foi livre de problemas e teve Hamilton como grande nome, pulando de terceiro para segundo após se colocar entre as duas Red Bull em uma postura bastante agressiva, de quem buscava mesmo a vitória. Max Verstappen se deu melhor e tomou a liderança, com o pole Daniel Ricciardo caindo para terceiro após tracionar muito mal. Sebastian Vettel aparecia apenas na quarta colocação. Confusão, mesmo, apenas no pelotão intermediário: após enroscos, Esteban Ocon teve de levar sua Force India para os boxes para trocar a asa dianteira. Brendon Hartley trocou pneus após incidente na primeira volta. De restante, foi uma corrida que começou sob controle.
Hamilton subiu para segundo na largada do GP do México (Foto: AFP)
O primeiro a abandonar foi Fernando Alonso, um dos pilotos mais ovacionados do fim de semana. O bicampeão acabou carregando um detrito de carro de Ocon ainda na primeira volta e, desde então, começou a enfrentar problemas e abandonou de vez na sexta volta. Por conta da remoção da McLaren da área de escape da curva 11, a direção de prova chegou a acionar o safety-car virtual, que logo deu lugar novamente à luz verde.

Volta a volta, Verstappen conseguia abrir ligeira vantagem para Hamilton, que só tinha o trabalho de chegar à frente de Vettel para confirmar o título. Àquela altura, com nove voltas completadas, os pneus ultramacios dos líderes já começavam a apresentar alto desgaste, como pontuou o #44 da Mercedes. Não à toa, o britânico foi o primeiro entre os líderes a fazer seu pit-stop, trocando os ultra pelos supermacios. Valtteri Bottas foi aos boxes segundos depois. Mais atrás, a torcida mexicana vibrava com Sergio Pérez duelando com Marcus Ericsson pelo décimo lugar.

Ricciardo fez seu pit-stop na volta seguinte, a 13ª, e voltou em quinto lugar, entre as Mercedes de Hamilton e Bottas. Verstappen foi aos boxes na volta 14 e repetiu a estratégia: ultra pelos supermacios. Vettel tomou a liderança de forma provisória, com Räikkönen em segundo e Verstappen voltando em terceiro. Só que, no giro seguinte, Max aproveitou o excelente ritmo da Red Bull e os pneus mais novos, acionou a asa móvel e ultrapassou o finlandês com facilidade.

Räikkönen tinha ritmo pior e ficou sob a alça de mira de Hamilton. Não foi uma ultrapassagem tão fácil, mas o britânico superou o 'Homem de Gelo' por dentro, na entrada da curva 3. Ricciardo veio em seguida e também passou o finlandês. Pouco depois, a Ferrari chamava Vettel e Räikkönen e usava a estratégia de trocar os ultra pelos supermacios. Seb voltava na quarta colocação, enquanto Kimi era o sexto. A ordem da prova voltava ao normal do início, com Verstappen na frente e Hamilton em segundo.
Lewis Hamilton lidou com o alto desgaste dos pneus, mas confirmou o pentacampeonato (Foto: AFP)
Mesmo com poucas voltas após o pit-stop, Hamilton já reclamava da performance dos pneus supermacios. Mesmo assim, Lewis parecia ter o terceiro lugar sob controle, enquanto Ricciardo e Vettel não mostravam ter condições sequer de fazer a aproximação.

A corrida ficou bem morna daí em diante. Um dos poucos momentos atípicos foi o acionamento, novamente, do safety-car virtual. Carlos Sainz estava na oitava posição quando parou seu carro no Foro Sol. Fim de corrida para um dos bons destaques dos treinos livres na sexta-feira. Nesse meio tempo, Esteban Ocon e Sergio Pérez aproveitaram para fazer mais uma parada.

A corrida foi retomada no seu ritmo normal pouco depois com Vettel atacando Ricciardo. O alemão fez a ultrapassagem na volta 34, subindo para a terceira posição, cerca de 3s7 atrás de Hamilton. No pelotão intermediário, Pérez voltava a levantar o público mexicano depois de ultrapassar a Sauber de Charles Leclerc e ganhar a oitava colocação.

Após passar Ricciardo, Vettel se aproximava de Hamilton a cada volta. A Ferrari mostrava ter uma melhor performance naquele momento com os pneus supermacios, de modo que a ultrapassagem parecia ser questão de tempo. Com o regulamento debaixo do braço, Lewis nem precisaria brigar com o rival pelo segundo lugar e, por isso, não ofereceu muita resistência, com o alemão fazendo a ultrapassagem na curva 1. Mas a diferença de Seb para o líder era muito grande, de 14s.
Sergio Pérez abandonou a corrida na volta 42 (Foto: Racing Point Force India)
A entusiasmada torcida mexicana levou uma bela ducha de água fria depois que Pérez teve de recolher para os boxes para abandonar a corrida por conta de problemas nos freios do seu carro. Já a outra Force India, de Ocon, se enroscava com Brendon Hartley quando lutava pelo 13º lugar.

Enquanto Vettel acelerava para tentar encurtar a distância para Verstappen, com uma série de voltas mais rápidas, Hamilton lutava com os supermacios e via a aproximação de Ricciardo. Nada que fosse uma grande preocupação quanto ao campeonato, uma vez que o quinto lugar era Bottas, seu companheiro de Mercedes. Na volta 47, Hamilton tentou evitar a ultrapassagem do australiano e fritou os pneus no fim da reta, chegando a passear pela grama. Riciardo ganhou a terceira posição, enquanto a Mercedes se preparou para um segundo pit-stop: "Os pneus estão acabados", falou o piloto via rádio.

Antes de Hamilton, Vettel foi aos boxes fazer sua parada. O britânico veio na sequência e repetiu a estratégia do rival ao trocar os super pelos ultramacios. Verstappen também fez seu segundo pit-stop, mas colocou outro jogo de supermacios para partir para a vitória no México. No fim das contas, Vettel voltou em terceiro e tentava se aproximar de Ricciardo, enquanto Lewis vinha em quinto. Só que o motor Renault de Ricciardo apresentou problemas novamente na temporada e o deixou na mão nas voltas finais. Vettel ganhou uma posição e subiu para segundo, à frente de Räikkönen e Hamilton.
O pódio do GP do México (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Verstappen, ciente de todo o histórico de falta de confiabilidade do motor Renault, se mostrava apreensivo e com natural receio de sofrer uma quebra e perder a vitória. Mas o próprio holandês tratou de responder na pista com uma boa volta, indicando que estava tudo certo com a unidade de potência francesa. Daí em diante, foi apenas questão de segurar o ritmo e seguir para a consagradora vitória. E Hamilton, na ponta dos dedos, rumou para cruzar a linha de chegada e entrar de novo para a história. Desta vez, como pentacampeão mundial de F1.

O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do México de F1 neste fim de semana com a repórter Evelyn Guimarães.
 
E o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece este ano nos dias 9, 10 e 11 de novembro, no autódromo de Interlagos. Os ingressos para a corrida estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br.



F1 2018, GP do México, Hermanos Rodríguez, corrida:

1 M VERSTAPPEN Red Bull Tag Heuer 71 voltas  
2 S VETTEL Ferrari +17.316  
3 K RÄIKKÖNEN Ferrari +49.914  
4 L HAMILTON Mercedes +1:18.738  
5 V BOTTAS Mercedes +1 volta  
6 N HÜLKENBERG Renault +2 voltas  
7 C LECLERC Sauber Ferrari +2 voltas  
8 S VANDOORNE McLaren Renault +2 voltas  
9 M ERICSSON Sauber Ferrari +2 voltas  
10 P GASLY Toro Rosso Honda +2 voltas  
11 E OCON Force India Mercedes +2 voltas  
12 B HARTLEY Toro Rosso Honda +2 voltas  
13 S SIROTKIN Williams Mercedes +2 voltas  
14 L STROLL Williams Mercedes +2 voltas  
15 K MAGNUSSEN Haas Ferrari +2 voltas  
16 R GROSJEAN Haas Ferrari +3 voltas  
17 D RICCIARDO Red Bull Tag Heuer +9 voltas NC
18 S PÉREZ Force India Mercedes +30 voltas NC
19 C SAINZ JR Renault +40 voltas NC
20 F ALONSO McLaren Renault +67 voltas NC