Hamilton supera drama após forte batida de Vettel e fatura pole do GP da Rússia

O sábado parecia tranquilo, mas ganhou contornos dramáticos para Lewis Hamilton após a batida forte de Sebastian Vettel no fim do Q2. O hexacampeão avançou para a fase final e, com direto a um 'temporal' e recorde, garantiu a pole 96 da carreira. Max Verstappen também brilhou com uma volta que o colocou à frente de Valtteri Bottas para partir em segundo lugar na corrida

Lewis Hamilton, pela 96ª vez na carreira, vai largar na pole-position na Fórmula 1. Mas a conquista deste sábado (26) no Parque Olímpico de Sóchi teve contornos dramáticos. O hexacampeão do mundo não tinha tempo registrado quando Sebastian Vettel bateu forte no fim do Q2 e causou uma bandeira vermelha. Na volta da sessão, Lewis conseguiu abrir volta rápida com pneus macios, escapou da eliminação no sufoco e, minutos depois, no Q3, brilhou de novo: com um verdadeiro ‘temporal’ e recorde da pista e a volta em 1min31s304, o britânico colocou o Mercedes #44 novamente na pole-position, sendo a oitava vez somente nesta temporada.

Lewis Hamilton brilhou com recorde da pista para largar na pole em Sóchi (Foto: AFP)

De forma inacreditável, Valtteri Bottas foi superado também por Max Verstappen, que conseguiu uma volta redentora na última tentativa no Q3 para largar na segunda posição, 0s563 atrás de Hamilton. Restou ao finlandês um lugar na segunda fila, onde vai partir lado a lado com a Racing Point de Sergio Pérez.

O complicador para Hamilton vai ser na largada. A mudança na dinâmica da sessão após a batida de Vettel fez com que a estratégia traçada pela Mercedes para Lewis, de largar com pneus médios, fosse descartada para que fosse possível garantir uma volta segura para passar ao Q3. Lewis vai largar, então, com pneus macios, contra os médios de Verstappen e Bottas.

Daniel Ricciardo, na esteira de ótimo fim de semana com a Renault, obteve a quinta posição na classificação, seguido pela McLaren de Carlos Sainz. A quarta fila também vai ter Renault e McLaren, com Esteban Ocon e Lando Norris. Pierre Gasly, da AlphaTauri, e Alexander Albon, com a segunda Red Bull, completam o top-10 do grid russo.

A Ferrari viveu outro dia difícil. Além de Vettel, a escuderia de Maranello também amargou a eliminação de Charles Leclerc, que vai abrir a corrida em 11º, quatro posições à frente do tetracampeão.

A largada do GP da Rússia vai ser em horário mais cedo que o habitual e está prevista para 8h10 (horário de Brasília). Antes, às 7h, o GRANDE PRÊMIO inicia a transmissão ao vivo do BRIEFING pré-corrida com a análise do treino classificatório e as últimas informações vindas diretas de Sóchi. Tudo no canal do GRANDE PRÊMIO no YouTube.

Saiba como foi a classificação do GP da Rússia de Fórmula 1

Q1: Russell vai ao Q2 e Räikkönen fica em último

Com 26ºC de temperatura ambiente, 34ºC no asfalto e o céu bastante nublado, mas com somente 10% de chance de chuva, segundo a meteorologia oficial da Fórmula 1, os 20 pilotos deixaram os boxes rumo à primeira fase da classificação em Sóchi. George Russell, com a Williams, puxou a fila no Q1, seguido por Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, esses dois favoritíssimos à pole-position.

No primeiro confronto direto entre os dois pilotos da equipe hexacampeã, melhor para o finlandês, que virou 1min32s656. A volta de Hamilton foi tão ruim que nem deu para levar muito em conta, com o britânico ficando 1s6 atrás do companheiro de equipe. O tempo de Lewis acabou sendo deletado por ter excedido os limites de pista na curva 2.

No giro seguinte, Hamilton foi bem melhor, mas não o bastante para encostar na marca estabelecida por Bottas ao cravar 1min32s983, 0s327 atrás do tempo registrado pelo finlandês.

Daniil Kvyat surpreendeu ao colocar a AlphaTauri em terceiro no Q1 (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Na sequência das voltas, quem se colocava em terceiro era Sergio Pérez, com a Racing Point, sendo seguido por Carlos Sainz, da McLaren, e Max Verstappen, quinto com a Red Bull. Charles Leclerc conseguia colocar a Ferrari em sexto, logo à frente da Renault de Daniel Ricciardo e da AlphaTauri de Pierre Gasly. Alexander Albon, da Red Bull, e Lance Stroll, da Racing Point, fechavam o top-10 provisório. Do terceiro ao 13º, Russell, a diferença era inferior a 1s.

Os minutos finais do Q1 reservaram momentos de tráfego intenso com boa parte dos pilotos tentando aquela volta para se garantir na segunda fase da sessão. Esteban Ocon, que estava em 16º, e garantiu com folga ao subir para terceiro lugar, sendo seguido por Ricciardo.

Kimi Räikkönen vai largar no fim da fila no GP da Rússia (Foto: Alfa Romeo)

Quem estava ameaçado de ser eliminado no Q1 era Sebastian Vettel, mas o tetracampeão se garantiu com volta que o colocou tranquilo na segunda parte. Outro destaque no fim foi a presença de Daniil Kvyat, com grande volta, para colocar a AlphaTauri em terceiro. E Russell, já na bandeira quadriculada, avançou novamente para o Q2 na temporada.

Foram eliminados, no fim das contas, Romain Grosjean, Antonio Giovinazzi, Kevin Magnussen, Nicholas Latifi e Kimi Räikkönen, que vai largar em último no GP da Rússia.

Q2: Batida forte de Vettel provoca drama para Hamilton

Dentre os 15 pilotos que avançaram à fase seguinte da sessão, três voltaram à pista calçados com pneus médios: Bottas, Hamilton e Verstappen, tentando uma estratégia diferente para a largada neste domingo.

Nas voltas iniciais do Q2, Pérez foi o primeiro a reportar a presença de algumas gotas de chuva ao longo de uma volta rápida. Com a pista seca, contudo, Hamilton enfiou quase 1s de vantagem sobre Bottas para marcar 1min32s085. Só que o tempo de volta do hexacampeão foi deletado por exceder os limites de pista da última curva da pista, a 18.

F1; FÓRMULA 1; LEWIS HAMILTON; SÁBADO; GP DA RÚSSIA; SÓCHI;
Hamilton perdeu uma grande volta após exceder os limites de pista na curva 18 em Sóchi (Foto: Reprodução)

Assim, sem o tempo de Hamilton, quem assumiu a ponta foi Ricciardo, que anotou 1min32s218, seguido por Sainz, Pérez e só então Bottas, na quarta posição. Lewis não tinha volta registrada em razão da punição imposta e teria, na prática, somente uma outra chance de tentar se garantir no Q3.

Nos instantes finais do Q2, Bottas registrou outra volta, mas que não foi boa o bastante sequer para superar Ricciardo, ficando 0s187 atrás do australiano. Hamilton também estava na pista e vinha para se assegurar com folga na fase final da classificação.

Até que o imponderável voltou a passear na temporada.

Vettel, que também tentava se colocar no Q3, rodou à altura da curva 4 e bateu na barreira de proteção. Charles Leclerc, que vinha logo atrás, por muito pouco não acertou em cheio o carro do companheiro de equipe. A direção de prova acionou a bandeira vermelha, o que, na prática, colocou em xeque as chances de Hamilton passar para a última parte da sessão.

O britânico ficou atrás de uma fila de carros alinhados no pit-lane antes do reinício da sessão. Hamilton mandou a estratégia outrora traçada às favas e voltou com pneus macios. Quem teve problemas, antes mesmo de sair para a pista, foi Stroll, que ficou parado na fila e teve de ser recolhido de volta para os boxes da Racing Point. Em momento tenso, Verstappen passou Albon ainda no pit-lane para ser o primeiro a fazer sua volta rápida.

Com a pista finalmente liberada, o cenário era de corrida em plena classificação. O drama foi ainda maior para Hamilton, que passou reto na curva 2 e perdeu ainda mais tempo. No fim das contas, por muito, muito pouco, Lewis conseguiu abrir sua volta rápida no limite.

Acabou dando certo. Com uma volta lenta para os padrões da Mercedes, mas suficiente para se colocar no Q3, Hamilton passou com tempo 0s617 mais lento que o de Ricciardo. Avançaram também Bottas, Sainz, Pérez, Lando Norris, Pierre Gasly, Albon, Verstappen e Ocon. A Ferrari amargou a eliminação com seus dois carros. Leclerc ficou fora, além de Daniil Kvyat, Stroll, Russell e Vettel.

Q3: Temporal garante pole para Hamilton em Sóchi

Na última fase da sessão, todos os dez pilotos foram à pista com pneus macios. A luta pela pole era clara e se resumia ao duelo entre Hamilton e Bottas.

Ricciardo, ótimo em todo o fim de semana, chegou a liderar o Q3 com 1min32s364 no começo, mas foi superado por Bottas na sequência. Segundos depois, Hamilton estabeleceu um temporal: 1min31s391, excepcional marca que o colocou na pole provisória.

Com volta fabulosa, Hamilton vai largar na pole em Sóchi (Foto: AFP)

Dentre os dois pilotos da Mercedes, Bottas foi quem abriu primeiro sua última tentativa de volta rápida. No primeiro setor, o finlandês passou acima da parcial estabelecida por Hamilton e foi muito mais lento na sequência da volta, ficando 0s565 atrás do tempo do parceiro de equipe.

No fim das contas, Hamilton registrou o novo recorde de Sóchi com 1min31s304, brilhou após o drama e garantiu uma pole incrível na Fórmula 1. E Bottas, de forma até surpreendente, foi superado pela Red Bull de Verstappen, que vai dividir a primeira fila com o hexacampeão mundial.

Fórmula 1 2020, GP da Rússia, Sóchi, Grid de Largada:

1L HAMILTONMercedes 1:31.304 
2M VERSTAPPENRed Bull Honda 1:31.867+0.563
3V BOTTASMercedes 1:31.956+0.652
4S PÉREZRacing Point Mercedes 1:32.317+1.013
5D RICCIARDORenault 1:32.364+1.060
6C SAINZ JRMcLaren Renault 1:32.550+1.246
7E OCONRenault 1:32.624+1.320
8L NORRISMcLaren Renault 1:32.847+1.543
9P GASLYAlphaTauri Honda 1:33.000+1.696
10A ALBONRed Bull Honda 1:33.008+1.704
11C LECLERCFerrari 1:33.239+1.935
12D KVYATAlphaTauri Honda 1:33.249+1.945
13L STROLLRacing Point Mercedes 1:33.364+2.060
14G RUSSELLWilliams Mercedes 1:33.583+2.279
15S VETTELFerrari 1:33.609+2.305
16R GROSJEANHaas Ferrari 1:34.592+3.288
17A GIOVINAZZIAlfa Romeo Ferrari 1:34.594+3.290
18K MAGNUSSENHaas Ferrari 1:34.681+3.377
19N LATIFIWilliams Mercedes 1:35.066+3.762
20K RÄIKKÖNENAlfa Romeo Ferrari 1:35.267+3.963
  Tempo 107% 1:37.695+6.391

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube