Hamilton vence com folga movimentado GP da Hungria. Verstappen vai do drama ao pódio

De ponta a ponta e com a volta mais rápida da corrida, Lewis Hamilton coroou com vitória uma jornada perfeita neste domingo em Hungaroring. Com o triunfo, o hexacampeão está a apenas cinco de igualar o recorde de Michael Schumacher

De ponta a ponta, Lewis Hamilton venceu com tranquilidade o GP da Hungria, terceira etapa da temporada 2020 do Mundial de Fórmula 1, neste domingo (19). O hexacampeão do mundo sobrou desde a largada, não deu a menor chance para os adversários e fez uma exibição perfeita com direito a volta mais rápida e ponto extra. Nem mesmo a chuva que deixou a prova muito movimentada e cheia de disputas atrapalhou o piloto da Mercedes, que alcançou seu triunfo 86 na carreira e está a 5 de igualar o recorde de Michael Schumacher. Foi também a oitava vitória de Hamilton na Hungria.

Destaque também para Max Verstappen. Depois de um sábado complicado em que marcou somente a sétima posição do grid, o holandês vivenciou um drama na volta de saída dos boxes neste domingo. Com o asfalto úmido, consequência da chuva horas antes do início da prova, o piloto cometeu um erro e chegou a bater o carro na barreira de pneus, danificando a asa dianteira do RB16. Após muito trabalho dos mecânicos, a Red Bull conseguiu alinhar o carro para a largada e permitiu ao holandês uma boa corrida e ir para o pódio na segunda colocação.

Max conseguiu o feito de segurar Valtteri Bottas no fim da corrida e, após suportar muita pressão, deixou o finlandês na terceira posição. O piloto da Mercedes arriscou na estratégia no fim e calçou pneus duros novos para tentar a dobradinha, mas Verstappen se defendeu bem e marcou mais um pódio na temporada.

Lance Stroll conquistou um ótimo quarto lugar para a Racing Point, seguido por Alexander Albon, também da Red Bull, que saiu de 13º no grid para a quinta colocação. O anglo-tailandês deixou a Ferrari de Sebastian Vettel para trás, enquanto Sergio Pérez, que largou em quarto, cruzou a linha de chegada somente em sétimo.

Daniel Ricciardo repetiu o oitavo lugar de uma semana atrás do GP da Estíria, enquanto Kevin Magnussen fez boa corrida após a Haas arriscar antes da largada e calçar pneus para pista seca. O dinamarquês foi o nono, mas sofreu punição da direção de prova por ter recebido ajuda externa — comunicação via rádio durante a volta de apresentação —, o que o levou a ter 10s acrescidos ao seu tempo de volta. Assim, Carlos Sainz, da McLaren, ficou com o nono lugar, e Magnussen, mesmo com a punição, terminou em décimo, à frente da Ferrari de Charles Leclerc.

Soberano, Lewis Hamilton venceu de ponta a ponta em Hungaroring (Foto: Mercedes)

Neste domingo, o Briefing entra ao vivo às 13h (Brasília, GMT -3). No pós-corrida do GP da Hungria de F1, Victor Martins, Evelyn Guimarães e Felipe Noronha analisam a disputa em Hungaroring e trazem as últimas informações da terceira etapa do Mundial 2020. Inscreva-se no canal do GRANDE PRÊMIO no YouTube e ative as notificações.

Saiba como foi o GP da Hungria de Fórmula 1

Antes mesmo da largada, Max Verstappen viveu um grande drama. Na volta de saída dos boxes, o holandês perdeu o controle do carro no asfalto úmido de Hungaroring, bateu na barreira de proteção e teve a asa dianteira danificada. Foram minutos de intenso trabalho, mas a Red Bull conseguiu deixar o RB16 de numeral #33 pronto para acelerar logo depois.

A volta de apresentação, com todos os pilotos usando pneus intermediários, teve um momento muito curioso: o ex-jogador de futebol Roberto Carlos apareceu no telão da Fórmula 1 com uma mensagem de incentivo aos pilotos. A caminho do grid, Romain Grosjean e Kevin Magnussen foram para os boxes para fazer a troca de pneus, colocando compostos de pista seca. Horas depois, no entanto, a direção de prova puniu a dupla em 10s por ter recebido ajuda externa — comunicação via rádio — antes da largada.

Max Verstappen bateu e danificou a asa dianteira pouco antes da largada na Hungria (Foto: Reprodução)

Na largada, Lewis Hamilton teve uma partida tranquila e manteve a dianteira com tranquilidade. Quem surpreendeu foi Lance Stroll, que deixou Valtteri Bottas para trás e assumiu a segunda posição. O finlandês e Sergio Pérez, que largaram do mesmo lado, enfrentaram muitas dificuldades para tracionar seus respectivos carros, perdendo várias posições. Bottas despencou para sexto, logo à frente de ‘Checo’. Max Verstappen e Sebastian Vettel, em contrapartida, fizeram ótima largada.

A sensível melhora da pista fez com que as outras equipes seguissem o procedimento da Haas, chamando seus pilotos para trocar pneus intermediários para os de pista seca, provocando um movimento intenso no pit-lane.

Depois das paradas para troca de pneus, Hamilton manteve a dianteira, com Verstappen na segunda colocação. O acerto na estratégia levou a Haas a uma posição incomum com Magnussen em terceiro e Grosjean em quarto. Nicholas Latifi, que chegou a andar em décimo logo após a largada, se envolveu em incidente com a McLaren de Carlos Sainz no pit-lane e teve o pneu traseiro esquerdo furado.

A fase de Kimi Räikkönen é mesmo horrorosa. O ‘Homem de Gelo’ foi punido pela direção de prova em 5s por errar a posição no grid de largada. Já o outro finlandês do grid, Bottas, tentou ultrapassar a Ferrari de Charles Leclerc e ganhar a sexta posição na nona volta, mas passou por cima do trecho molhado antes da curva 2 e perdeu muito tempo.

Lá na frente, Hamilton liderava com vantagem de 8s para Verstappen após nove voltas completadas. Magnussen conseguiu se sustentar em terceiro, mas sofreu forte pressão da Racing Point de Stroll, que fazia ótima corrida. Em contrapartida, a McLaren tinha sua dupla muito para trás no pelotão: Carlos Sainz era o 12º, enquanto Lando Norris aparecia somente em 18º.

Lance Stroll andou em terceiro durante boa parte da corrida (Foto: Racing Point)

Com carro muito melhor que a concorrência, Bottas abriu passagem e deixou para trás Leclerc e Grosjean. Quem se deu mal foi Vettel, que caiu para nono depois de um erro na curva 9, sendo superado pela Red Bull de Alexander Albon. O anglo-tailandês partiu para o ataque contra a Ferrari de Leclerc.

Stroll levou muito tempo para conseguir ultrapassar a Haas de Magnussen, o que aconteceu somente na 16ª volta. O canadense subiu para terceiro, mas distante de Verstappen e Hamilton. Já Pierre Gasly, depois de ótima classificação, teve de abandonar ao sofrer, novamente, com problemas no motor Honda que empurra a AlphaTauri, o que foi a tônica da sua jornada ao longo do fim de semana.

Único piloto dentre os dez primeiros com pneus macios àquela época na pista, Leclerc não conseguiu resistir à melhor performance de Albon, que conquistou a sexta posição. Em seguida, foi a vez de Vettel deixar para trás o companheiro de equipe. Muito mais lento, o monegasco segurava um pelotão que tinha atrás Pérez, Daniel Ricciardo e Sainz.

Leclerc teve de ir para os boxes para fazer um novo pit-stop, trocando os pneus macios pelos duros. A estratégia da Ferrari com o piloto, de apostar tudo com a esperança que a chuva viesse logo, deu muito errado.

Em sétimo, Albon tinha sua jornada ameaçada na Hungria. Isso porque a Red Bull passou a ser investigada pelos comissários por ter secado de forma artificial o lugar do anglo-tailandês no grid de largada. Vettel aparecia em oitavo, atrás do piloto da Red Bull, e era seguido por Pérez, que não conseguia se aproximar do tetracampeão.

Com decisão de trocar pneus antes da largada, Kevin Magnussen se colocou entre os primeiros nas voltas iniciais (Foto: Haas)

Albon subiu para sexto depois de ultrapassar Grosjean, mas tinha 22s de diferença para tirar em relação a Magnussen. Hamilton seguia soberano com seguidas voltas mais rápidas, enquanto Vettel caiu para 12º depois de a Ferrari chamá-lo para fazer uma nova troca de pneus. Com compostos duros, Seb tinha performance melhor, assim como Leclerc. Os dois travaram belas disputas com os pilotos da McLaren no pelotão intermediário: Vettel contra Sainz e Charles contra Norris.

Na metade da corrida, com 35 das 70 voltas completadas, Hamilton tinha uma vantagem muito considerável para Verstappen: 19s. Mas a chuva, que seguia rondando o circuito magiar, dava sinais de que finalmente poderia dar o ar da graça minutos depois. Stroll era o terceiro, mas foi ultrapassado por Bottas após as paradas para troca de pneus.

Enquanto a Mercedes escolheu pneus médios para Bottas e Hamilton, a Red Bull adotou uma estratégia diferente com compostos duros para Verstappen na fase final da corrida. Lá no fim do grid, Latifi tinha outro problema na prova ao rodar na curva 5 quando já era o último dentre os pilotos na pista.

Com 20 voltas para a bandeirada, Hamilton comandava com autoridade a disputa, com Verstappen em segundo e Bottas logo atrás. Stroll aparecia em quarto, seguido por Vettel, Albon, Pérez, Ricciardo, Magnussen e Leclerc em décimo.

Sebastian Vettel tomou uma volta de Lewis Hamilton no fim da prova (Foto: Ferrari)

Bottas tentou repetir a estratégia que ajudou Hamilton a superar Verstappen no fim do GP da Hungria do ano passado, foi para os boxes da Mercedes e calçou pneus duros novos para tentar forçar o ritmo e superar o holandês para terminar a corrida em segundo. O finlandês voltou à pista a 21s do adversário.

Tamanha era a força de Hamilton que não houve a menor dificuldade para dar uma volta em Vettel e Albon, que estavam em quinto e sexto. O que mostra, novamente, a enorme diferença na ordem de forças entre as equipes.

As voltas finais reservaram um grande duelo entre os dois futuros companheiros de equipe. Em uma disputa roda a roda, Sainz passou Leclerc e colocou a McLaren #55 na décima colocação. Bottas, por sua vez, conseguiu reduzir bem a diferença para Verstappen.

Com três giros para o fim da corrida, enquanto Albon passava Vettel, a Mercedes chamou Hamilton para os boxes para trocar os pneus médios pelos macios para tentar o ponto extra pela volta mais rápida. A estratégia deu certo, e Lewis marcou 1min17s497. No giro seguinte, coroou um domingo espetacular com outra volta rápida: 1min16s627. Bottas bem que tentou completar a dobradinha da Mercedes, mas não conseguiu superar Verstappen, que terminou em segundo, logo à frente do finlandês.

Pole-position, vitória de ponta a ponta e volta mais rápida: Hamilton beirou a perfeição no GP da Hungria.

Confira aqui todas as informações da etapa do GP da Hungria.

Fórmula 1 2020, GP Hungria, Hungaroring, final:

1L HAMILTONMercedes70 voltas 
2M VERSTAPPENRed Bull Honda+8.702 
3V BOTTASMercedes+9.452 
4L STROLLRacing Point Mercedes+57.579 
5A ALBONRed Bull Honda+1:18.316 
6S VETTELFerrari+1 volta 
7S PÉREZRacing Point Mercedes+1 volta 
8D RICCIARDORenault+1 volta 
9C SAINZ JRMcLaren Renault+1 volta 
10K MAGNUSSENHaas Ferrari+1 volta +10s
11C LECLERCFerrari+1 volta 
12D KVYATAlphaTauri Honda+1 volta 
13L NORRISMcLaren Renault+1 volta 
14E OCONRenault+1 volta 
15K RÄIKKÖNENAlfa Romeo Ferrari+1 volta 
16R GROSJEANHaas Ferrari+1 volta +10s
17A GIOVINAZZIAlfa Romeo Ferrari+1 volta 
18G RUSSELLWilliams Mercedes+1 volta 
19N LATIFIWilliams Mercedes+5 voltas 
20P GASLYAlphaTauri Honda+52 voltasNC
      
VMRL HAMILTONMercedes1:16.627volta 70

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube