Hartley revela demissão da Toro Rosso 1 hora após GP de Abu Dhabi. E que sentiu que sairia desde Mônaco

Brendon Hartley revelou em texto ao 'The Players Tribune' que soube que estava fora da F1 em 2019 uma hora após o término do GP de Abu Dhabi, o último do ano passado. Mas que sentia que esse seria seu destino há tempos: desde o GP de Mônaco

Brendon Hartley viveu o mundo da F1 por um ano e meio: entrou durante a temporada 2017, sobreviveu aos boatos de que sairia em 2018, mas não resistiu e foi demitido ao final da última temporada. Agora, ele conta como soube que não continuaria e desde quando tinha este sentimento.

Em texto ao 'The Players Tribune', o neozelandês contou que, após o GP de Abu Dhabi, o último de 2018, foi chamado para uma reunião pela Toro Rosso. E, ali, soube que estava fora. Hartley foi substituído por Alexander Albon, o último nome confirmado no grid da F1 para 2019.

"Indo para Abu Dhabi, eu sabia que independentemente do que acontecesse depois da corrida eu sairia de cabeça erguida. Mas, assim como os fãs, eu não tinha ideia do que iria ocorrer. Esse é o problema com política na F1. Pode ser um pouco… Estranho", escreveu.

"Estava todo mundo andando sobre ovos, não havia nenhuma clareza. Então eu fiz tudo o que eu podia: meu trabalho. Bati meu companheiro (Pierre Gasly) e terminei em 12°. Uma hora depois, fui chamado para uma reunião. E, uns minutos depois disso, não era mais um piloto da F1", contou.

Brendon Hartley (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Segundo Hartley, "não foi dito muita coisa" na reunião. "Foi isso. O que eu pensava não importou", continuou Hartley. "Dizer adeus foi uma das coisas mais duras que eu já fiz. Dei algumas voltas pelo paddock, disse obrigado aos fãs que lá esperavam. Foi um pouco surreal."

Ele também revelou que o sentimento de que seria mandado embora "vinha desde o GP de Mônaco."

"Quando olho para trás, me lembro de andar no paddock para encontrar a imprensa na quarta-feira pré-GP e ser questionado sobre meu futuro. Lá estava eu, algumas corridas apenas em minha carreira na F1, e já sendo questionado sobre o fim dela. Mas essa não foi a pior parte do dia. Essa foi descobrir que havia verdades sobre tais rumores", explicou.

Brendon Hartley (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

"Depois de algumas corridas, aparentemente algumas pessoas não me queriam lá. Serei honesto, foi chocante. Entre ina F1 com muita experiência, dois títulos mundiais no WEC, vitória em Le Mans, bati meu companheiro na classificação em duas das três primeiras corridas… Foi difícil acreditar que queriam me substituir tão cedo", continuou o neozelandês.

Ao final do texto, Hartley afirma que vai sentir saudades da F1, mas que está animado com o que virá no futuro. E que a porta para a F1 "não está fechada": "Se uma nova oportunidade surgir, estarei mais forte e mais preparado. Fecho este capítulo por agora. Espero vê-los novamente. Obrigado."

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube