Honda lembra “altos e baixos” da Era Híbrida antes de título que “sempre foi o objetivo”

Diretor técnico da Honda, Toyoharu Tanabe ressaltou conquista da equipe após título mundial de Max Verstappen. Entrada na Era Híbrida, em 2015, foi um pesadelo para montadora japonesa, que se despede da F1

F1 EM ABU DHABI: VERSTAPPEN PASSA HAMILTON NO FIM E É CAMPEÃO! | Briefing

O título mundial conquistado por Max Verstappen na Fórmula 1, após a vitória no GP de Abu Dhabi do último domingo (12), significou bastante não apenas para o próprio piloto e a Red Bull, mas também para a Honda, fornecedora de motores da escuderia austríaca. De saída da categoria ao final de 2021, a montadora japonesa conseguiu conquistar o título em seu ano derradeiro, após muitos problemas desde o retorno à F1, em 2015, segundo ano da Era Híbrida. O diretor técnico da Honda, Toyoharu Tanabe, disse que todo o trabalho foi justificado no triunfo de Yas Marina.

“A Honda começou o projeto atual da Fórmula 1 lá atrás, em 2015, e desde o início, vencer o campeonato sempre foi nosso objetivo”, destacou Tanabe. “Colocamos muito esforço nisso, desafiamos nós mesmos a cada dia conforme lutamos para melhorar, e agora, na última volta da última corrida da temporada da Honda no esporte, conseguimos”, comemorou o japonês, que disse não conseguir explicar o que sente neste momento, após conquistar o objetivo da Honda em todos esses anos de Fórmula 1.

“Todo aquele esforço e espírito de competitividade acabou se pagando no final”, ressaltou Tanabe. “E eu realmente não consigo encontrar as palavras para expressar o que isso [o título] significa”, disse.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

MAX VERSTAPPEN; HONDA; FÓRMULA 1; F1 2021; FÓRMULA 1 2021;
Título de Max Verstappen pela Red Bull em 2021 foi com motor Honda, que deixará a F1 (Foto: Bryn Lennon/Getty Images/Red Bull Content Pool)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

A Red Bull não conseguiu garantir a dobradinha do Mundial, já que a Mercedes ficou com o Campeonato de Construtores por 28 pontos de diferença. No entanto, este fator não afeta em nada o sentimento de orgulho da Honda, de acordo com o diretor. A parceria de 2015 com a McLaren durou apenas três anos, e a chegada à Toro Rosso (hoje AlphaTauri) — assim como a posterior ida para a Red Bull — foi o ponto de partida para dias melhores.

“Infelizmente, perdemos o Mundial de Construtores, mas ainda estamos felizes de que Max [Verstappen] venceu o de Pilotos”, continuou. “Todos os altos e baixos e as dificuldades dos últimos sete anos finalmente se pagaram. Durante esse tempo, os engenheiros e mecânicos da Honda no Reino Unido e em Sakura nunca desistiram, continuaram o trabalho e as descobertas, trabalhando todos os dias. Os frutos disso foram vistos em Abu Dhabi”, encerrou.

“Isso está sendo manipulado”, reagiu Hamilton na volta final do GP de Abu Dhabi (Vídeo: Reprodução)
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar